Tatiana - OK ou KO?

23.7.12

Tatiana Santo Domingo

Tatiana tem andado em todas as revistas cor-de-rosa, desde que foi anunciado o noivado do monegasco Andrea Casiraghi com a colombiana Tatiana Santo Domingo, considerada pelas revistas da especialidade como uma das mulheres mais bem vestidas do mundo. O nome está aí e, caso o casamento se concretize, está para ficar. 
Em Portugal, Tatiana não precisa de mais atenção do que já tem. Ainda na semana passada eu referia que apenas 68 nomes femininos tinham mais de cem registos em 2011 e Tatiana é um dos contemplados, com 101 registos. Para mim, é uma surpresa, porque não conheço nenhuma Tatiana, nem é um nome que ouça com frequência, mas os dados divulgados oficialmente não deixam margem para dúvida. 
A origem do nome está relacionada com o grego Tatiános e com o latino Tatianus, que também originou Taciano e Taciana, bem como Tácio. É o nome de uma mártir venerada pela Igreja Ortodoxa, Santa Tatiana de Roma, que também é a Santa padroeira dos estudantes. Na Grécia, é reconhecida como Santa Tânia, que é um diminutivo de Tatiana. 
Trata-se então de um nome fortemente religioso, internacional e delicado, que tem em Tati um diminutivo sonante e divertido, mas que me parece que não é muito bem visto entre nós. Já abordamos o tema a propósito de Vanessa, mas neste caso também me parece muito apropriado perguntar quem é que transformou um nome absolutamente normal num nome mal-amado? 

29 comentários :

  1. KO é mesmo daqueles da minha lista negra. Pertence ao conjunto que detesto Tatiana, Soraia e Jéssica...

    Acho que na vida toda, assim de repente conheci 2 Tatianas, uma na creche e outra da escola secundárias... Incluo este nome naqueles que eram usados (pouco) nos anos 80 e que foram mais usados no início dos anos 90... Mas pelos vistos ainda é bastante usado...

    ResponderEliminar
  2. Tatiana, Soraia , Jéssica (pegando nos exemplos dados acima)
    Este tipo de nomes são mal vistos porque são NOMES DE POBRE!
    Dessas 100 Tatianas 80 estão em bairros sociais.
    Não é para ofender as pessoas com estes nomes até porque nada tenho contra pessoas de classe baixa, aliás "gosto tanto" deste tipo de nomes como dos betinhos das classes altas, lol
    Mas é a realidade...! ;)
    E já que neste blog já se falou tanto em nomes betinhos e nomes chiques, com classe, etc...Não sei porque é que "nomes de pobre" é um assunto tabu ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nao ha palavra que explique melhor seu comentário que preconceito. Nao é porque me chamo Tatiana. A pobreza de espirito aqui é muito mais lamentável que a social.

      Eliminar
  3. Tatiana pode ser um nome clássico, elegante e até religioso nos outros países, mas em Portugal (infelizmente) está conotado como parolo, de pobre, etc.

    Alguns nomes até merecem esta conotação (Tânia, Sónia, Sandra, Cátia, Lara parecem-me do pior), mas outros é simplesmente o azar de terem sido trazidos para Portugal pelas novelas e pelos emigrantes - Íris, Luana, Melissa, Leandro, Igor, etc.

    ResponderEliminar
  4. Joana, talvez seja mesmo assunto "tabu", porque acho ofensivo :( É evidente que entendo o que está a dizer, é evidente que reconheço esse conjunto de nomes, mas não sinto vontade de aprofundar muito para não ferir susceptibilidades...

    ResponderEliminar
  5. Como adoro lançar achas para a fogueira, posso dizer que, apesar das percepções, não é necessário que seja «nome de pobre». No outro dia, numa reportagem na RTP, entrevistaram dois miúdos no bairro da Boavista, um dos mais problemáticos de Lisboa, e os meninos chamavam-se Dinis e Martim. Já dizia a minha avozinha que pobreza não é crime e espero bem que assim se mantenha (até porque o que é pobre para uns, pode não ser necessariamente para outros: conheço quem sempre viveu de rendimentos e que considere «pobre» todo o que tem de viver do seu trabalho).

    PS. Voltando ao que interessa. Não gosto de Tatiana porque acho muito «duro» em termos melódicos.

    ResponderEliminar
  6. Compreendo que seja um pouco embaraçoso falar de "nomes de pobre", é muito mais fácil falar de nomes com classe e etc
    Mas acho que há nomes que são óbvias as razões pelas quais são mal vistos e este é um deles efectivamente...e como perguntou quem é que transformou Tatiana num nome mal amado, eu disse, porque é a realidade e a realidade tem de ser dita, ao menos quando é questionada!

    E sim, nas classes baixas existem imensos Martins e Dinis, Beatrizes e Matildes, e acho natural pois são nomes que de tão usados estão completamente vulgarizados e deixaram de ter uma classificação, não estranho que sejam usados por crianças de bairros sociais!
    Estranharia sim ver uma Constança, uma Carminho ou um Lourenço numa criança de um bairro social.
    Mas também é muito mais fácil vermos nomes "chiques" em bairros sociais, do que nomes "de pobre" na classe alta...

    ResponderEliminar
  7. Esqueceram-se da Vanessa....lol
    Até já o Variações dizia "Maria Albertina, como foste nessa de chamar Vanessa à tua menina..."
    Nestas coisas dos nomes, achar que este é feio, ou bonito, ou que está conotado com isto ou aquilo é do mais normal que há. Ter opiniões divergentes parece-me saudável. Não concordo que Tatiana seja "nome de pobre" e tal como a Filipa acho ofensivo dizer-se tal coisa. Em virtude do meu trabalho, estou constantemente em contacto com recém nascidos e garanto-vos que há mais Leonores, Tomás, Afonsos e Matildes nos bairros sociais de hoje em dia que Cátias, Iaras, Vanessas e Jessicas. Acho que esses nomes têm fases. Posso concordar que haja uma tendência para usar estes nomes dentro das classes mais desfavorecidas, mas são tão nomes de pobre, como de rico. Ser rico não significa necessariamente ter bom gosto (e isso do bom gosto varia muito!). Conheço muita gente rica a valer que é Cátia ou Rúben. Normalmente são as famílias com o chamado "berço" é que gostam de Carminhos e Assunções e Beneditas, ricos ou de pé descalço!!!
    Cá para mim, se me permitem, cada um gosta do que gosta!
    E quanto à Tatiana, detesto, tanto como a Vanessa, a Cátia, a Jessica, a Constança (que para mim há de ser sempre a Tansa...), a Maria (só), ou a Carlota. Tanto detesto o Fábio, o Rúben e o Nelson, como acho horrível Afonso, Tomás, Dinis (é de ter conhecido vários que enfim...coitadinhos)ou Zé Maria (há de ser sempre o das galinhas!)
    Não gosto, pois não. São gostos. Quando eu digo do que é que gosto, não há alminha que não diga que horror! Como és capaz de gostar "disso"?
    Ainda há uns tempos, uma amiga escolheu Joaquim para nome do filho. Em quase 30 pessoas, fui a única que gostava e que apoiei. Todas as outras levaram nove meses a dizer-lhe: que horror! Ainda se fosse Miguel , ou Tomás...
    Moral da história: Viva a diversidade! Ainda bem que não gostamos todos do mesmo!
    E já agora... continuando com os ditados...Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades! É incrível como flutuam as "modas" de nomes! Como aqui há uns tempos dizia a minha avó, há muitos anos, ser-se só Maria era uma ofensa do pior que os padrinhos faziam, porque Maria era a criada (não será demais dizer que isto foi o que me foi contado, que é um exemplo, que nada tenho contra ou a favor das "criadas" e pronto, tenho dito!)

    ResponderEliminar
  8. Joana, mea culpa. Às vezes, exatamente por não querer usar esse rótulo de nomes de pobre, não me consigo fazer entender. Quando escrevi "mas que me parece que não é muito bem visto entre nós", queria dizer que era considerado nome parolo, pobre, etc, etc.
    No post sobre Vanessa, falamos da música Maria Albertina, falamos da combinação Cátia Vanessa e do anúncio "Vamos nessa, Vanessa". O que eu queria saber era se existiu algum fenómeno, seja uma personagem de novela, seja simplesmente a imigração de leste, que pôs Tatiana no mapa com tal força que o popularizou entre as ditas camadas mais desfavorecidas. Ou seja, eu não ponho em causa quem é que hoje em dia escolhe o nome; queria era perceber porquê, mas reconheço que não fui clara.

    Regressando a Vanessa: a minha tia, que escolheu Vanessa para a filha em 1981, não se enquadra no estereótipo de hoje de "mãe de uma Vanessa". A minha prima Vanessa, enquanto criança, nunca teve problemas com o nome. Só bastante mais tarde, na altura do tal anúncio, é que começou a soar mal...

    ResponderEliminar
  9. Querem apostar que daqui a uns anos vamos voltar a ter Carlas, Alexandras, Paulas e Sónias em força? E que chamar-se Beatriz, Madalena ou Leonor é que será o que "soa mal"? Basta inventarem um anúncio qualquer que fique na língua de todos :) Tipo " Ganda cena, Madalena!" lololol

    ResponderEliminar
  10. Gosto do nome Tatiana. Comprendo que pode já não ser um nome pipi mas é um nome bonito. Não gosto de Soraia, Jéssica, Vanessa, Carla, Sandra, Susana, Liliana, Marlene, Madalena, Carlota, Carminho, Benedita, Ivone... Em vez de dizer nomes de pobres vs nomes de ricos prefiro dizer nomes parolos vs nomes standards e para mim "Carlota" é um nome parolo porque só o escolhe quem quer ser diferente ...

    ResponderEliminar
  11. Eu adorei o comentário da Ni, os dois aliás... 100% de acordo...

    Eu, Sónia com muito gosto não me sinto minimamente posta de parte, também diga-se passagem que se alguém fizesse alguma piada, eu cortava-a da lista e pronto... Os nomes podem até mostrar o berço, em alguns casos, mas ainda me lembro que no meu curso a melhor aluna era uma Soraia da Amadora e um dos meninos chiques de Cascais de nome Tomás era uma vergonha quer em termos de notas, quer em comportamento e na faculdade ser mal educado tem muito que se lhe diga...

    Eu tenho uma colega de trabalho com 40 anos chamada Mara que por acaso nasceu em Angola (talvez interesse para o outro post) e quando às vezes aparece alguém com um nome estranho e todos gozam, ela diz sempre "qual o problema?"... Normalmente ela tem sempre algum amigo ou familiar com nome estranhos, a mãe dela por exemplo chama-se Lízia.. A verdade é que ela tem família espalhada pelos 5 continentes, talvez por isso seja um bocadinho mais aberta e menos preconceituosa...

    Quanto eu digo que não gosto de Tatiana é mesmo porque não gosto, não tem a ver com conotações, eu gosto de Sónia, Fábio, Sérgio... E também detesto alguns nomes pipis, o caso de Carlota ou de Mafalda que nunca engracei...

    ResponderEliminar
  12. Acho que devemos estabelecer a diferença entre um nome demodé e um "nome de pobre" e é por isso que gosto de contextualizar e tentar perceber em que altura os nomes foram populares.
    Uma Tânia nascida entre 1970 e 1985 pode ser de qualquer classe social; uma Tânia nascida em 2004 já me parece mais identificável, tal como é mais fácil rotular um Tomás nascido em 1982 do que um Tomás nascido em 2005.

    ResponderEliminar
  13. Concordo plenamente com a Filipa... Aliás eu que nasci da década de 1980 devo referir que alguns dos colegas que tive de uma classe económica mais elevada (não digo que fossem de classe alta alta) também foram um bocado levados pelos nomes diferentes... Tenho um amigo que é Ivan porque o pai era fascinado pelo Czar Ivan.

    Acho que na década de 70/80 os pais não se importavam tanto se o nome era assim ou assado... diga-se passagem que hoje em dia também não sei se se importam... Acho que a maior parte das pessoa escolhe o nome dos filhos a partir dos nomes que vai ouvindo... Não é por acaso que há pessoas quem têm uma Lara e uma Beatriz, se formos a ver são nomes que não têm nada a ver... Acho que a maior parte das pessoas ouve um nome e faz-lhe um clic.

    Há uns anos atrás a minha tia que teve em 1982 a minha prima chamada Vera dizia que se tivesse uma filha já não escolhia Vera, mas sim Ana Teresa ou Daniela... e nada daquilo me pareceu lógico...

    ResponderEliminar
  14. Tatiana não é um nome feio, mas também ñ simpatizo mto, e sim remete-me para outros nomes como Jéssica ou Soraia. Pessoalmente gosto do nome Jéssica pk tenho uma sobrinha linda com este nome, e se o nome é de "pobre" como dizem acima, o irmão dela chama-se Lourenço, portanto na minha opinião ñ há nomes de rico nem de pobre, é tudo uma questão de gosto e da moda dos nomes que se usam na altura em que as crianças nascem.

    ResponderEliminar
  15. (também concordo com os dois comentários da Ni - daqui a uns tempos voltam as Patrícias, as Marlenes e afins, e nós, que talvez já sejamos avós, vamos achar desactualizado).
    Quanto a Tatiana, não gosto. Também associo a outros nomes já referidos e que não aprecio, mas que nos anos 80 seriam "modernos". Além disso Tatiana faz-me recordar uma participante do Big Brother, que tinha como ambição ser cantora pimba. E conseguiu!

    ResponderEliminar
  16. Vou só dar uma sugestão à Filipa para um post, que não sei se já foi alguma vez feito ou não. Gosto imenso de saber como as pessoas se chamam, então quando são nomes diferentes do habitual, conjugações pouco convencionais, adoro! Independentemente de se gostar desses nomes ou não, que tal fazermos uma partilha dos que conhecemos?
    Tal como a Xoru disse acerca do Ivan, eu conheço um rapaz da minha idade(28) que é Mariano Gilberto, uma Natércia de Fátima, um Sidónio Joaquim, uma Vilma Miriam, uma Eunice Alice e o resto deixo para o post, senão não tem graça!

    ResponderEliminar
  17. Nós não estamos a falar no futuro mas sim no presente. Não sei como serão os nomes do futuro.
    Quer queiramos quer não existem estereótipos para os nomes!
    Tatiana é muito usado pelas pessoas mais humildes (já que pobre pode ofender!) , tal como Jéssica, Soraia.
    Eu não detesto o nome por isso. Não gosto de Tatiana, mas gosto de Jéssica, e tenho mesmo muita pena que nomes como Melissa e Núria estejam a entrar nesse estereótipo de nome de pobre... Também tenho pena das pessoas serem preconceituosas e excluirem determinados nomes por serem nomes (para elas) de pobre...Como já ouvi pessoas dizerem "isso é nome de pobre" ou pior ainda "isso é nome de preto"...
    Não acho que as pessoas mais pobres tenham mau gosto por escolherem Tatiana ou Soraia ou Jéssica, ou Melissa ou Luana, aliás acho que têm muito bom gosto...
    Mas os nomes passam a ser mal vistos apenas porque são muito usados pelas pessoas pobres... apenas por isso! É a sociedade...
    E foi isso e apenas isso que quis dizer...
    Acho que as coisas bem explicadas não ofendem ninguém.

    ResponderEliminar
  18. Joana, não sou autoridade na matéria, mas o que quis dizer foram duas coisas muito diferentes. A primeira é que se estamos a falar do presente, Tatiana é um nome actualmente pouco escolhido, quer por ricos quer por pobres. Que por exemplo, Leonor, Beatriz, Madalena, Matilde,Salvador, Tomás, Santiago nomes que tradicionalmente se associam a classes altas, são muito mais escolhidos na actualidade por todas as classes sociais, nomeadamente nas mais baixas. Não tenho qualquer sombra de dúvida que se hoje fosses a um bairro social fazer a estatística dos nomes dos bebés que lá nasceram este ano, ias encontrar muito mais Matildes e Madalenas do que Vanessas, Jéssicas ou Tatianas.
    Como disse, não sou perita nem tenho dados que to possam provar, mas pelo que vejo no meu emprego (que é cuidar de recém nascidos todos os dias, de todas as classes sociais)até hoje só me apareceu uma Vanessa e nenhuma Tatiana! Se queres a minha sincera opinião, muitas famílias desfavorecidas acham que o facto de darem um nome pretensamente chique aos filhos faz com eles não caiam no tal estereótipo que falas. E por isso, nos dias de hoje, parece-me que não há essa diferença toda (como talvez houvesse quando éramos crianças). A segunda coisa, é que haver um estereótipo, reconhecer um estereótipo, na minha opinião só traz mais desigualdade, mais compartimentalização. Discutir assuntos, falar, explicar bem, é sempre bom e não ofende ninguém. A maneira como o dizemos, como o expressamos é que pode ofender. O "nome de pobre" não só é uma falácia, como pode mesmo ofender quem tenha um nome desses (não falo de mim, que até sou Cristina). Se em vez de Joana fosses Melissa Rebeca, se calhar não gostavas de ver alguém escrever num blogue que o teu nome era conotado como sendo "de pobre". Aqui não está em causa se isso é verdade ou não (até podia ser, eu acho que não, mas é só a minha opinião); o que está em causa é que o que tu escreveste pode mesmo ofender alguém, pode estigmatizar e isso não é bom. Pode ser só uma questão de semântica, mas às vezes com palavras que achamos inofensivas, podemos estar a ser menos simpáticos.
    Sei que não fizeste com intenção de ofender ninguém, mas como a Filipa alertou, isso pode acontecer, num blogue que abraça a diversidade, lido por muitas pessoas diferentes, com um interesse comum! Nomes!
    Desculpa se te ofendo a ti na minha tentativa de explicar o que acho, mas penso que vais compreender o que quis dizer. Que frontalidade não se pode confundir com outras coisas e que não é só o que se diz, mas a maneira como se diz que conta.
    De resto, peace and love, foi o meu último comentário sobre este assunto!
    PS- Andei na escola e trabalho com imensas pessoas de raça negra e desde o Élvis à Maria Leonor, passando pela Rosália, a Manuela e a Maria da Graça. Será que o estereótipo existe mesmo?

    ResponderEliminar
  19. Ni: não podia aplaudir mais o teu post! Joana: a mim, o que me saltou como sendo mais grosseiro foi mesmo o facto de gritares «nome de pobre», com a utilização das maiúsculas. Isto da net é uma coisa complicada, pois não estamos a ver a cara umas das outras, nem a expressividade que cada uma de nós empresta ao tom da voz. A Filipa tem tido condão de manter este blog isento de polémicas, onde reina, acima de tudo, a nossa paixão comum (este blog é o meu guilty pleasure).

    ResponderEliminar
  20. O escrever em maisculas pode ter sido mal interpretado...
    Eu apenas quis arrancar com um assunto que noto que é tabu, daí o ter escrito em maiusculas, foi uma forma de ser directa e sem papas na lingua.
    Ao menos falou-se do assunto, porque já tanto se falou em nomes "chiques", "betinhos", "de classe", fala-se de nomes "neutros" e porque razão nunca se falam dos "nomes de pobre" ou nomes parolos? Como quiserem chamar!
    Às vezes vejo post's sobre certos nomes (Leandro, Ruben, Jéssica, Soraia) onde as pessoas dizem: "Não gosto, ai não gosto mesmo, fora de questão"..."Fazem parte daqueles nomes que detesto mesmo" (são comentários que li )
    A maioria não gosta destes nomes!
    E parece que têm algum receio em dizer aquilo que realmente pensam dos nomes! Que são nomes parolos, de pobre, etc
    Só quis abordar um assunto TABU, acho que já faltava alguém sem papas na lingua ter a lata de falar sobre isto, assim a autora do blog não ofende ninguém, e falou-se sem tabus, surtiu efeito, óptimo!
    É sempre bom discutir saudavelmente! ;)

    ResponderEliminar
  21. Já agora mesmo nas pessoas nascidas nos anos 70 e 80 não sei até que ponto podemos dizer que com este nome os pais eram da classe X.

    Por exemplo eu conheço uma Mara Andrea que o irmão se chama Henrique, nascidos nos anos 70. E uma Liliana que o irmão se chama Dinis nascidos nos anos 80. A minha tia que em 1977 escolheu Andrea Lúcia para a filha era a mesma pessoa que em 1983 queria pôr Augusto ao filho (ficou João Augusto porque nasceu no dia do santo).

    Acho que até pode haver uma conotação de nomes de pobres, mas o que são pobres? Eu acho que há uns anos atrás se sentia uma grande diferença entre a classe mais favorecida ou seja mesmo o topo da hierarquia socioeconómica e os outros (acho que considerá-los todos pobres é demais, talvez seja melhor dizer que são todos povo). Actualmente acho que as diferenças são minimas, o que eu gostava mesmo de saber é se a classe de topo já percebeu que os nomes estão a ser usados por toda a gente e se já começou a usar outros nomes.

    Já agora mais uma coisa, no outro dia estava a ver o fórum do de mãe para mãe. E as futuras mamãs que estavam a dizer o nome dos filhos já me pareciam estar a fugir aos ditos nomes chique. Será impressão minha?

    ResponderEliminar
  22. Xoru, foi exatamente isso que quis frisar com o meu comentário anterior. Nos anos 70/80, usava-se outro tipo de nomes e ponto final. Hoje podemos olhar para eles e não gostar, mas na altura eram giros e, olhando para trás, tenho alguma dificuldade em determinar o "background" de um Ricardo, tal como hoje em dia não arrisco palpites sobre a condição financeira dos pais do Afonso.

    No Fórum de Mãe para Mãe ouve-se com alguma frequência nomes diferentes, mas também continuo a ver muitas Matildes (que é a minha aposta para 2012, atrás de Maria)...

    ResponderEliminar
  23. Puxa! Não sabia que em Portugal meu nome era nome de pobre... fiquei triste! =(
    No Brasil, Tatiana foi um nome muito comum na epoca me que nasci (1984), tanto que estudei com outras 4 Tatis. A variação TatianE também é comum, e eu odeio que me confundam! Sou com A! (risos)
    Aqui, os nomes com muitos y, L e N dobrados, H fora do lugar ou outras "inventíces" é que são considerados nome de pobre...

    ResponderEliminar
  24. Acho idiota dizerem que um nome é feio só porque está relacionado com a classe baixa. Aposto que se fosse um nome da moda já todos achariam lindissimo.
    Que gente tão idiota e preconceituosa!

    ResponderEliminar
  25. pares perfeitos mesma letra:

    TATIANA E TEODORA
    TATIANA E TÂNIA

    TATIANA E TIAGO
    TATIANA E TOMÉ

    ResponderEliminar
  26. Eu acho que a escolha dos nomes depende muito do gosto dos pais e não da sua classe social ou económica.O meu nome é Tatiana e pessoalmente nunca vivi num bairro social e a minha família é praticamente toda de classe média alta.
    Tatiana foi e é o nome de várias princesas como a Tatiana da Grécia ou a Tatiana Constantinovna da Rússia,é um nome cheio de história e tradição,
    já para não falar que não é muito comum.
    Não conheço muitas Tatianas mas das que conheço nenhuma vive em bairros sociais,nem passa dificuldades,portanto sinceramente nem sequer percebo de onde é que vem esse estigma de que Tatiana é nome de "pobre".
    Eu ainda estudo e podem ter a certeza que a maior parte dos meus colegas com menos recursos financeiros são os que têm nomes "finos" como Bernardo e Carmo.
    Eu compreendo o facto de não gostarem de um nome,pois cado um tem o seu próprio gosto,mas acho mal definirem um nome como parolo ou Bimbo,principalmente tendo em base a origem económica ou social da família.
    A sério que não percebi o facto de Tatiana ser um nome de bairro social,nem todos os pais "chiques" dão o nomes considerados "finos" aos filhos, e desculpem mas algumas das pessoas mais pobres que eu conheço têm nomes como Maria,Joana,Rita e Constança,enquanto por exemplo tenho amigas de infância que têm nomes como Jéssica ou ainda pior e no entanto têm pais advogados,médicos,engenheiros e até ministros.
    Claramente não pertencemos ao mesmo círculo social...

    ResponderEliminar
  27. Antes também colocava Tatiana no grupo das Jéssicas, Vanessas, Iaras, Soraias, Éricas etc.
    Graças à minha querida mãe, que adora ver a revista espanhola Hola, passei a separar Tatiana daquele grupinho que a mim sempre me vai dar vómitos. Tatiana já se safou, e devo dizer que hoje gosto. Associo mais à Rússia e Itália do que propriamente a bairros sociais. Não é por serem de bairros sociais que não gosto. São os próprios nomes em si, e quando associo um nome a outro que não gosto, dificilmente vou gostar dele.
    Bom, Tatiana faz agora parte da grande lista de nomes que gosto :)
    Parecido com Tatiana e que antes também não gostava (e agora gosto) é Viviana.

    ResponderEliminar
  28. sou empresária e o meu marido e engenheiro e vou ser mãe esta semana e tenho muito orgulho em dizer que a minha filha se chamara tatiana

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)