Nomes mais populares em Portugal em 2018

em 22/01/19


Janeiro é o mês em que vos trago a lista de nomes mais populares em Portugal - é assim desde 2011! Este ano, para minha grande desilusão, não o conseguirei fazer. Adorava partilhar convosco a versão oficial da lista de nomes registados em Portugal mas, entre deixar-vos à espera de algo que neste momento não consigo fazer acontecer, ou partilhar a lista provisória que possuo, opto por esta última. Não tenho certeza absoluta, mas acredito que esta lista deverá compreender os nascimentos até finais de Outubro. Para compilar este top 100, decidi agrupar algumas grafias e pronúncias muito aproximadas, desde que tivessem mais de 5 registos, apresentando a grafia mais popular. Fi-lo, porque creio que ajuda a ter uma perspectiva mais real dos nomes que se usam. A título de exemplo, juntei os 908 registos de Dinis e os 44 registos de Diniz, tal como somei os 928 registos de Sofia e os 49 de Sophia.
Sem mais demoras, aqui fica o top 100 provisório de 2018: 


Nome Registos
Maria 5608
Leonor 1609
Matilde 1574
Beatriz 1170
Carolina 1169
Sofia 977
Alice 915
Mariana 903
Ana 875
10º Benedita 827
11º Francisca 824
12º Margarida 802
13º Inês 798
14º Clara 788
15º Lara 734
16º Laura 709
17º Madalena 620
18º Vitória 606
19º Diana 602
20º Joana 483
21º Eva 471
22º Camila 470
23º Íris 459
24º Mafalda 456
25º Constança 429
26º Gabriela 427
27º Letícia 416
28º Bianca 409
29º Sara 401
30º Luana 388
31º Ema 369
32º Ariana 344
33º Yara 330
34º Luísa 329
35º Carlota 323
36º Rita 310
37º Carminho 276
38º Yasmin 275
39º Helena 261
40º Mara 249
41º Valentina 242
42º Alícia 231
43º Júlia 210
44º Catarina 196
45º Kyara 185
46º Olívia 165
47º Melissa 163
Rafaela 163
49º Isabella 157
50º Noa 154
51º Núria 152
52º Marta 150
53º Miriam 148
54º Nicole 142
55º Teresa 137
56º Isabel 135
57º Lia 130
58º Alana 121
59º Luna 114
60º Daniela 112
61º Filipa 110
62º Aurora 108
63º Melanie 105
64º Mia 102
65º Bárbara 100
66º Bruna 99
Raquel 99
68º Kelly 90
69º Julieta 89
70º Nayara 88
71º Chloe 87
72º Luena 86
73º Amélia 85
74º Pilar 84
75º Juliana 83
Lorena 83
77º Érica 81
78º Áurea 79
79º Caetana 78
80º Ísis 71
Jéssica 71
82º Frederica 68
83º Mayara 66
84º Eduarda 65
85º Luz 61
86º Emília 59
87º Adriana 58
88º Giovanna 56
89º Emily 55
90º Flor 53
91º Débora 50
92º Soraia 46
93º Fabiana 45
Larissa 45
95º Alexandra 42
Elisa 42
Vera 42
98º Bia 41
Ester 41
100º Anita 40
Safira 40
Nome Registos
João 1679
Francisco 1603
Santiago 1579
Afonso 1390
Duarte 1340
Tomás 1333
Martim 1321
Rodrigo 1257
Lourenço 1246
10º Gabriel 1218
11º Miguel 1204
12º Lucas 997
13º Pedro 958
14º Dinis 952
15º Vicente 940
16º Guilherme 936
17º Salvador 904
18º Gonçalo 897
19º Rafael 872
20º Mateus 835
21º Gustavo 770
22º Tiago 751
23º Diogo 723
24º Diego 641
25º José 612
26º Manuel 549
27º Henrique 542
28º Simão 538
29º Bernardo 528
30º David 523
31º Daniel 499
Vasco 499
33º António 487
34º Enzo 410
35º Leonardo 382
36º André 340
37º Luís 338
38º Isaac 317
39º Eduardo 275
40º Artur 245
41º Kevin 239
42º Matias 229
43º Alexandre 216
44º Xavier 207
45º Benjamim 205
46º Filipe 204
47º Valentim 173
48º Bryan 171
49º Lorenzo 165
Samuel 165
51º Frederico 161
52º Leandro 158
53º Carlos 142
54º Nuno 141
Ricardo 141
56º Rúben 136
57º Joaquim 126
58º Sebastião 119
59º Bruno 118
60º Davi 117
61º Hugo 98
William 98
63º Noah 97
64º Tomé 95
65º Rui 90
66º Jaime 81
Vítor 81
68º Manel 80
69º Paulo 72
70º Jorge 71
71º Luca 70
72º Eric 64
Mateo 64
74º Ângelo 61
75º Mário 59
76º Ivan 57
Renato 57
78º Christian 54
Dylan 54
Fábio 54
81º Marco 53
82º Caio 52
Cristiano 52
Liam 52
85º Gil 50
86º Muhammad 48
87º Micael 45
Raul 45
89º César 44
Fernando 44
Gaspar 44
92º Edgar 43
Emanuel 43
Luan 43
Yuri 43
96º Adrien 42
97º Theo 40
98º Sérgio 39
99º Jonathan 36
100º Ivo 35
Joel 35
102º Álvaro 34


Algumas considerações sobre o top 100 feminino:


  • Tal como vocês em previram, Alana está no top 100. Aliás, não só está no top 100, como consegue ficar às portas do top 50, ilustrando bem o impacto da escolha de Cristiano Ronaldo. 
  • Ana continua a descer a olhos vistos. Ainda pensei que pudesse começar a ganhar espaço, face à enorme popularidade de Maria, mas não está a acontecer. 
  • Francisca aparece aqui com menos registos, mas eu continuo com a sensação de que, então, Maria Francisca tem de estar a bombar!
  • Novidade boa do ano: Luz, que duplicou o número de registos e ingressou no top 100! Bia também se estreia no top 100, o que se poderá dever à bailarina Bia Marques, do Dancing Brasil... Mais novas entradas: Larissa e Anita. 
  • Já aqui tínhamos comentado a popularidade de Chloe e das suas variantes, que continuam em alta. 
  • O aumento do número de registos de Eduarda mostra que, no ano passado, aquela descida abrupta foi atípica! 
  • Não se deixem enganar pela subida de registos de Ema face a 2017, porque este ano juntei-lhe os mais de 120 registos de Emma! Em igualdade de circunstâncias, Ema tem apenas mais 17 registos. 
  • Alice, Benedita & Eva são as grandes subidas do ano. Olívia, Madalena, Carlota, Isabela, Luísa e Valentina também têm consideravelmente mais registos. 
  • Na parte final da tabela, grandes resultados para Julieta, Emília, Aurora e Frederica. 
  • Quanto a descidas, convém relembrar que este ranking não corresponde aos doze meses do ano e por isso não podemos tirar grandes conclusões destes dados. Ainda assim, destaque para Yara, Íris, Mara, Luena, Áurea, Luna e Caetana. Os clássicos contemporâneos também descem, nomeadamente Mariana, Inês, Rita, Sara e Margarida. Idem para os três preferidos desta geração, Leonor, Matilde e Beatriz. 

Algumas considerações sobre o top 100 masculino:


  • Começamos pelo Cristiano Ronaldo no lado feminino, fazemos o mesmo aqui: Alana & Eva já tinham subido e Mateo também sobe, sendo uma das novas entradas no top 100, a par de Mudammad, Raul, Luan, Theo, Joel & Álvaro. Note-se ainda que Dylan substitui Dilan, que era a grafia anteriormente aprovada. 
  • Neste momento, acho que é importante avançar que não houve registos de Georgina. 
  • As grandes subidas ficam a cargo de Vicente, Mateus, Lourenço, Duarte e Diego! 
  • Note-se que Lucas, Tomás, Bernardo, Artur e Benjamim têm subidas interessantes, assim como Vasco. 
  • Alerta para Joaquim: sei que ainda é encarado com alguma desconfiança, mas vai começar a ouvir-se em crianças! 
  • Uma vez mais, não me quero focar nas descidas, sobretudo nos nomes muito populares, porque dois meses fazem muita diferença, mas nomes como Tiago, Gonçalo & David caíram, mas nenhum cai tanto quanto Santiago. 

Veja também:

31 comentários:

  1. Não gosto de Joaquim, pra mim é nome de idoso.

    Eva esta no top20 em Dezembro mas aqui está em 21º. Existem algumas diferenças

    Algum motivo para não conseguir a tabela oficial este ano?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A descida de Eva deve-se à entrada no top 20 de Vitória, que acontece devido à soma dos registos de Vitória & Victória.

      Eliminar
    2. Também não sou fã de Joaquim. Gosto de nomes que podem parecer mais “antiquados” mas Joaquim, a mim, só me faz lembrar senhores de idade e o diminutivo “Quim” não me convence.

      Eliminar
  2. Se percebi bem, há um atraso na disponibilização da lista; ou seja, a Filipa espera ainda vir a obtê-la. Estou certa?
    Obrigada.

    ResponderEliminar
  3. Bem, a subida de Alana foi gigantesca… Não esperava uma subida de registos tão grande, confesso. Não conheço ninguém com tenha meninas com esse nome.

    O nome da minha menina, Aurora, está a subir de ano para ano. Não sei se me agrada, mas ao menos ainda não é assim tão popular.

    ResponderEliminar
  4. Eish, que facada no coração, não estava à espera que Olívia subisse tanto...

    Gostei da entrada de Álvaro no top 100.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah também reparei na grande subida de Artur. Não me importo de o ver mais popular.

      Eliminar
  5. Mateus continua a subir, infelizmente. Porque vai ser o nome do meu príncipe haha
    Descendo de uma linhagem de Joaquins e particularmente não gosto porque esse nome já traz ca um feitiozinho associado ��

    ResponderEliminar
  6. Filipa, eventualmente vai ter acesso à lista oficial, ou este ano é para esquecer?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom como não respondeu a este comentário postado, calculo que será algo que não vai conseguir obter

      Eliminar
    2. Não respondi a nenhum dos comentários que me questionavam o assunto porque não tinha nenhuma novidade para além daquela que descrevi no início do texto: infelizmente, até ao momento, não tenho a lista de 2018. Contudo [mesmo partindo do princípio que não sei o dia de amanhã], se precisam de uma resposta, então vou-me basear no que sei às 9h10 de hoje: Não!

      Eliminar
  7. Maria Luísa também é popular?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em 2014, Maria Luísa foi escolhido para 125 meninas e na altura foi o 10.º nome composto mais registado em Portugal.

      Eliminar
  8. Noa usa-se mais do que Noah? Uau

    ResponderEliminar
  9. Algo que me fascina nos Tops 100 de Portugal é a miscelânea que existe: há de todos os tipos, mas os mais populares tendem a ser os clássicos. Algo que reparo é que o Top dos meninos parece sempre mais “consensual” a nível do tipo de nomes (mais “clássicos”), enquanto o das meninas é mais variado. Nas meninas temos nomes como Lara e Íris (pessoalmente considero nomes modernos) ainda no Top 20, mas nos meninos só encontramos os modernos (Enzo) já no Top 30.

    Seria interessante perceber como estes nomes se organizam no território (nem que fosse por distritos), mas calculo que isso envolva muita burocracia para ter acesso aos registos. Digo isto porque as pessoas que conheço que foram pais recentemente raramente escolhem “nomes modernos” ou internacionais. E qual é a faixa etária dos pais que escolhem os nomes? Qual o estrato social? Acho que daria um estudo sociológico bastante interessante.

    Parabéns pelo blog, Filipa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um tema muito interessante, mesmo. No outro dia encontrei no reddit uma publicação sobre os nomes mais populares em Portugal em 2016 (se procurarem no Google “reddit nomes Portugal 2016” devem lá ir ter). Já se passaram uns anos, mas o Top 100 não é muito diferente deste e foi bastante engraçado (no sentido sociológico e não tanto de ser humorístico) perceber a reacção das pessoas aos “Nomes da moda”. Havia muita sátira acerca da democratização dos nomes considerados “chiques”, “queques”, “betos” (enfim, compreendem). Um dos usuários escreveu algo do género: “daqui a uns anos vão ser o Afonso e o Martim a assaltar no Cais [do Sodré] em vez do Rúben ou do Fábio”, ao que lhe responderam “eu não quero viver num mundo onde sou assaltado por um gajo chamado Martim”. Já o blog humorístico “Por Falar Noutra Coisa” escreveu um artigo, nesse mesmo ano, a satirizar estes nomes: daqui a uns anos vamos ter o “Afonsing Tunning” e a “Matilde Nails”. Correndo o risco de soar preconceituosa: será que um nome como Afonso agradará assim tanto a alguém que vive num bairro social com elevada taxa de criminalidade (que é o que estes comentários que referi estão a insinuar)?
      Será que o facto da generalidade das pessoas estarem a ser mães cada vez mais tarde (conheço mulheres de 40 anos que estão a ser mães agora), poderá influenciar a popularidade dos nomes mais clássicos? Será que nomes como “Yara”, “Luna” ou “Yasmin” são nomes mais apelativos para um casal na casa dos 20 anos ou para um casal de 30/40 anos?

      Eliminar
    2. Acho que temos de levar em consideração a comunidade emigrante residente em Portugal que possivelmente sentirá maior atracção por nomes internacionais ou que são moda no país onde nasceram. Por exemplo, a única Iara (com I mesmo) que conheço é filha de uma jovem brasileira que desejou honrar as suas raízes nativo-brasileiras (Yara/Iara é um nome indígena, pelo que percebi).

      Dito isto, todas as outras pessoas que conheço (que estão na casa dos 30) e que foram pais pela primeira vez optaram por nomes mais “clássicos”: Benedita, Duarte, Camila, Guilherme, etc. Mas não vejo porque os nomes modernos não possam ser apelativos para casais na casa dos 30/40 anos, depende muito das pessoas. Uma conhecida minha do trabalho tem 36 anos e escolheu Íris para a sua filha, mas também conheço uma adolescente, filha de uma colega, que foi mãe de um menino e escolheu Noah. Talvez a faixa etária dos casais pese na escolha dos nomes, mas, no fundo, o gosto pessoal predomina.

      Sim, as graçolas com “pobres a colocar nomes de ricos” são infinitas. Basta ver os comentários às notícias dos nomes mais populares em ano x. Sinceramente, não vejo qual é o problema.

      No caso português não sei se tal se aplica, mas nos Estados Unidos da América existe discriminação laboral relativamente aos nomes. Vários artigos online exploram como afro-americanos com nomes tradicionais nessa comunidade (os chamados “guetto names”: Laquisha, DaDiamond, Chemillie, etc.) têm mais dificuldade em serem contactados para uma entrevista de trabalho do que afro-americanos com nomes anglicizados (John, Mary, George, Emily, etc.). Várias universidades já elaboram estudos sobre o assunto (um dos quais é da Universidade de Chicago e intitula-se "Are Emily and Greg More Employable Than Lakisha and Jamal?"): é incrível, mas está cientificamente comprovado que, nos EUA, um nome pode ser uma porta aberta ou fechada. Porque estes nomes estão associados ao “guetto” (bairro social em Portugal e favela no Brasil) e à situação socioeconómica associada com ele (pobreza, criminalidade, etc.). Claro que é uma parvoíce e estas pessoas não têm culpa do nome escolhido para elas, mas não se pode fingir que o preconceito não existe.

      Em Portugal, a admissão de nomes internacionais é relativamente recente, portanto só daqui a uns anos é que pode haver um estudo semelhante: será que uma Yara Yasmin terá as mesmas oportunidades de trabalho de uma Maria Francisca? Ou será que os portugueses não colocam tanto peso no nome das pessoas como nos outros países?

      Por acaso tive a curiosidade de procurar pelo tal artigo do reddit que referiu e encontrei este comentário: “Kyara, Yara, Yasmin, Enzo, Kevin..que c*ralho de pais, vê-se mesmo que são do bairro a receber RSI e todo o dia na esplanada.” Muito elucidativo face à mentalidade de alguns portugueses.

      Eliminar
    3. Maria Miguel, concordo com tudo o que escreveu. Mas exatamente a mesma mentalidade e preconceito quando dizem que este nome ou aquele mais clássico é nome de velho. Aliás, da minha experiência, o preconceito até é maior quando ao contrário...
      Mafalda

      Eliminar
    4. O cenário norte-americano e até o brasileiro são muito distintos do cenário português. E vou mais longe: as pessoas não têm mesmo noção de como estão equivocadas quanto aos "nomes de bairro", que não estão, de maneira nenhuma, circunscritos a essas zonas. Esquecem-se é que Portugal não é Lisboa/Porto!

      Eliminar
    5. Mafalda, não me parece, de todo, que seja "exatamente a mesma mentalidade e preconceito". O preconceito com nomes associados a bairros sociais é muito muito mais grave, porque está associado a discriminação. E o comentário que a Maria Miguel copiou do reddit sobre "receber RSI e estar na esplanada" é igual a muitos que li ontem, e me deram náuseas, sobre os desacatos entre a polícia e os moradores do bairro da Jamaica. Portanto não, o preconceito quanto a nomes de velho não é nada; é uma opinião inofensiva sobre um nome, ninguém vai ser seriamente discriminado por ter um nome antiquado. Preconceito com "nomes de gueto" é mais um sintoma de um problema enraizado na sociedade portuguesa e muitas vezes desvalorizado - o racismo e a exclusão social.

      Eliminar
    6. Referi a comunidade afro-americana como exemplo, mas não queria entrar na “racialização” dos nomes: será que tal coisa existe no contexto português? A realidade social é complexa e convém recordar que os habitantes dos bairros socias não se circunscrevem a pessoas de origem africana ou de etnia cigana ou de outras nacionalidades: também lá habitam pessoas brancas. Tal como é importante relembrar que nem todas as pessoas de origem africana residentes em Portugal vivem em bairros sociais. Aliás, todas as pessoas de ascendência africana que conheço não vivem nem nunca viveram em bairros sociais. Uma grande amiga minha é de origem moçambicana, é médica e diretora de uma clínica, em Portugal.

      Disto isto: acho que tanto classificar os nomes como “nomes de bairro” e “nomes de riquinho” é igualmente parvo. Actualmente os nomes estão demasiado democratizados no contexto português para fazer estas distinções.

      Eliminar
    7. Concordo com a Maria Miguel e com a Filipa. Se bem que o anónimo das 15:20 levantou um ponto interessante acerca da discriminação dos habitantes dos bairros sociais, que são imediatamente associados a criminalidade. Achei problemático que tenha associado logo bairros socias à questão racial, mas é como muito bem disse a Filipa: as pessoas esquecem-se que Portugal não é só Porto e Lisboa. Mas também existem bairros problemáticos em quase todas as outras grandes cidades portuguesas - muitos com mais população branca do que estrangeira. Mais uma vez concordo com a Filipa: as pessoas ficariam surpreendidas com muitos nomes escolhidos pela comunidade africana: muitos escolhem nomes bem clássicos e tradicionais, que nada têm de “moderno/internacional”. Eu sou da região centro do país, de Coimbra, e ao longo da minha vida já conheci muitas pessoas brancas e portuguesas, filhos de pais de classe média, com nomes modernos e internacionais (Kevin, Wilson, Soraia, Íris, Ísis, Jade, etc.), e jovens de ascendência africana com nomes mais tradicionais (Maria, Deolinda, Açucena, Mário, etc.). Num ponto tenho de concordar, na minha infância só conheci Constanças, Afonsos e Martins que eram filhos de médicos, juristas e de pessoas de classe alta. Mas também conheci filhos com pais ricos com nomes transversais a todas as classes sociais: Tiago, João, Maria, Miguel, Mariana, etc. Para terminar, concordo com a Maria Miguel. Dividir em “nomes de bairro” e “nomes de rico” não tem sentido na actualidade.

      Eliminar
    8. Na Alemanha fizeram um estudo semelhante ao referiram para a comunidade afro-americana, mas foi analizado o sucesso escolar.
      A conclusão é algo do género: Kevin e Jessica, nomes importados, tendem a ter menos sucesso escolar.

      Eliminar
    9. Os Estados Unidos da América têm vários estudos sociais acerca da questão dos nomes próprios. Um estudo demonstrou que adolescentes com nomes pouco comuns, ou estranhos até, são mais propícios à criminalidade. Acho muito bizarro. Se procurarem no Google "names and crime" encontram vários artigos sobre o assunto.

      Eliminar
  10. Tive algumas surpresas quando vi este top!
    Acho que Alice, Benedita, Clara e Francisca vão continuar a subir no top. Até acho que se considerarmos as Maria Francisca e Maria Clara o top 10 feminino muda logo. Há outros nomes que nunca pensei ver em posições tão altas do top: Íris, Carminho, Valentina, Olívia, Isabela, Alana (nunca pensei que fosse ficar tão popular! Passou há frente de muitos "clássicos"!), Julieta, Luz (e nem mencionando as Maria da Luz que serão certamente chamadas de Luz)! Outras surpresas para mim foram Bia, Emily, Anita e Safira!
    Quanto aos rapazes, o 3º lugar de Santiago acho que é o início do "efeito Rodrigo". Acho que gradualmente vai diminuir em popularidade.
    Nomes que me surpreenderam pela sua posição no top foram: Diego (mesmo perto de Diogo!), Simão, Artur (acho que rapidamente vai começar a subir no top), Matias, Benjamim, Valentim e Joaquim! O Joaquim mais novo que conheço tem agora 20 anos e o nome era, e penso que ainda será, um nome raro nas escolas. Contudo, partilho da opinião que será outro nome a ganhar popularidade nos próximos anos!
    Outras surpresas foram ver Caio, Gil, Raul (Raúl não é a grafia dominante?), Fernando, Gaspar, Luan, Theo e Álvaro no top!

    ResponderEliminar
  11. Filipa, é possível ter o desdobramento das Marias? Tenho alguma curiosidade de saber se o top 10 altera. Julgo que as Claras, Luísas e Franciscas não traduzem a realidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se a Filipa tem acesso a esses dados. Também ficaria muito contente que sim pois também tenho muita curiosidade. Mas a única vez que foi disponibilizada publicamente uma lista de nomes conjugados foi em 2014 pelo jornal Público. Geralmente só disponibilizam os registos do primeiro nome, para grande infelicidade nossa.

      Eliminar
    2. Na verdade, antes disso, eu divulguei o ranking de compostos de 2013 :) Foi um dos meus maiores orgulhos e alegrias e deu origem a posts muitos interessantes, que pude repetir no ano seguinte! Deixo-vos os links, acho que vão gostar de ler:

      Nomes compostos masculinos registados em 2013


      Nomes compostos femininos registados em 2013
      Nomes compostos femininos - outra análise

      A real popularidade de Maria - compostos 2013

      Nomes compostos femininos registados em 2014

      Nomes compostos masculinos registados em 2014

      Algumas listas de 2013 já não estão acessíveis, porque entretanto foram reproduzidas incontáveis vezes, sem que ninguém se dignasse a fazer referência à fonte que, no caso, era o Nomes e mais Nomes.

      Eliminar
  12. Filipa, vamos ter acesso à lista completa de registos? Os nomes que mais me interessam não constam do top 100 :)
    Obrigada!

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)