Os nomes e a escola

20.11.15


A nossa sobrinha Matilde ficou radiante com a notícia da minha gravidez, porque já há muito que nos pedia um priminho - com ênfase no género masculino! Depois de explodir de alegria [e de ter olhado desconfiadíssima para a bisavó, que entretanto ia dizendo que, se fosse menino, devia ter o nome do pai], veio até nós e resolveu dar-nos um conselho. "Antes de escolherem, têm de pensar em todas as rimas, para não ser gozado na escola!". Ela prometeu ajudar-nos e estou à espera da lista de nomes desaconselhados, mas temo que vá ser extensa... 
Os vossos filhos costumam queixar-se muito deste tipo de brincadeiras? 

7 comentários :

  1. Eu sendo uma Carolina (ainda em idade escolar) sempre fui uma entre muitas. Estes 3 anos de secundário foram os únicos de todo o meu percurso escolar em que não tive outras Carolina na minha turma, e mesmo sendo um nome extremamente popular, isso não poupou as tais brincadeiras feitas com o nome.
    Especialmente quando era mais pequena e usava saias e vestidos era impossível apresentar-me sem ouvir "A saia da Carolina" de seguida.
    Até os nomes mais populares como Maria, Carolina, Manuel, João tem dessas coisas a que na realidade ninguém dá grande importância... Nunca deixaria de dar um nome de que realmente gostasse a um filho meu por mais peliculiar que fosse ou devido às possíveis associações ou brincadeiras que com o tempo desvanecem. Teria sim atenção à forma de como o nome é soletrado, não é que em Portugal se tenha muito esse problema devido às regras que existem, mas tenho uma colega chamada Izabella (brasileira) que tem de corrigir o nome em todo o lado, inclusive documentos oficiais (especialmente na escola), porque o mais natural em Portugal é considerar-se Isabela.

    ResponderEliminar
  2. Todos os nomes são "gozáveis". Tinhamos um João e uma Mariana que eram gozadas, e infelizmente quando os miudos são um "alvo", nada escapa, nem mesmo o nome por mais banal que seja. E não há nome mais banal que João.

    ResponderEliminar
  3. Acho este tema um pouco suscetível pois facilmente com qualquer nome se faz uma rima... quando os miúdos querem brincar ou mesmo gozar uns com os outros simplesmente o fazem, seja pelo nome ou por outra coisa qualquer. O importante é que vocês (pais) adorem o nome e o achem o certo para a vossa criança.

    ResponderEliminar
  4. A minha experiência de mãe de 3 filhos, diz-me que o que é gozado é o miúdo em si (ou miúda, claro) e depois, o nome vem por arrastamento. Se quiserem gozar com um miúdo, qualquer coisa serve para rimar e/ou gozar. É surpreendente a capacidade que os miúdos têm de transformar um nome banal numa coisa qualquer completamente diferente. E aqui o que conta não é só o nome próprio mas sim o nome todo, ou seja, cada pessoa transporta consigo todo um manancial de possíveis rimas.

    ResponderEliminar
  5. Na altura da escola qualquer nome serve para gozarem às vezes nem é com o primeiro nome mas sim com o último. O meu filho é Rafael mas tem é problemas com as piadas do último nome. Às tantas as crianças acabam por se habituar e entram na brincadeira... O importante é darem um nome que ambos gostem. A minha bebé nasceu à três meses e só não pus o nome de Carolina por haverem muitas meninas com o mesmo nome, nem pensei na música eheh :). Felicidades e boa escolha ;)

    ResponderEliminar
  6. Não acredito que a Filipa vai dar importância a músicas e rimas. Nem parece seu...

    ResponderEliminar
  7. Eu não dou e é precisamente por isso que pergunto, não vá dar-se o caso de estar a ser demasiado displicente! Quando andava na escola, havia brincadeiras chatinhas mas que eram inofensivas; ainda assim, não me passou ao lado que a Matilde - que nem tem um nome muito dado a essas coisas - achasse que essa devia ser a maior das nossas preocupações! :)

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)