Breno

21.5.15


Bruno foi um dos nomes mais populares dos anos 80 e, em meados dos anos 90 rondava os dois mil registos anuais. Hoje, cenário é bem diferente [184 registos em 2014] mas ainda se ouve em meninos e Bruno está no top 50 de nomes mais registados em Portugal. Apesar de estarem separados apenas por uma letrinha, Breno não tem tradição absolutamente nenhuma em Portugal. 
Ao que tudo indica, Breno é um nome de origem galesa e significa "corvo". Chega-nos pelo latim Brennus, nome de um chefe gaulês que conquistou Roma e cujos atributos foram influenciando o significado que, por vezes, é apontado como "chefe". Da mesma forma, Bran, figura da mitologia Celta também ajudou acrescentar "rei" ao rol de significados veiculados. 
O nome chegou-me sempre por intermédio das novelas brasileiras e isso criou-me a ilusão de que, de certa forma, seria um nome frequente no Brasil, o que não parece corresponder à verdade. Usa-se, sim, mas não é um nome popular. Ainda assim, ficou na 39.ª posição no ranking relativo aos nomes mais registados no Estado de S. Paulo, em 2014, repetindo o resultado de 2013 e aparece na 65.ª posição do ranking elaborado pelo Baby Center do Brasil. 
A semelhança com Bruno acima mencionada poderia funcionar como um tónico para Breno mas parece-me que produz o efeito contrário, tornado-o mais estranho do que propriamente apelativo. Não o considero um mau nome, pelo contrário, tem uma sonoridade agradável, é fácil de pronunciar e de escrever e parece-me uma alternativa mais do que válida para aqueles que gostam de Bruno mas que o consideram demodé! 

8 comentários :

  1. Não gosto nada de Bruno mas achei Breno interessante. Existe o feminino Brena?

    ResponderEliminar
  2. Não desgostei mas nao pretendo usá-lo

    ResponderEliminar
  3. Não gosto nem de um, nem de outro.
    Mas a escolher... antes Bruno.

    ResponderEliminar
  4. Bruno é dos nomes que menos gosto... Por isso Breno para mim também não se safa, mas é melhor*

    ResponderEliminar
  5. Não aprecio o nome, mas também não o acho feio. É diferente, e acho que em Portugal seria recebido com estranheza e as pessoas iam acabar por chamá-lo de Bruno.

    ResponderEliminar
  6. Tenho um Breno nascido em 2007 e prefiro Breno a Bruno. No início, algumas pessoas pareciam não entender à primeira: Desculpe? Bruno? Não, Breno! Como? Moreno? Não, Breno! Lol! Mas hoje em dia não temos tido problemas e já ouvi uns poucos por cá. Daqui a algum tempo já não será um nome estranho. Também é importante estarmos abertos a algumas mudanças (aceitáveis). A cultura é importante mas ter, numa turma, 5 Marianas, 4 Marias, 2 Constanças e Franciscos , fora outros nomes igualmente comuns, já começa a ser estranho. No recreio há nomes que não se podem chamar sem sobrenome que vêm logo "15" crianças a correr ... Há formas de apostar na diferença sem, no entanto, fugir (muito) ao factor cultural! Com o tempo as pessoas habituam-se e até passam a gostar.

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)