Escolher o nome depois do parto

12.7.13


Lembram-se da minha priminha que está para nascer? Pois bem, a mamã já está no hospital e tudo indica que hoje será o grande dia. Ontem, serenamente sentada no cadeirão da sala-de-estar do meu avô, perguntava-me ela: é normal a bebé ainda não ter nome? Eu olhei-a, olhei para o barrigão e sorri... Sei de casos de pessoas que só conseguiram escolher o nome depois de verem a carinha do bebé, conheço quem tenha mudado de nome depois do parto e, portanto, acho normal. Aliás, conhecendo a minha prima, é perfeitamente normal, já que se trata, de longe, da pessoa mais indecisa que conheço e é a cara dela chegar ao dia antes do parto sem ter uma decisão final, até porque ela e o marido não estavam muito em sintonia quanto aos nomes e os que reuniram algum consenso talvez não sejam os preferidos de nenhum dos dois... 
Contudo, e conhecendo-a tão bem, aconselhei-a a chegar a casa e aproveitar as horas que restavam para tentarem, em conjunto, tomar a decisão, porque temo que, pressionada pela euforia do momento, ela acabe por decidir impulsivamente e que, mais tarde, se possa arrepender. 
Conhecem alguém que apenas tenha escolhido o nome depois do parto? 

26 comentários :

  1. O meu nome foi escolhido quando nasci! Até ao dia do meu nascimento os meus pais nem sabiam se eu ia ser menina ou menino. Tinham uma lista de alguns nomes preferidos, e só isso. O meu pai assistiu ao parto e, conta a minha mãe, que quando saí, ele disse logo "é uma menina, é a Rafaela!". E assim foi. Como o disse com tanto carinho e certeza, não havia como contradizê-lo. Mas o nome preferido da minha mãe era Carolina, ou Gonçalo se fosse rapaz.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Conheço uma menina que foi Mariana até ao dia do nascimento, assim que os pais viram a bebé passou a ser Inês, pois tinha mesmo carinha de Inês!

    ResponderEliminar
  3. Do meu primeiro filho o Benjamim já levávamos decidido o nome. Das gémeas também, são gémeas falsas, Aurora e Amélia, mas ao contrário do que alguns pais fazem não lhes demos os nomes logo na barriga, há pais que já sabem que a gémea do lado direito vai ser X e a do lado esquerdo Y. Quando nasceram, no quarto e já nos berços, pelas 6 da manhã, uma berrava desalmadamente e a outra dormia, foi aí que decidi. A Aurora ('amanhecer' pois claro, ainda hoje nunca depois das 7h!) e a Amélia respectivamente.

    ResponderEliminar
  4. Nós só escolhemos o nome depois do nascimento, até porque optámos por não saber se era menina ou menino. Tinhamos alguns nomes em mente, mas quando olhei para o nosso bebé não tive dúvidas do nome mais adequado :)

    margarida

    ResponderEliminar
  5. Pessoalmente não conheço... mas parece-me bom conselho para os indecisos, não tendo uma decisão única, que tenham um grupo de nomes possíveis, para não acontecer algo como a Filipa sugere...

    ResponderEliminar
  6. Eu vou ser indecisa de certeza, mas escolher após o nascimento está fora de questão.
    Quero escolher bem, uma escolha bem pensada, quero começar a chamar pelo nome já na barriga (dizem que eles depois reconhecem o som), para mim a escolha do nome significa a "existência" daquela pessoa e quero que isso aconteça antes do nascimento.
    Escolher o nome depois de ver a carinha é giro, mas as caras dos recém nascidos são todas iguais, não tem feições definidas, têm ar enrugado, cansado, são roxos ou transparentes, e podem ser muito, muito diferentes daquilo em que se vão tornar dali a 3 meses.

    ResponderEliminar
  7. Nunca conheci ninguém que ainda não tivesse o nome escolhido... Mas já ouvi falar de casos de pais que optam por ver a carinha do bebé.

    Não considero uma situação de todo descabida.

    ResponderEliminar
  8. A minha mãe também era (e continua a ser) muito indecisa. Quando nasceu a minha irmã, ela não tinha nome por dias!

    ResponderEliminar
  9. Antes de mais, parabéns! :) Espero que já tenha nascido e que tenha corrido tudo bem.

    Sinceramente, quando for a minha vez -embora ainda faltem muitos anos para isso :P - acho que prefira só escolher (ou pelo menos confirmar a escolha) depois do parto. Não sei, apesar dos bebés serem praticamente iguais acho que se pode escolher um nome na gravidez e depois o bebé não ter nada cara disso :P

    ResponderEliminar
  10. Dizem que o meu irmão já tinha 1 mês quando finalmente se decidiram por um nome!
    Não sei se hoje em dia isso ainda seria possível...

    ResponderEliminar
  11. É tipico em países nordicos isso acontecer. Os pais têm até 1 mês e meio se não estou em erro para colocar o nome da criança, até lá é o/a "bebé". Mas confesso que permite ter ideia da criança, houve uma das meninas que cuidei que era tão calma e tão "profunda" que decidiram chamá-la Alma.

    ResponderEliminar
  12. Concordo com a Mary, para mim era impensável...lol uma prima minha supostamente disse que só escolhia o nome depois do parto, e a bebe acabou por ficar com o nome da mãe...=S Não sei, eu meio que tenho a "superstição" que um nome influencia de alguma forma a personalidade e energia de uma pessoa, sei que muita gente acha um disparate,mas é o que acredito, e portanto iria querer decidir o nome antes. E quanto ao nome depois não combinar com a cara da criança, acho que não é bem assim...então num recém-nascido... mas claro é a minha opinião =)

    ResponderEliminar
  13. Eu fui registada no hospital com o nome "Girl" porque os meus pais demoraram 20 dias a escolherem o nome.

    ResponderEliminar
  14. A pequena Mariana nasceu ontem, ao início da noite! :)

    ResponderEliminar
  15. Parabéns à mãe e à restante família!


    Nome bonito! :)

    ResponderEliminar
  16. Parabéns! Depois de Maria Clara, Iria, Yasmin confesso que Mariana desiludiu um bocadinho :D Mas é bonito! ;)

    ResponderEliminar
  17. Parabéns!

    De facto, é menos "inusitado" do que pareceria ser, mas nomes populares também têm as suas vantagens... :)

    ResponderEliminar
  18. Bem, acho que corro o risco de isso acontecer comigo! Estou grávida de 5 meses, e já sei que é um menino... Mas entre mim e o pai da criança, a decisão está difícil, eu gosto de nomes menos comuns, Xavier, Jaime.. o pai gosta de nomes tradicionais portugueses, Manuel, António.
    Mas o que mais me chateia é o mundo inteiro a pressionar para saber o nome! Mas somos nós que decidimos e pronto, agora, espero que seja até ao dia do parto :)

    ResponderEliminar
  19. Devias aconselhá-la a visitar este blogue!

    ResponderEliminar
  20. Conheço, eu! :-)

    Primeira filha, o nome foi escolhido antes. Mafalda parecia perfeito. Depois de nascer eu só dizia, e agora??? Ela tem cara de Sara!!! E Sara foi um nome que nunca nos passou pela cabeça. Não tive coragem de mudar, pois já tinha tudo com o nome de Mafalda inscrito. Segunda filha, não não, esta só vai ter nome depois. Depois de nascer ainda esteve 3 dias sem nome e só eu e o pai podiamos dar palpites, uma vez que a Mafalda ainda não falava pois tinha 1 ano e 4 meses. Decidimos Inês. Agora a dias de nascer a terceira, continuamos com uma lista de 20 nomes. Sendo que os k o pai gosta a mãe não gosta :-S 3 nomes de consenso em raparigas é difícil. Deve ser mais fácil depois de ver a cara... Uma Joana não terá a mesma cara de uma Pilar :-)

    ResponderEliminar
  21. E já agora não tendo muito a ver com este assunto, nunca vos aconteceu gostar de um nome e o nome ser arrasado por alguém com aqueles comentários de adolescente? Carlota??? Carlota não pode ser porque rima com... Vai ser gozada... Pilar??? Pilar vem de ... não pode ser! Vai ser gozada na escola... E nós ficamos sem argumentos perante tal conversa a saber que na escola as coisas podem funcionar dessa maneira e que fica um nome giro arrasado porque numa fase das vidas as crianças dizem coisas tontas....

    ResponderEliminar
  22. Anya, no início da gravidez e a pedido dela, fiz uma lista, divida por estilos, popularidade, "se gostas de X, poderás gostar de y...". A lista correu a família, toda a gente colocou cruzinhas coloridas nos nomes preferidos e em pouco tempo, porque éramos muitos, quase todos os nomes estavam assinalados. Ela não gostava de nenhum!!! :)

    Rita, espero que consigam chegar a um consenso assim que olhem para a pequenita! :)
    Quanto aos argumentos contra esses nomes, alguns são muito válidos, outros nem tanto :)

    ResponderEliminar
  23. Escolhi o nome do segundo filho, menino, logo após o seu nascimento, ainda na sala de partos. Estávamos indecisos entre dois e, por conseguinte, optámos por escolher quando víssemos o seu rosto. Assim foi e não podia ter corrido melhor!
    Com o primeiro filho, uma menina, ficou decidido muito antes do parto, visto ser consensual logo após termos sabido o seu sexo.

    Parabéns pela qualidade do blog, Bárbara

    ResponderEliminar
  24. Flora e o nome da minha amiha

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)