O primeiro nome a cair: Teresa

18.11.15


Quando comecei a criar a lista de possíveis nomes para o bebé que aí vem, achei que, apesar da minha resistência aos nomes populares, devia começar por deixar esse critério de lado e, numa primeira fase, incluí quatro nomes femininos que ficaram no top 100 de nomes mais registados em Portugal em 2014. Destes quatro, o mais popular era Teresa
Durante um par de horas, achei mesmo que Teresa era um dos fortes candidatos. Adoro o nome, gosto do diminutivo Teresinha e do hipocorístico Teté, e nem sequer é um nome muito popular, ainda que tenha ficado na 57.ª posição, graças aos 137 registos de que foi alvo no ano passado. Assim que o meu marido chegou a casa, perguntei-lhe, entusiasmada, se se imaginava pai de uma menina chamada Teresa e a resposta não se fez esperar: "Nem pensar!!!". Durante um milésimo de segundo, tentei perceber o que estaria por detrás daquela rejeição, mas ele fez questão de me esclarecer, acrescentando que a culpa era do Quim Barreiros. E, não satisfeito, começou a entoar o refrão de "O sorveteiro", rematando com outro "Nem pensar!", seguido de "escusas de sugerir Alice, porque também conheço uma música do género". 
Admito que fiquei ligeiramente furiosa. Eu, que tantas vezes digo aos leitores que passem por cima dessas brincadeiras, vi um nome fantástico a ser vetado pelo meu próprio marido por algo que eu nunca valorizaria, nunca! Pior: nas conversas entre amigos, sempre que alguém nos perguntava se já tínhamos pensado em nomes, ele apressava-se a assegurar que, para já, apenas tínhamos decidido que não seria Teresa, "por motivos óbvios". Casa de ferreiro, espeto de pau... 

19 comentários :

  1. Uma coisa que não gosto no nome Teresa é que, na prática, lemos "Tresa". Só para não teres muita pena :p

    ResponderEliminar

  2. As Teresas são mais que essas, Filipa. Tenho 3 amigos com Teresas pequeninas e são todas Maria Teresa, e chamadas de Teresinha. ;)

    O que a (muito longa, discutida, penosa) escolha de nomes para quatro filhos me ensinou foi isto: o nome de um filho não é (sempre? quase nunca?) o que escolheríamos se ele fosse só nosso. É uma construção a dois, como a própria criança. Eu vetei nomes que o meu marido adorava (João! a sério, com tanto nome maravilhoso, o homem quis chamar João ao filho?) e ele vetou outros meus com motivos que me tiraram do sério (Gaspar? mas tu sabes quem é o ministro das finanças? queres um filho com o nome dele?).

    Eu cedi nuns casos (o nosso filho mais velho tem o nome do meu irmão, e eu não queria repetir nomes de família; já me habituei e o miúdo adora ter o nome do tio). Ele cedeu noutros (desde que o conheço que queria uma filha Catarina; cedeu no nome da nossa filha porque eu lhe disse directamente "quero mesmo muito isto; além disso, é um nome caro aos meus pais e sei que ficariam muito felizes). E depois o bebé nasce e não poderia chamar-se de outra maneira. ;)

    (nasceram no meu círculo de amigas, nos últimos dias, uma Rosa e uma Isabel).

    ResponderEliminar
  3. Eu mudava de marido! :p
    Brincadeira. É importante respeitar os gostos e opiniões do outro, e escolher um nome que ambos gostem/adorem, mas riscar nomes por causa de coisas banais e superficiais parece-me já implicância. Se eu estivesse nessa situação de escolher o nome e visse que ele já estava a implicar, dizia "Então senta-te que eu escolho" :p

    Adoro Teresa! Se usasse seria como 2º nome, é um nome com tradição na minha família :)

    ResponderEliminar
  4. A minha tia chama-se Teresa e desde que era bebé até ao dia de hoje, que é adulta, que todos lhe chamam Teresinha, e até acho estranho quando alguém lhe chama Teresa (Eu que tenho uma aversão a diminuitivos adoro Teresinha). Quando um dia deste perguntei à minha avó como tinha escolhido o nome da minha mãe e da minha tia, ela respondeu que quem escolheu Teresa para a minha tia foina realidade o meu avô! Era o único nome de rapariga que ele fazia questão de usar numa filha por alguma razão que desconheço.

    ResponderEliminar
  5. Concordo com o que diz a mar. Se o filho fosse apenas nosso (ou do pai) o nome seria diferente do que acaba por ficar. No nosso caso, se fosse apenas meu seria Jaime ( que o pai vetou por causa de uma brincadeira parva - digam Jaime muito rápido e várias vezes seguidas e logo percebem) e se fosse pelo pai seria Ralph. Apesar de termos decidido que, se fosse menino seria a mãe a escolher, tínhamos um direito de veto caso não gostássemos mesmo do nome e, portanto, acabou por ficar isaac e agora não se podia chamar outra coisa. Com muita pena minha também não terei uma Guiomar, pois o pai detesta :(
    Quanto a Teresa, não ouço muito em meninas pequenas e ate acho surpreendente que esteja no top 100. Mas pela mesma lógica de ideias, o marido também havia de querer banir o Maria, não? :)

    ResponderEliminar
  6. Realmente, eu também digo "Tresa" :)
    Mar, é bem verdade, foram registadas quase tantas "Teresa" como "Maria Teresa"!
    Maria Pilar, depois de ver outros nomes que ele aprovou à primeira, só me apetecia renovar os votos de casamento, não divorciar-me :D Um dos nomes ainda está na lista, mas Lorena e Salomé também já foram postos de lado!
    Carolina, também tenho algumas tias que são tratadas por diminutivos e também me faz confusão tratá-las de outra forma!
    Sabi, Guiomar também ficou pelo caminho, com muita pena minha! :(

    ResponderEliminar
  7. Gosto muito de nome Teresa e de Tecas como diminutivo. Continue a postar sobre as vossas escolhas, beijinho (:

    ResponderEliminar
  8. Por aqui Teresa também foi vetado e pelo mesmo motivo. x

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Finalmente alguém que me compreende =) em minha defesa, estou a pensar no futuro escolar da criança =)

      Eliminar
  9. bem adoro Salomé e Guiomar, pena que tenham ficado de fora.

    ResponderEliminar
  10. Não acho a justificação muito plausível, pois o Quim Barreiros também tem uma sobre o "bacalhau" da Maria, mas pronto lol.

    ResponderEliminar
  11. Gosto de Teresa e acho-o elegante, mas não tenho pena que tenha caído. Nem Lorena e Salomé. Decerto existem muitas outras coisas boas nessa lista ^_^

    ResponderEliminar
  12. AMOOOO O NOME TERESA, É LINDO, INTEMPORAL, PERFEITO, INTERNACIONAL, CURTO E SIMPLES! SE TIVESSE TRES FILHAS A MAIS NOVA SERIA A MINHA TERESINHA <3
    OH FILIPA DESCULPE LA MAS SE É ESSE O CRITERIO A CRIANÇA NAO VAI TER NOME, HA MUSICAS E BRINCADEIRAS COM TO-DOS OS NOMES PELO AMOR DE DEUS. O BACALHAU DA MARIA, O BRIOCHE DA SOFIA, LUIS TIRA O DEDO DO NARIZ

    ResponderEliminar
  13. Tenho o mesmo problema q ele com Alice

    ResponderEliminar
  14. Teresa?? Já sigo o seu blog e fiquei chocada com essa possível escolha. Transmite ser uma pessoa de bom gosto, logo como admite teté?? Além de piroso, os diminutivos diminuem as pessoas

    ResponderEliminar
  15. Discordo em absoluto com a ideia de que os diminutivos "diminuem" as pessoas. Eu nunca me senti diminuída quando as pessoas que me são próximas me tratam carinhosamente por um diminutivo ou hipocorístico e não tenho - de todo! - esse objectivo quando trato pessoas que me são íntimas dessa forma!
    Também discordo com a ideia de que os diminutivos são pirosos, mas respeito a sua opinião! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro o nome Tereza, por aqui me chamam de Tetê, e nunca sofri na escola por causa dessa música idiota

      Eliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)