O que pensa do seu nome?

8.4.14



O mês de Abril é especial por aqui, já que é altura de aniversário do blog!  Hoje vou re-publicar um dos meus posts preferidos, não tanto pelo que escrevi, mas pelos comentários fantásticos a que deu origem e convido todos os que ainda não comentaram a deixar a sua visão do seu nome! 


Sinto-me fascinada por todos os nomes, na generalidade, mas aquele que me é mais querido é, sem sombra de dúvidas, o meu. Apesar de já ter feito um post sobre o meu nome, vou tentar resumir: 

Quando me perguntam, digo que me chamo Filipa. É assim que me identifico, é a forma de tratamento com que me sinto serenamente confortável. Acho-o um nome bonito, absolutamente normal, que não me rotula, à partida. É um nome tradicional português, talvez menos internacional do que eu gostaria. Aprecio o facto de ser propício a diminutivos - também respondo com frequência a Lipa e a Pipa, e aos diminutivos dos diminutivos, Lipinha e Pipinha. Para o meu pai, sou quase sempre Ana Filipa, o que faz com que tenha muito carinho pelo conjunto. Profissionalmente, sou quase sempre Ana, que era o nome da minha bisavó. Acho-o muito doce e delicado e identifico-me com o seu significado - "graciosa". Acho que o meu nome se adapta a mim na perfeição: tenho a delicadeza da Ana e a diversão de Filipa.

Como é que vocês vêm o vosso nome? O que é que pensam dele?

152 comentários :

  1. Durante anos não gostei do meu nome. Preferia chamar-me Filipa ou Susana pq eram bastante raros aqui na minha zona. Quando fui para uma escola nova descobri que havia uma rapariga com os mesmos nomes que eu,mas que era sempre tratada pelo segundo. E aí pensei que talvez até achasse piada ao meu 2ºnome, Carolina. Agora tirando a família e os colegas de escola, há quem nem sequer imagine que o meu primeiro nome não é Carolina. Não aprecio diminutivos, mas muitas pessoas tratam-me por Carol e eu começo a habituar-me.

    ResponderEliminar
  2. Tenho um nome datado. Nunca poderei esconder a minha idade. Nem eu, nem as Susanas, as Sónias, as Sandras, as Patrícias. Anos 70 ou 80, sem apelo nem agravo. É o que me apraz dizer sobre o meu nome. Felizmente tem uma sonoridade que me agrada...

    (um) beijo de mulata

    ResponderEliminar
  3. Sempre gostei do meu nome. Do seu significado, sonoridade, do facto de ser reconhecível em várias línguas, e não obedecer a modas.

    ResponderEliminar
  4. Eu gosto do meu nome, Susana. E apesar de ser um bocado datado das décadas de 70 e 80, descobri que na realidade é um nome muito antigo. Portanto isto das modas associa com frequência informações incorrectas!

    ResponderEliminar
  5. Em pequena não apreciava muito o meu nome, muito por não conhecer Alexandra nenhuma com que me identificasse, eram todas pessoas "estranhas" e que eu achava que davam uma aura estranha ao meu nome.
    Depois a partir do Secundário comecei a gostar mais, assim do nada, e hoje não me via com outro nome (:

    ResponderEliminar
  6. Tive vários problemas com o meu nome na infância porque ninguém o sabia dizer correctamente e isso irritava me bastante, mas foi passando hoje acho piada ao facto de se enganarem e quando é assim digo o diminutivo e o problema esta resolvido.

    ResponderEliminar
  7. Quando era pequena gostava mto do meu nome Ana Célia, pk não conhecia mais nenhuma e pk não tinha Maria no nome, coisa que quase todas as raparigas tinham. Com a idade comecei a ñ gostar do nome Célia, nome pelo qual sempre me trataram na escola e no trabalho. Sempre que me perguntam o nome digo só Ana. Em casa sou Ana, ou Ana Célia, no trabalho Célia...mas já estou habituada e ñ mudava o meu nome.

    ResponderEliminar
  8. No meu caso há pouco tempo que gosto do meu nome. Nasci em 1990 e chamo-me Maria da Graça, um nome nada comum na altura, grande parte da minha vida achei que tinha nome de velha! e não percebia pq me o tinham escolhido, até porque a minha irmã mais velha se chama Vera Lúcia (um nome muito da moda na altura).

    Quando fui para a escola dizia a toda a gente que me chamava Maria, e muito raramente alguém usava o segundo nome, embora Maria não me satisfizesse completamente era melhor do que um nome duplo, isso aí é que seria mesmo de velha!

    Para complicar a minha situação a minha mãe odeia diminutivos, ou seja muito boa gente me tentou arranjar algum em criança mas a minha mãe não permitiu!Fiquei assim apenas Maria, na adolescência muitas vezes omiti o segundo nome, dizia que era SÓ Maria. Apenas quando começou uma vaga de Marias pequeninas é que comecei a pensar que talvez a minha mãe não tivesse sido antiquada mas sim visionária! Nunca tive na turma nenhuma Maria, só na Universidade uma Maria João.

    Agora para além de gostar muito do nome de Maria, também gosto de nunca me cruzar com nenhuma da minha idade, ou são muito mais velhas ou bem mais novas. Quanto ao Graça já não tenho vergonha nenhuma dele, vejo-o como um nome bonito e positivo e até acho que devia ser mais usado, no entanto pelo menos por agora não sinto que faça parte da minha identidade, sou a Maria.

    Para além disso na altura do secundário no meu grupo de amigos todos me começaram a tratar por Maggie, tlv por influência de filmes americanos, eu gosto porque me parece um excelente diminutivo de Maria da Graça. Quando a Mia é outro diminutivo recente dado por amigos e que também me agrada, sobretudo porque acho muito adequado a Maria, um nome tão comum e com tão poucos diminutivos conhecidos.

    ResponderEliminar
  9. Durante muitos anos não gostei de Dora, por não conhecer ninguém com o meu nome. Ao longo dos anos começou-se a enraizar na minha percepção que afinal não é assim tão mau, até não é assim tão invulgar. Nunca foi um nome particularmente da moda e hoje está também datado. Mas adequa-se a mim, sou uma pessoa descomplicada, simples, alegre e um pouco diferente.

    ResponderEliminar
  10. Só conheci Filipa qndo assisti a Operação Triunfo, na época me chamou tanta atenção q chamei minha mãe para ver q existia uma pessoa chamada "Filipa", por isso é um nome q associo imediatamente a Portugal, aqui no Brasil eu nunca conheci nenhuma, poderia ser um nome mais comum, mas acho q não vinga... Penso que as pessoas tem a mesma visão q os portugueses tem de Bruna, é um nome q combina mais no masculino.
    Eu gosto bastante de Ana Filipa :)

    ResponderEliminar
  11. Eu sou o caso dos dois nomes bonitos que não combinam...lol Gosto de Cristina e gosto de Sofia, mas Cristina Sofia?!!! Enfim...
    Nunca tive nenhuma colega na escola que fosse Cristina (uma ou outra Ana Cristina) e sempre gostei de me chamar assim. Já Sofia, até me esqueço que o sou... Ninguém me trata pelo 2º nome. Apesar de eu gostar do nome em si, Sofia não "é a minha cara"...Cristina Sofia só servia mesmo para ralharem comigo quando era pequena.
    De resto só Cristina e os seus múltiplos diminutivos: Cris, Ni, Nini, Caki, whatever.. Tininha é que não gosto mesmo, por isso geralmente quem me chama assim fá-lo a brincar!

    ResponderEliminar
  12. eu me Chamo Tayse, sou brasileira e aqui e� muito comum esses nomes que parecem de crian�a como larissa, camila, talita e outros.
    eu odeio meu nome, queria um nome como Aissatu ou Fatumata!

    ResponderEliminar
  13. Suponho que nos anos 90 o nome 'Joana' tenha estado na moda, pois conheço cerca de 15 pessoas da minha idade com o meu nome. Uma delas até partilha a data de nascimento! Pessoalmente, gosto dele, é... doce! Porém sinto-me tentada a chamar aos meus futuros filhos algo não tão simples, tão comum. Gosto muito de nomes como Fiona, Ísis, Mia, Lia e para rapaz, julgo que são mais comuns e doces, mas mesmo assim continuam sonantes: Afonso, Martim, Bernardo, Dinis. Gosto muito também de pensar em nomes em inglês, pois o meu sonho desde pequena é ir viver para inglaterra. Os meus prefiros são: Leo, Fiona (outra vez haha), Mason, Maisy, Leah, Adam

    ResponderEliminar
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  15. Francisca, hoje com 23 anos. Sempre me agradou o facto de ser única na turma (alturas em que haviam 6 Anas e 4 Márcias, por exemplo). Hoje já vão abundando. Miguel de 2º nome, que na minha infância tentei esconder por não gostar de ter um nome masculino. Hoje adoro.

    Curiosamente, a minha irmã 3 anos mais nova é Filipa, e como tal, tenho grande apreço pelo nome :)

    ResponderEliminar
  16. Francisca, esta semana estive à conversa com uma Alexandre... :D

    ResponderEliminar
  17. Olá. O meu nome é Felisbela, nasci em 77. Nunca foi um nome comum e certamente nunca o será.
    A maior parte das pessoas que conheço não conhece mais ninguém com o meu nome (excepto se lhes apresentar a minha mãe...lol).
    Na escola tinha Susanas, Sandras, Sónias, Cláudias e Danielas com fartura, mas nunca cruzei com ninguém com o meu nome. Por isso, achava-o estranho, até porque o segundo nome é Luís (sim, Felisbela Luís) e dizia à minha mãe que queria chamar-me Ana Rosa (LOL... para o que me havia de dar).
    Hoje, não trocaria o meu nome. Gosto imenso dele, em especial pelo facto do segundo nome masculino, e se pudesse, chamaria Felisbela a uma filha (mas acho confusão a mais, porque teria mãe e avó com o mesmo nome...).
    Acho que com o tempo passamos a identificar-nos com os nossos nomes e a gostar deles, nunca imaginando que nos podíamos chamar outra coisa! :)

    ResponderEliminar
  18. Felisbela, tive uma professora com esse nome! :D
    Pode sempre usar Felisbela numa filha como segundo nome, passaria a ser tradição familiar!

    ResponderEliminar
  19. Olá, Ana Filipa. Sei que vive no Norte, pelo que há sempre a possibilidade de ter sido a minha mãe, que é professora. :)

    A sugestão que me deixa é interessante mas tenho uma ideia fixa de não usar 2º nome em filhos meus... Quem sabe, mudo de ideias! :)

    ResponderEliminar
  20. Eu detesto o meu 1º e 2º nome, Vânia Raquel (os meus pais fizeram combinações muito infelizes), nasci em 84. Na minha turma da primária éramos 5 Vânias e havia também 6 meninos com o nome Hugo Miguel. No caso das Vânias a coisa resolveu-se chamando pelo segundo nome visto que nenhuma de nós tinha igual, no caso dos rapazes a solução foi chamar pelo sobrenome, assim ficou o Hugo, o Rodrigues, o Costa, o Silvestre, o Gaspar e o Correia.
    Já pensei em mudar o meu nome pois não me imagino com 40 ou 50 anos e chamar-me Vânia Raquel, nem a minha filha na escola a dizer que a mãe dela se chama Vânia Raquel... Enfim detesto o meu nome! Beijinhos
    PS: Só por curiosidade. O nome das minhas irmãs é Suse (penso que nunca falou neste nome) Paula, Nádia Sofia e Joana Marisa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho uma amiga mais velha com o mesmo nome e também não gosta da combinaçao mas nós tratamo-la por Vává!Fica giro.Há nomes piores.

      Eliminar
  21. Então o meu è Damaris no começo confesso que não gostava desse nome mais com o passar do tempo fui crescendo e aprendendo ao menos me acostumar...e agora não o acho um nome mtt estranho e acho bom o fato dos meus pais não terem escolhido um nome tão comum...:)

    ResponderEliminar
  22. Vânia, eu simpatizo muito com Raquel, acho que é um nome que merecia mais carinho :D
    Por curiosidade, as irmãs também reagem mal aos seus nomes? :)

    Damaris, como pronuncia o seu nome? Os "A" são abertos ou fechados?

    ResponderEliminar
  23. Nem Vânia nem Raquel, não gosto mesmo...
    As minhas irmãs também não gostam dos meus nomes. Curiosamente, a Suse e a Joana detestam o seu 2º nome, a Nádia há muitos anos que apenas usa e assina o 2º nomes, como disse os meus pais fizeram péssimas combinações!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  24. Gosto muito do meu 1ºnome, mas já não partilho essa opinião no 2º por ser bastante vulgar nas raparigas da minha geração (como 2º nome). Chamo-me Sara Alexandra mas era para me chamar Isís, nome que também gosto muito por ser invulgar. Sou chamada pelas mais variadas alcunhas (Sarita, Sarinha, Sarokas, etc.) mas a que mais gosto é Sarah, tanto como nome e alcunha, já cheguei a me registar em coisas com esse nome. O 'h' dá um toque diferente ao nome e combina com Alexandra.

    PS: O meu irmão chama-se Gil Alexandre, nome que é raríssimo mas que eu acho muito giro (já ele não partilha da mesma opinião hehe (: )

    ResponderEliminar
  25. Ola, eu chamo.me Madalena e desde sempre que adoro o meu nome, acho que me assenta que nem uma luva. Até ao meu 10ºano ano não tive nenhuma colega com o mesmo nome que eu, o que me fazia sentir especial e única, cheguei mesmo a pensar que era a única Madalena no mundo, porque não conhecia nenhuma. Hoje em dia, o nome Madalena já começa e ser mais ouvido, o que me deixa extremamente feliz. Graças a Deus tive a sorte de não ter nenhum 2º nome,pois penso que o meu nome já é tão grande e forte que não necessita de outro para o complementar. PS: Tenho uma irmã chamada Ana Rita(que odeia o nome Ana e usa apenas o Rita) e um irmão chamado João Diogo (usa apenas o nome João), a minha avó chama.se Bernardete (um nome nada comum, mas que eu adoro)

    ResponderEliminar
  26. Eu aprendi a gostar do meu nome, depois de ter andado em conflito interno com ele durante uns tempos. Chamo-me Maria e sempre gostei do nome em si embora não goste de alguns inconvenientes que lhe estão associados.
    Passo a explicar. Eu tenho o nome mais comum em Portugal, há vinte Marias onde quer que vá. Se me chamam na rua 9 em cada 10 vezes não me viro porque já sei que provavelmente não é comigo. Para agravar a questão nem 2º nome tenho, nada que me diferencie da multidão de outras Marias com que me cruzo. Aliás as minhas irmãs têm 2º nome chamam-se Luísa Maria e Francisca Maria então o nome nunca foi só "meu", porque os nossos pais arranjavam maneira de nos apresentar rapidamente aos amigos e conhecidos deles como "as três Marias" o que nos desagradava a todas. Na minha família nem costumamos usar diminutivos por isso não havia mesmo um factor distintivo. Nessa altura o meu sonho era chamar-me Maria Sofia, para ter o tão sonhado 2º nome e porque gostava e gosto do nome Sofia.

    Na escola era a mesma coisa, Maria em turmas onde tinha sempre mais duas ou três colegas com o mesmo nome. Aí não ter segundo nome era uma vantagem porque acabava por ser sempre eu que era tratada só por Maria, as outras ou eram Maria e o 2º nome ou só as tratavam pelo segundo nome.

    Por volta dos quinze anos, comecei a pensar que devia arranjar um diminutivo ou algo com que eu me identificasse mais. E a solução surgiu, três letrinhas apenas, Mia. E o nome pegou mas, na altura,só entre as minhas amigas íntimas.

    A faculdade foi mesmo o ponto de viragem. Apresentei-me como Mia e é assim que me tratam (excepto os professores, claro). Ninguém me chama Maria e até há pessoas que se não sabem se o meu nome de baptismo é Maria ou Mariana. O único inconveniente é que como a minha melhor amiga se chama Mariana, tem amigos fora da faculdade que tmb a tratam por Mia. Quando estamos juntas com eles se chamarem Mia e olhamos as duas. Por isso alguns chamam-lhe Miana (que eu acho um diminutivo super fofo para Mariana) ou Mi e chamam-me Mia. Ou chamam-me Mimia (ou seja a Mia da Mi) a mim e Mia a ela.

    Em casa tratam-me por Maria. Mas a sonoridade mais doce de Mia tem mais haver com a minha personalidade e eu tenho esperança que o diminutivo ainda pegue.

    Actualmente, adoro o meu nome não o mudava nada nem sequer punha Mia como nome próprio apesar de me sentir mto mais Mia que Maria tenho noção de que isso poderia não ser a melhor escolha em termos de futuro inclusive profissional. Adoro ter um nome tão bonito e tradicional e ao mesmo tempo conseguir torná-lo meu.

    Podemos não ter o nome que queríamos mas há sempre maneira de aprender a gostar do nome que temos.

    ResponderEliminar
  27. Sara, Madalena e Mia, obrigada pela partilha! :)
    E Mia, fico feliz por ter encontrado um diminutivo com que se identifica verdadeiramente!

    ResponderEliminar
  28. Eu chamo-me Maria Emanuel!
    Em pequena não gostava muito porque associava o nome Maria a nome de "velha". No meu percurso escolar até ao 12º só tive uma única colega da minha idade chamada Maria Manuel!
    També não achava muita piada ao segundo nome por ser masculino e a grade maioria das pessoas achar muito estranho!
    Eu tenho este nome porque a minha mãe fez uma promessa de que todos os seus filhos teriam nomes bíblicos (tenho uma irmã Lia Miguel e um irmão Tiago André), No meu caso fiquei Maria, porque a minha mãe adorava o nome e porque é nome de Nª Senhora e Emanuel porque significa "Deus connosco".
    AA minha foi uma gravidez de alto risco e o estúpido do médico disse que eu ia ser uma bebé de baixo peso e deficiente (nasci com 3750g e super saudável), por isso a minha mãe agarrou-se à fé e decidiu põr-me esse nome.
    A partir de certa altura passei a gostar muito e a ter muito orgulho do meu nome!
    É MUITO RARO ter notícia da existência de outra Maria Emanuel, e quando as pessoas estranham o meu nome eu digo o seu significado e as pessoas acabam por até gostar.
    Hoje em dia ainda ouço algumas pessoas a dizer... Que nome tão estranho (de uma forma um pouco depreciativa), mas já não ligo porque hoje em dia Amo o meu nome e não o trocava por nada!
    Gosto pela combinação de um nome tão tradicional e bonito com um nome masculino, mas acima de tudo gosto pelo seu significado!
    Por regra as únicas pessoas que compreendiam o alcance do meu nome à primeira eram pessoas extremamente eligiosas ou com actividades ligadas à igreja, como padres ou catequistas! Quando algum me dizia "que nome bonito, Emanuel significa Deus connosco" Eu ficava toda contente e dizia que era precisamente por isso que tinha esse nome!

    Sou tratada por Maria pela maioria das pessoas, Algumas gostam de me chamar pelos doisnomes e poucas me tratam por Emanuel, mas dou bem por qualquer uma das formas.
    Não gosto nada dos diminutivos de maria mais comuns como Mariazinha, mariazita ou Mariinha) Este último apesar de não gostar, acabei por me habituar a que um casal amigo da família me trate por ele, por força do hábito visto que eles carinhosamente me trataram assim desde pequena. Mas só permito se for aquele casal, porque de resto não suporto!

    O meu segundo nome dá muitas vezes origem a enganos do tipo chamarem-me maria Manuel, Manuela, Emanuela... Eu pacientemente repito, mas quando insistem em trocar-me o nome por um feminino eu vou-me aos arames! Sou Emanurl, não Emanuela!!!

    Estou grávida e apesar de hoje adorar o nome maria e estar na moda baptizar bebés marias não pretendo pô-lo à minha filha porque Eu sou Maria Emanuel, a minha mãe Maria José e a minha sogra Maria(não tem segundo nome) e eu acho que são marias a mais muito próximas... para além das primas Maria Miguel e Maria da conceição, Maria Raquel...

    Na família, apesar de haver muita marias eu sempre fui A Maria, porque todas as outras eram tratadas pelo segundo nome ou por diminutivo. Agora já tenho uma sogra que também é Maria e Sou egoísta no meu nome por isso não quero ter uma filha também tratada por maria, primeiro porque A Maria sempre fui eu, e segundo porque prefiro que a minha filha tenha identidade própria, que tenha um nome só dela (dentro dos possíveis).

    PEço desculpa pelo testamento, mas respondendo à pergunta resumidamente, ADORO O MEU NOME E NÃO O TROCAVA POR NADA DESTE MUNDO.
    E posso dizer que fui bem abençoada pelo nome que tenho... Posso dizer que em muitas situações complicadas(desde o meu nascimento), tive Deus comigo!

    ResponderEliminar
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  30. :-) se querem ouvir combinações estranhas ora aqui vai,o meu e o das minhas irmãs: Angela Marlene (1983); Gina Cardinal (1973) e Cláudia Margarida (1968).
    Acho que os meus pais não poderiam ser mais criativos!! lool
    Nunca gostei da combinação dos meus nomes Angela Marlene, sempre me senti pronta a integrar uma girls band ou uma banda de música pimba.
    Na escola, profissionalmente e para os amigos sou a Angela, em casa e vizinhos sou a Marlene. Por sorte não me chamam pelos 2 nomes conjuntamente, mas na universidade ganhei um 2 lugar para o "melhor nome da turma". Ganhou-me uma Sara Tatiana! :)
    Não gosto particularmente de nenhum dos meus nomes, mas convivo muito bem com eles. Sinto-me mais Angela mas tenho um grande carinho por Marlene, pois as pessoas me chamam assim, são aquelas que me conhecem desde pequenina e existem uma série de boas memórias associadas.
    Vivo em Malta e quando digo os meus 2 nomes (eles traduzem logo para o Inglês), todas as pessoas acham muito bonito e poético... a mim dá-me vontade de rir e explico que em Português é um combinação estranha!
    Ao contrário de muitas Marias, adoraria chamar-me Maria, como costumo dizer "Maria do nada" ou seja, apenas Maria. :)

    A minha irmã Claudia Margarida adora o nome e a minha irmã Gina Cardinal tem um ótimo sentido de humor e por isso, convive mto bem com este nome .. às vezes a diferença tb pode ser boa.

    A minha mãe chama-se Oleete e é escusado dizer que cartas das finanças, hospital, SS, etc nunca traz o nome correcto, geralmente chamam-lhe Odete. Em qq lado temos sempre que soletrar o nome. Para mim, nos tempos de escola era uma diversão e adorava ter que dizer: é com 2 ee seguintos. Perguntavam-me sempre: a tua mãe é estrangeira? :) Sempre adorei ter uma mãe Oleete!

    p.s.) os meus filhos terão apenas um nome próprio, para não correr riscos de imaginação familiar...

    ResponderEliminar
  31. Maria Emanuel nunca tinha ouvido, mas também gosto!
    Ângela, Cardinal é mesmo nome próprio? Hoje seria proibido!

    ResponderEliminar
  32. Sim, Cardinal é nome próprio. Os meus pais queriam ter colocado à minha irmã mais velha Claudia Cardinal, porque adoravam a atriz italiana Claudia Cardinale, mas em Portugal não foi possível registar. A minha irmã Gina Cardinal nasceu no Zimbabwe onde foi possível o registo.

    ResponderEliminar
  33. Nunca comentei o que penso do meu nome. Sempre gostei e gosto de Sónia. Sei que actualmente é um nome datado e tenho muita pena de já não nascerem Sónia(s), porque torna-o cada vez mais datado...

    Sempre gostei da sonoridade, forte, além disso é um nome pequeno... Se mudava alguma coisa era ter 2º nome, preferia não ter até porque nunca ouvi uma combinação com Sónia que me agrade verdadeiramente...

    Sónia, embora com grafias diferentes é um nome identificável em quase todas as línguas... e isso também me agrada...

    Acredito que o nome volte à ribalta, daqui a duas ou três décadas, quando a maioria das Sónia(s) começarem a ser pessoas mais velhas... Afinal nos top(s) que vimos o auge de Sónia foi em 1970, logo ainda tem de haver um grande tempo de esquecimento...

    ResponderEliminar
  34. Sónia, obrigada pelo testemunho! :D
    Ao escrever o post de ontem, de um momento para o outro, percebi que os nomes muito populares de hoje são muito, muito sisudos e que essa rigidez vai diminuindo à medida que vamos descendo no ranking... Os nomes da nossa geração eram, na generalidade, muito mais vibrantes e acho que isso é muito salutar, porque a meu ver reflecte a grandiosa abertura de horizontes que os nossos pais viveram e que deve ter sido absolutamente avassaladora. De um momento para o outro, mudou a forma como encaro esses nomes e acho que vou começar a fazer campanha a favor dos mesmos... ;D

    ResponderEliminar
  35. O meu nome é Vera e sempre gostei muito dele! Identifico-me perfeitamente com este nome, é pouco usado, pelo menos nunca tive nenhuma Vera na escola e conheço só uma. Não dá asas a diminutivos o que me agrada bastante. E felizmente os meus pais não me puseram o nome Vera Lúcia! Era para ser esse o nome mas depois mudaram para Vera Cristina. Não me agradava ser Lúcia porque Vera Lúcia é o que costumam chamar as Veras. No entanto também não gosto muito de Vera Cristina, não desgosto de Cristina mas a combinação não me agrada, assim como nenhum 2º nome para Vera. Acho que apesar de pequeno é um nome que fica bem sozinho. Já o meu irmão, é 15 anos mais novo que eu e fui eu que escolhi o nome dele, Francisco. Eu achava que não precisava de segundo nome mas os meus pais decidiram pôr Francisco Rafael. Ele ainda é pequeno mas sempre que diz o seu nome todo, nunca inclui o Rafael. Por isso, eu não sou muito a favor de segundos nomes..

    ResponderEliminar
  36. Olá!! Eu venho de uma familia que tem a "tradição" de colocar Ana no nome das meninas, eu fui a 6ª a nascer e saí... Ana Isabel... São dois nomes bonitos, até porque até eu gosto muito de Ana, mas os dois juntos... não corre bem!
    Sempre que me apresento a alguém, "... omeu nome é Ana."
    Não posso dizer que os meus pais tenham tido mau gosto, até porque em 28 anos de existência conheci umas 5 Ana Isabel, vá lá... Mas não me agrada a conjugação, pronto!

    ResponderEliminar
  37. ADORO O MEU NOME RAFAELA,É CHIQUE, ELEGANTE E RARO. É ISSO QUE FAZ DO MEU NOME, UM NOME ESPECIAL! MAS TAMBEM ADORO OUTROS NOMES, COMO POR EXEMPLO: BÁRBARA E BEATRIZ!;)

    ResponderEliminar
  38. Eu adoro o meu nome. Apesar de ser um tanto ou quanto popular não é enjoativo e, da minha idade, são raras as Franciscas. Tenho quase 20, ou seja, década de 90's, e nessa altura proliferavam Anas ...

    Na altura a minha mãe estava em dúvida entre Francisca e Matilde, mas acabou por escolher Francisca para contrariar o meu pai que odiava o nome.

    De qualquer das maneiras gosto mesmo muito do meu nome e gosto ainda mais porque não é nem estroglodita nem "da moda".

    ResponderEliminar
  39. Chamo-me Maria João . Gosto muito de Maria e muito de João acho que os dois juntos nao fica muito bonito , mas sinceramente não odeio . Eu ainda so tenho 12 anos .... ando no 7ºano ..... Bem vou dizer os nomes das pessoas da minha turma :
    Ana Benedita
    Ana Sofia
    Beatriz
    Bruno
    Catarina
    Carolina
    Diana
    Diogo
    Gonçalo
    Inês
    Jéssica
    João António
    João Pedro
    Jorge
    Lara
    Luis
    Maria João
    Maria Alexandra ´
    Paulo
    Pedro Nuno
    Ricardo
    Rui
    Sofia
    Sónia


    Eu para rapariga gosto de :
    - Mariana
    - Margarida
    - Leonor
    - Alice
    - Mel
    - Maria
    Para rapaz gosto de :
    - João
    - Rodrigo
    - Diogo
    - Francisco


    Eu desde a pouco tempo .... que ando com uma 'panca' por nomes ..... adorei o blog

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria João! Espero que apareças mais vezes, é sempre bom ler o ponto de vista dos mais jovens! :)

      Eliminar
  40. Olá, meu nome é Pabline!!
    Particularmente não conheço muitas pessoas com este nome. Na real hà pouco tempo conhecí duas na minha cidade Jataí - GO que fica no interior de Goiás, mas acho que meus pais fizeram uma ótima escolha. Com 18 anos agora, tenho mais amor pelo meu nome. Bom! Pelo menos nunca ouví ninguém dizendo que é um nome feio! Amei o Blog, e estarei visitando aqui mais vezes, sou casada e estou planejando ter um bebê, mas a primeira coisa a se pensar é o nome! Gosto muito de nomes compostos, se alguém tiver uma idéia e puder mandar! Agradeço, Abraços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pabline, para mim, é um nome mesmo muito raro, mas acho fofinho! :)

      Eliminar
    2. Meu segundo nome é Pabrini deve ser uma variação do seu e acho a coisa mais linda

      Eliminar
  41. Gosto muito do meu Maria Elisa. Mas em criança não gostava nada não fosse da geração das Anas qualquer coisa: Patricia, Filipa, Rita, Margarida, Sofia, Teresa, Maria...e das eternas Joanas.
    O meu nome era estranho demasiado vitoriano o que me dava um ar também estranho...
    Hoje gosto - Maria Elisa -numa versão mais formal e profissional ou Lisa dito pelos amigos comedores de letras.
    Se tivesse uma filha talvez escolhesse Maria Clara ou Maria Sofia.

    ResponderEliminar
  42. O meu nome é Chelsea. Nunca gostei. Não tem significado bonito e é muito datado. Fica num nível de popularidade em que não é um nome extremamente comum, e eu respondo ao ouvir "Chelsea!" mas nem sempre é para mim, pois há Chelseas bastantes da minha idade (nasci 1989).

    Mas quando fiz o meu intercâmbio em Portugal, todos me chamavam Chélcia, o que agrada mais que a pronúncia "certa", que é mais ou menos "Tchêlci". Fica muito melhor em português (mas ainda é proibido em Portugal, ahah).

    O meu segundo nome é extremamente raro, pronúncia-se "Íên". Escreve de outra maneira mas não vou dizer aqui. A minha mãe gostou do nome da sua amiga vietnamita, Yen, e soletrou do seu próprio jeito :|

    Em Portugal, recebi dos meus amigos o nome Chélcia Maria, e alguns apelidos também, pois *que horror* tenho apenas um, ahah.

    Agora quando alguém pergunta o meu primeiro nome, tenho sempre de parar e pensar, para dizer da maneira norte-americana/inglesa e não da maneira portuguesa. É estranho que essa versão do meu nome ficou assim metida na cabeça.

    (Ai, perdoem o meu português, já está a piorar imenso)

    ResponderEliminar
  43. Sou a típica Vera Lúcia. No entanto, se pensarmos no significado dos nomes sou uma "verdadeira luz". Como não gostar de um nome assim?

    ResponderEliminar
  44. Fui a primeira Luana a ser registada em portugal, segundo dizem os meus pais. Tenho de admitir que na primárias inada sofri, mas só um bocadinho e não me fez mal nenhum. É raro o dia em que não me digam que tenho um nome bonito ou que não me perguntem de onde vem. Todos se surpreendem quando digo que é de origem teutónica (mais para os lados da Alemanha) e não de origem africana ou brasileira, como muitos pensam. Quer dizer princesa guerreira. Foi o único nome em que os meus pais concordaram, e ao longo dos tempos fui sendo chamada de Lu, Lua, Lulu, Lukas e Lukinhas. Gosto muito do meu nome, é a minha cara!

    ResponderEliminar
  45. Eu chamo-me Maria João, tenho 25 anos e adoro o meu nome.
    Em criança não gostava nada, pois era sempre a única Maria da turma e tinha nome de rapaz.
    Ao longo dos anos fui aprendendo a gostar e hoje não me via com outro ;)

    ResponderEliminar
  46. O meu nome é Patrícia. Como o próprio nome denuncia nasci no príncipio dos anos 90. Sempre gostei imenso do meu nome, acho que é um nome conservador, mas com uma sonoridade e um significado muito bonito.
    O meu segundo nome é Alexandra. Nunca convivi muito bem com essa conjugação de nomes, Patrícia Alexandra. Na minha opinião são dois nomes muito bonitos, no entanto não funcionam bem em conjunto. Considero que essa combinação é uma combinação de nomes demasiado pesada, e não gosto muito dela. Se pudesse escolher chamar-me-ia apenas Patrícia, no entanto Patrícia Alexandra faz parte da minha identidade, e de quem eu sou, e assim, apesar de tudo, nunca mudaria o meu nome :)
    Parabéns pelo blog, está excelente!!

    ResponderEliminar
  47. Obrigada pelas partilhas mais recentes, gosto mesmo muito de ler o que pensam a respeito dos vossos nomes! Muito obrigada! :D

    ResponderEliminar
  48. Oii..... bom me chamo Rafaele, meu pai me disse que era pra ser Rafaela ,na hora de registrar escreveram errado e já era tarde...ai ficou Rafaele mesmo ,mas eu gosto do meu nome assim mesmo eae o que acham?????

    ResponderEliminar
  49. Olá! Antes de mais, parabéns pelo site e pelo trabalho e dedicação a ele.
    Comentando, desde que me lembro por gente, NUNCA gostei do meu nome, ainda hoje mantenho a opinião: ODEIO o meu nome. Na vida só conheci duas "Natércia"s e nunca sequer conheci nenhuma "Marli". Ambos nomes nada bonitos, na minha opinião, e a conjunção deles, muito menos. Na altura, a minha mãe estava grávida e diz ela que ouviu uma vez num programa na rádio, e lá gostou.
    Até hoje não sei o que lhe deu. Sei que se fosse rapaz, chamaria-me de Adérito! Mau gosto da minha mãe? Possivelmente!
    Só tive um diminutivo dado por amigos, "Naty", pior ainda! Hoje convivo naturalmente com o facto de não gostar do meu nome, pois sempre foi assim.
    Gosto de nomes como Ísis, Lia, Diego e Santiago.

    ResponderEliminar
  50. Rafaele, o seu nome é lido como Rafaeli? Intuitivamente, pensaria que se tratava de um nome masculino, mas isso é só porque não convivo muito com nomes femininos com essa terminação mas eu gosto muito do nome Rafaela!

    Sabia que Natércia é um anagrama de Caterina? :) E acho Marli fofinho :D Efectivamente não é das combinações mais bonitas que já ouvi mas o que importa é que lida bem com isso! :)

    ResponderEliminar
  51. Oi...

    meu nome é Ariadne , eu gosto porque é diferente, também gosto de Débora, Kevison,Ariel,Celeste.. Então ... Tdos nós devemos gostar dos nossos nomes , independente de qual seja :)

    Bjo grande , espero ter ajudado

    ResponderEliminar
  52. Meu nome é uma contração italiana para Giovanni e Carlo, o mesmo que João Carlos. Quando era mais novo me incomodava bastante por ter um nome não lusófono, mesmo apesar de ser 75% de origem italiana.
    Hoje gosto bastante do meu nome. É um nome clássico, elegante, do tipo que está e estará sempre por aí. Na Itália é considerado um nome velho, o que me faz gostá-lo ainda mais. Aqui no Brasil sofro um pouco com a escrita - tenho de soletrá-lo toda vez, mas já me acostumei.
    Se me fosse dado mudar de nome, não mudaria. Ninguém esquece de um Giancarlo :)

    ResponderEliminar
  53. O meu nome é Bruna Sofia, mas todos me tratam apenas por Bruna.
    Este 1º nome sempre me causou algumas dúvidas, pois há dias em que o acho o nome mais lindo do mundo e outros em que parece que é um nome um pouco masculino e agressivo. Já o nome Sofia... Não conheço muitas, e as que conheço são todas "estranhas", já para não dizer outra coisa.
    Não sei se já alguma vês falou do nome Tamara, mas se não, fica aqui a sugestão. :)

    ResponderEliminar
  54. Bruna, obrigada pela partilha! Quanto a Tamara, abordei-o recentemente:

    http://nomesportugueses.blogspot.pt/2013/05/tamara-tamar.html

    ResponderEliminar
  55. Eu já publiquei nesta mensagem, mas muito resumidamente e, por isso, vou fazê-lo outra vez.
    Eu gosto do meu nome e identifico-me com ele. Sei que é o MEU nome.
    Infelizmente, nasci com o desgosto de não ter um segundo nome. O meu pai queria um nome simples e que não desse trabalho a escrever. Por isso nasci com um nome que, com quatro letrinhas apenas, era perfeito. Na brincadeira, às vezes, a minha mãe chama-me Rita Margarida, mas, infelizmente, é só na brincadeira. Quem me dera chamar-me Rita Margarida.
    Voltando ao meu nome: Eu gosto dele! Tem uma teimosia infeliz. Talvez por Rita ser diminutivo de Margherita, tem a diversão de Margarida. Pensando melhor, acho que ficaria "muito divertida", se me chamasse Rita Margarida. Até gosto de ser só Rita.
    Para mim, Rita é "nome de líder" e, talvez também por isso, identifico-me com o nome.

    ResponderEliminar
  56. Que tal Marcela Cristina?

    ResponderEliminar
  57. oi boa tarde a todos meu nome e manuella e eu procurei meu nome para um trabalho escolar mas não achei por favor sera que sabe o significado do meu nome achei ate o nome da minha mae do meu pai dos meus irmãos menos o meu beijos por favor me responda e urgente beijos ops sera que pode ser ate quarta feira bjs!

    ResponderEliminar
  58. Manuella, o seu nome é a versão feminina de Manuel que, por sua vez, deriva de Emanuel e significa "Deus connosco".

    ResponderEliminar
  59. Patricia

    Eu adoro o meu nome, antes de eu nascer a minha mae estava indecisa entre Patricia e Helga, mas ela fez a escolha certa, Patricia, nome chique, bonito, nunca passa de moda, elegante, e unique! :)

    ResponderEliminar
  60. O meu nome é Ana Rita e nasci em 1985. Apesar de que sempre haviam 300 Anas e Ritas na escola, sempre fui a única Ana Rita da turma. O engraçado é que os meus pais sempre me chamaram Ana, o resto da família Ritinha (tenho uma prima Ana Catarina e outra Ana Margarida) e na escola, até à faculdade sempre fui Ana Rita. Como nunca gostei muito da combinaçäo, sempre preferi Rita e é assim que toda a gente me chama hoje (tirando os meus pais, que continuam com a teimosia de me chamar Ana).
    Vivo em Madrid e é muito engraçado porque os espanhóis näo entendem muito bem que Rita näo é diminutivo de Margarita, além de näo ser nada comum que o nome Ana seja apenas um primeiro nome.
    Gosto muito de Rita, agradeço ao meu pai por ter desde sempre uma paixäo por este nome, porque a minha mäe queria chamar-me Ana Rute, e Rute é um nome que sinceramente näo gosto nada(que me desculpem todas as Rutes!).

    ResponderEliminar
  61. Para não variar muito, eu também não gosto do meu nome. Mónica Susana (nascida em 84)! Foi escolha do meu padrinho que adorava uma Mónica Susana e não resistiu a impingir esse nome aos meus pais. Gosto de ambos os nomes em separado, mas não em conjunto acho que não funcionam. É uma combinação esquisita. Na faculdade um amigo uma vez chamou-me Kika e a coisa pegou, mas sempre que voltava a casa lá ouvia um "Mónica Susana, anda jantar" :(. Prefiro que me chamem Kika ou então Moni... Se tivesse sido a minha mãe a escolher ainda estava pior servida, parece que ela gostava de Cristiana Isabel... Enfim, cada um tem de aguentar o nome que lhe é atribuído...

    ResponderEliminar
  62. Confesso q no começo nao era muito chegada no meu nome pq faziam muita zuaçao cm ele mas hj eu gosto pq me sinto unika por e eh muito dificil me confundem. Mas muitas pesdoas nao falam ele certp falam: erika, engris, edna, egna. Ate minha mae fala egles sendo q eh Égres

    ResponderEliminar
  63. Eu sempre gostei do meu nome :) tambem sempre foi miuda de me darem diminutivos :) o que sempre gostei. O meu segundo nome já não lhe acho piada nenhuma... mas a junção dos dois não é má, até é sonante mas ninguém me trata por Vanessa... graças a Deus! :D

    ResponderEliminar
  64. Me chamo Letícia Beatriz, e particularmente me sinto privilegiada por ter esse nome. Minha irmã é Valéria Helena, e também gosto muito.

    ResponderEliminar
  65. Bruna Maria

    particulamennte odeiiio meu nome Bruna ate que gosto Nada contra mariia ate pq minha filha vai se chmar Mariia Fernanda MAis BRuuuna Mariiia??? q q meu pai tiiinha na cabeça?? se pelo menos combinace?? né? sou a favor de

    Bruna MAnnuela
    Brunna Marcyelle
    Brunna ELena
    MAriia Fernanda
    Graça
    Selena Beatriz
    Brunna Heloyza
    Bruna Isadora
    Carola Emmanuela


    MAis BRunna MAriiiiia ??




    PQ n MArina Mannuela Helloyza ou Helenna

    UM diia aiinda troco de nome ...
    NO cartoriiio

    ResponderEliminar
  66. Oi...
    Sou brasileira e meu nome é muito diferente, Gilmara... Pegaram o Gilm do meu pai (GILMAR) e o ara da minha mãe (JUSSARA), ai deu nisso... Demorei para gostar do meu nome, mas hoje, com 22 anos, acho que é mais exclusivo, VIP!
    Aliás, adorei esse blog!

    ResponderEliminar
  67. Me chamo Gaby e quase ninguém me chama de Morgana. E me incomodo muito com meu nome, pois, quando digo meu nome já pensam que sou arrogante por dizer apelido, como uma socialite!!hahaha ou tenho que explicar tooooda vez que não se trata de Gabriela, é Gaby mesmo... Quando era mais jovem detestava, e sonhava em ser chamada apenas de Morgana.Mas hoje em dia não me incomoda taaando assim, acho passo o mesmo que todos que tem nomes diferentes. Beijo!!

    ResponderEliminar
  68. Aliás, não achei meu nome no site... =/ acho que ninguém gosta dele! hahahahah

    ResponderEliminar
  69. O meu nome é Sara e gosto muito do meu nome. Acho bonito, elegante, curtinho... É um nome que vai continuando a aparecer, conheço uma Sara de todas as idades. Tem uma grande vantagem que é ser um nome muito internacional, deu-me muito jeito durante todos os anos que vivi no estrangeiro. Talvez por isso também para os meus filhos escolhi nomes internacionais. Não tem preço não ter que perder horas de vida a soletrar o nome!

    ResponderEliminar
  70. Olá a todos. É a primeira vez que estou a comentar o blog. No outro dia por brincadeira andava a ver nomes para quando tivesse um filho e vim aqui parar. Tem artigos muito interessantes.
    Nasci em 1989 e chamo-me Liliana Sofia. Sempre gostei do meu nome.
    1º porque nunca tive mais nenhuma Liliana na turma até ao 12º ano e eram raras as que andavam na escola. Numa altura em que proliferavam as Andreias e Vanessas era bom ter um nome diferente.
    2º porque tinha sempre nomes diferentes, em minha casa tratam-me por Liliana, a família do meu pai Lili e na escola era como calhava, algumas pessoas até me chamavam Li ou Lilas.
    Na faculdade é que foi pior porque apanhei mais duas colegas Lilianas no 2º ano que tinham repetido o ano, como elas já tinham diminutivos fixos Li e Lili eu tive de ficar Liliana mas olhava sempre que chamavam Lili.

    Também gosto muito do significado do nome, lírio que associo à beleza e à delicadeza.

    Quanto ao segundo nome Sofia foi um nome que sempre gostei, significa sabedoria e tem uma sonoridade agradável. Para além disso tem um significado importante pois foi escolhido pelo meu padrinho que já faleceu há alguns anos.

    Liliana Sofia é bem melhor a meu ver que Liliana Patrícia e Liliana Marisa e não o trocava por nada deste mundo. Um dia ainda vai ser um nome utilizado outra vez.

    ResponderEliminar
  71. Meu nome é Natasha , gosto dele pois é com s e não com c que é mais comum , mas não consigo achar seu significado me ajudem

    ResponderEliminar
  72. Bem, eu tenho dois nomes, como a maioria das pessoas, o primeiro é Larissa, e o segundo Cristine. Larissa Cristine. Não sei o que minha mãe tinha na cabeça quando me botou esse nome mas tudo bem. Eu até acho os dois nomes bonitos, mas juntos... NÃO! Tipo, parece que você está chamando duas pessoas diferentes.
    O sobrenome do resto da minha família é brasileiro. Um nome bem comum, eu acho, Pereira. Mas o meu sobrenome, devido ao lugar que nasci (Cheshire/Inglaterra), é Wolff, eu até curto ele, mas preferia com um 'f' só :)

    ResponderEliminar
  73. Minha mãe decidiu por o 1º nome e o 2º nome brasileiros, e o sobrenome britânico. Vai entender! Agora, parece que eu sou uma estranha, e sempre me perguntam pq eu não tenho o mesmo sobrenome do resto da minha família. Ai eu tenho que explicar que é porque minha família morava no Brasil, e tiveram que se mudar para Inglaterra, então minha mãe engravidou e trocou o sobrenome. :s Mas eu gostaria de ter Pereira no nome. Quer dizer, não sou brasileira, mas Pereira é melhor que Wolff

    ResponderEliminar
  74. O meu nome é Ana Isabel.
    Em pequena sempre detestei o meu nome, achava que era um nome de 'velha' e que era horrível. Para a minha família e amigos sobre fui Ana. Quando cheguei à escola, para me distinguirem das outras Anas chamavam-me sempre Ana Isabel.
    Agora, mais velha, comecei até a achar piada ao nome e a achar que tem uma certa classe.

    ResponderEliminar
  75. Nunca gostei do meu nome,alem de nao ser pratico(elisabete) nunca me ajustei a ele,parece o nome de uma estranha e nao o meu, va la que todos me chamam beta, que e um nome que ainda tolero, o engracado e que fui ver o significado do nome e nao me identifico com ele, desde pequenina que adorava que o meu nome fosse sofia, inclusive quando escrevia contos a personagem baseada em mim chamava sofia, o mais engracado e que descobri a pouco tempo que a minha mae antes de eu nascer queria dar me o nome de sofia, mas o meu pai venceu e fiquei elisabete, embora nao fosse um nome comum na epoca(1989),foi procurar o significado do nome sofia, e nao é que o significado tem tudo a ver com o que eu sou!

    ResponderEliminar
  76. Eu adoro o meu nome,Lígia.È um nome difícil de se encontrar,além de se confundirem com Lídia!Odeio que façam isso!!!Mas mesmo assim adoro o meu nome.
    Eu só queria pedir uma coisa para vocês,eu vou ter um irmão ou irmã,ainda nao sei,mas eu gostaria que vocês me ajudassem a achar um nome legal,mas que comesse com a letra "L"...Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá ;) meu nome também é Lígia ou melhor Maria Lígia e gosto muito...no início não conhecia ninguém com esse nome mas ao longo dos tempos tenho conhecido ( ao todo talvez umas 4 pessoas).Raramente, me chamam Maria só mesmo nas instituições...os meus colegas de trabalho gostam de me chamar Lígia Maria que dizem ficar melhor;).Quem escolheu meu nome foi minha mãe e ouviu nas novelas da época( anos 80).Nomes para o irmão ou irmã:Luz e Lucas.continua feliz com a escolha pois é pouco vulgar e nos sentimos únicas;).

      Eliminar
  77. Eu, como uma boa parte das pessoas que já comentaram, também sou um caso de "primeiro estranha-se, depois entranha-se".
    Chamo-me Nélia, e sempre fui a única não só nas turmas de que fiz parte, como na maioria das situações. Ao todo, sei da existência de umas 4 ou 5 Nélias, quase todas Nélia Cristina como eu, e também nascidas nos anos 80 e inícios dos 90.
    Como frequentei a escola primária na época em que havia uma tal vaca Cornélia na televisão, digamos que não foi muito agradável...mas, hoje em dia, até gosto bastante do meu nome e acho que os meus pais fizeram uma óptima escolha.

    Tenho duas irmãs mais velhas, a Lina Isabel (1976) e a Maria Lúcia (1979). Esta última sempre odiou chamar-se Maria e, até uma certa idade, ficava mesmo muito ofendida com quem a tratava por esse nome e não por Lúcia. Curiosamente, quando foi mãe, optou por dar o nome Alice à filha e, como queria pôr também um 2º nome e não achava nenhum que combinasse, acabou por ficar Alice Maria :)

    ResponderEliminar
  78. Eu me chamo Priscila, eu gosto do meu nome acho bonito e não super comum, não é um nome muito popular pois nunca tive uma colega de aula com o mesmo nome e particularmente acho lindo.

    ResponderEliminar
  79. Sou de 84 e chamo-me Mónica, durante a minha vida só conheci umas 4 Mónicas. Não gosto muito do meu nome, mas tb não odeio..a minha mãe ainda hoje adora!! O meu nome acho que nem conta neste blog..adoro não ter 2ºnome, acho que Mónica não combina com nada é um nome forte.

    ResponderEliminar
  80. Olá Mónica! Escrevi sobre o seu nome durante o ano passado :)
    http://nomesportugueses.blogspot.pt/2012/08/monica-ok-ou-ko.html

    ResponderEliminar
  81. Meu nome é Ramona (aqui no Brasil não é um nome muito comum). Sempre gostei do meu nome, acho diferente...especial.
    O curioso é que me casei com um Ramon, isso acaba gerando algumas piadas em torno dos nossos nomes, mas a gente se diverte.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  82. Primeiramente, parabéns pelo blog! É um paraíso para quem gosta de onomástica. Parece ser feito com muito carinho e cuidado.
    Não gosto do meu nome, principalmente por ser escrito com “y”. Contudo, não o odeio e nem o mudaria: foi o nome que meus pais escolheram pra mim, faz parte da minha identidade, é bem brasileiro... Sem falar que conheço pessoas com nomes bem mais “exóticos” que o meu (o povo brasileiro é muito criativo [rsrsrs]).
    As pessoas costumam me chamar de “Maya”. Sinceramente, também não gosto de “Maya”, mas não ligo que me chamem assim porque sei que é uma forma de carinho.

    ResponderEliminar
  83. Chamo me Inês Filipa (1987).
    Acho que nunca desgostei do meu primeiro nome, se bem que, tenho a certeza, que em dada altura da minha juventude me quis chamar Vanessa ou algo do género (credo! - perdoem-me as Vanessas deste mundo).
    Actualmente, Inês é-me mais caro ainda. É um nome tradicional (que agora se ouve muito) e que dificilmente passará de moda. Acrescente-se a lenda de Inês de Castro e tem-se uma historia para contar. O único senão é que não é, de todo, um nome facilmente pronunciável por estrageiros (contrariamente ao que intuitivamente eu pensaria).
    Já o Filipa não é de todo do meu agrado. Não acho que seja o pior nome a face da terra, mas não é um nome de que goste. Em parte este desamor deve-se ao facto de “Filipa” tanto ser fIlIpa, como fElipa ou ainda fLipa.
    Ainda assim há uma razão engraçada para este segundo nome: um primo que em consequência da irmã e outras amigas se chamarem filipa de segundo nome, na altura achava que todas as meninas se chamavam “qualquer-coisa” Filipa, pelo que eu me chamaria Inês Filipa. Acabou por pegar a graçola.
    Sei que se não fosse Inês teria sido Ana Rita.
    Obrigada Filipa pelo Blog que é muito interessante, bem-haja pela divulgação das ultimas listas de 2013, fiquei a saber que alem dos muito apreciados Marias e Beatrizes em lugares cimeiros, alguns dos meus nomes favoritos rondam actualmente os 30 registos ano (como Elisa, Álvaro, Emília, Amália, Aurora, Alice e Simone).
    Acrescento ainda que gosto muito de um dos meus apelidos, que em pequena detestava: Luís.

    ResponderEliminar
  84. O meu nome e Maria Raquel (1981) e gosto bastante de Raquel. Identifico-me com o nome. Não gostava muito da combinação com Maria, achava muito antigo. Na escola, tive colegas Maria de Lurdes, Maria Manuela, Maria das Dores e éramos todas tratadas pelo segundo nome. Quando me perguntam pelo nome, respondo sempre Raquel e omito o Maria, atualmente pouca gente sabe que o tenho. Na minha altura havia muitas Raqueis, tive muitas colegas homónimas, mas hoje em dia vejo menos. Talvez por isto seja mais a favor de um nome único em vez de dois, porque o outro e só para "combinar" e que não seja demasiado invulgar. Pode pegar bem mas também e triste viver a vida toda com um nome feio, difícil de pronunciar, difícil de escrever, ou que as pessoas trocam sempre. Hoje em dia também acho importante escolher nomes que se leiam bem no estrangeiro, para alem de portugueses somos cidadãos do mundo. Os acentos dão sempre problemas la fora.

    ResponderEliminar
  85. Chamo-me Rita, sou de 1993.

    Foi-mo dado em honra das minhas trisavós (parte da mãe e parte do pai) que se chamavam ambas Rita e por isso gosto dele. Associo-o a um nome antigo.

    No entanto, se pensar no nome em si, não ADOOOORO.
    Acho que não se adequa 100% à minha personalidade. É muito comum e há imensas Ritas, Ana Rita ou Rita Maria que lhes pedem para as tratarmos só por Rita (o que só aumenta a quantidade).
    Gostava de ter um nome menos comum e mais comprido. Acho que se pudesse escolher o meu nome seria Eduarda.

    ResponderEliminar
  86. Gosto do meu nome, acho muito bonito e me identifico muito com o significado dele. A unica coisa que não gosto é da sonoridade, acho que não soa fácil... tem que fazer uma forcinha pra falar Ingrid.

    ResponderEliminar
  87. eu gosto muito do meu nome RUI.
    Tenho este nome porque os meis pais queriam fugir de várias coisas:
    1- nomes compridos e complicados.
    2- nomes muito conotados socialmente na minha época (1974), sobretudo com nomes aristocráticos que eles tinham.

    Por isso optaram por un nome muito curto, muito português (existe apenas a versao galega (Roy) em Espanha e quase nao se utiliza). Rui é a diminuiçao medieval de Rodrigo mas un nome muito mais original e fácil.

    Sinto-me muito afortunado pelo nome que tive, sempre me apresentou bem, nacional e internacionalmente.

    Aliás, a propósito, gostava de comentar que Portugal deveria recuperar belissimos nomes antigos e simples e deixar esta moda ridicula dos franciscos, rodrigos, martins, matildes, etc. é um arrivismo claramente influenciado pelas novelas. Antes eram as soraias, agora sao os martins nas camadas mais desfavorecidas da sociedade.
    Venham os Joaquins, as Claras, as Isabeis etc etc.

    ResponderEliminar
  88. O meu nome é Ana Margarida e nasci em 1977. Sempre fui tratada apenas por Ana.
    Na minha infância conheci outras 3 Anas Margaridas que eram tratadas apenas por Margarida e como eu não gostava delas, também não gostava do nome Margarida. Além de o achar demasiado comprido e antigo.
    De Ana não gostava nem detestava; era apenas o meu nome, curtinho, e sempre gostei mais do diminuitivo Anita.
    Com a idade comecei a gostar de Margarida e, quando comecei a trabalhar, havia mais 2 Anas na empresa e decidi que era melhor chamarem-me Margarida para evitar confusões. E a partir daí passei a ser Margarida para todas as pessoas (exceto família e amigos de infância). E agora gosto muito do nome composto Ana Margarida.
    Entretanto, gostava de sugerir artigos sobre o nome da minha mãe, que adoro: Celeste.
    Nas mulheres mais velhas da minha família mais há alguns nomes incomuns que aproveito para divulgar:
    - Belmira
    - Olímpia
    - Ludovina
    - Gertrudes
    - Martinha

    ResponderEliminar
  89. Eu me chamo Liriane!! Amo meu nome rsrs acho lindo lindo e se tivesse uma filha com certeza teria meu nome
    mas já estou na segunda gestação e é outro menino
    Espero que minha irmã ou irmão tenham uma menina para por meu nome
    pois minha mãe pensou muito e foi bem criativa,
    para lembrar do meu pai todos os dias
    pois ele se chama Lirio e mora longe de mim..

    ResponderEliminar
  90. Olá, meu é Delma, eu adoro o meu nome, tem um significado interessante. Significa o Mar. É um nome bonito.

    ResponderEliminar
  91. Sandra
    Confesso que quando era miuda nao gostava muito do meu nome. Na primária erámos 3 Sandra's, Sandra Maria, Sandra Patrícia e Sandra Cristina (eu), e entao era sempre chamada pelo nome composto, o que nao me agradava.

    Desde que me lancei no mundo do trabalho, e especialmente agora, fora de protugal, que adoro o meu nome pelo facto de ser internacionalmente conhecido e muito fácil de pronunciar (excepto para os chineses claro).

    Gosto imenso do significado do nome - diminutivo de Alexandra, defensora da especie humana - cai que nem uma luva.

    ResponderEliminar
  92. Gosto do meu nome, porem nao existe definição ainda. Meu nome é Adriessa e é tão exclusivo ke as vezes uso um nome mais comum como Andressa, mas gosto da definição da Andressa
    ( "Robusta" ou "guerreira" ) sou assim msm por isso nao me importo ke todos ke me conhecem, inicialmente me chamem de Andressa, minha mae conseguiu um nome único p mim.kkk mas ja vi umas duas meninas mais nova ke eu com o msm nome pelo face...kem sabe um dia teremos definição própria..kkkkkk Mas gosto da ideia de ser uma "menina rara"..kkkbjus

    ResponderEliminar
  93. Meu nome é Marjorie. Sempre achava bonito porem um pouco estranho. Pq mihas amigas eram gabriella, ana, bruna, daiane...caroline e o meu? Marjorie.
    Mas dps que surgiram mais marjorie's comecei a amar. E todo mundo diz que meu nome é bonito. Nem me incomodo mais. Se tivesse outro nome e tivesse uma filha, colocaria Marjorie no nome dela haha.

    ResponderEliminar
  94. O meu nome é Ana Maurícia, e nasci em 91, na altura havia muitas Anas, mas mais ninguém com o nome igual ao meu. A parte chata do nome é que desde pequena que passo a vida a corrigir as outras pessoas, que teimam, em chamar-me Ana Maurício.:(
    Sem ser esse facto, é um nome bastante diferente e único de certa forma.

    ResponderEliminar
  95. amo o meu nome mas gostaria de saber o significado pois e bem diferente e Deusiquele.o bom e que eu sou unica.

    ResponderEliminar
  96. Nasci em 1992 e chamo-me Alexia Volkmann Sparkle, sempre sofri bullying porque diziam que Sparkle era nome de cachorro. Mas hoje reconheço que tenho um lindo nome.. E obrigado Papai e mamãe!, por me dar um nome lindo e com personalidade.

    ResponderEliminar
  97. Olá, sou chamada de Lizandra, eu tenho 29 anos e adoro meu nome.Estou grávida de uma menina (de 7 meses) e já tenho duas gêmeas pequeninas (6 anos), chamadas de Luma e Leonor. O pai, Luís Augusto, sugeriu-me por o nome de Lorena, por termos aderido a uma tradição de nomes com "L".

    ResponderEliminar
  98. O meu nome é Olívia Marie, pois tenho descendência britânica e irlandesa. Tenho 35 anos e sou casada com Lorenzo, temos 2 gêmeos e 1 maior, Valentina (10 anos), Flora e Vincent (Gêmeos de 3 anos). Aos meus 17 anos, conheci Lorenzo Vincent, casamos 5 anos depois, e, estávamos pensando em ter 3 filhos. Daí viciei-me em procurar nomes, e a casa pequenino meu vindo ao mundo, era escolhido a dedo um nome perfeito e com muito amor e carinho. Procurei controlar-me, pois tenho uma certa atração por nomes como: Benedito, Olavo e etc. Controlar-me quanto aos nomes, seria difícil, mas também não queria que meus pequeninos sofrecem bullying na escola e em outros lugares. Então pesquisamos e enfim, achei este maravilhoso site, e nele, foi escohido o nome dos meus 3 filhotes lindos!

    ResponderEliminar
  99. Meu nome é antiquíssimo, demora um pouco a ficar na moda na minha região; antes não gostava por ser muito antigo, atualmente não gosto por estar na moda e, em ambas as situações, por não estar de acordo com minha idade. Em outras palavras, um determinado nome que está na moda, na maioria das vezes trata-se de um nome secular. Estatisticamente falando, moda é o valor de ocorrência mais frequente, num conjunto de observações ou distribuição de frequência.

    ResponderEliminar
  100. Em primeiro lugar estou a explorar o blog e estou a adorar! Parabéns pelo trabalho e dedicação a este maravilhoso tema. Sempre gostei do meu nome, apesar de existirem tal como eu muitas jovens nascidas nos anos 90 de nome Catarina, sempre achei que era um nome bonito, delicado, intemporal, engraçado, fofinho. Gosto de anunciar o meu nome ao me conhecerem e sempre disse que se não me chamasse Catarina iria gostar de me chamar. Quando era pequena era conhecida como Catarina Andreia, nunca me senti muito feliz com a combinação e até hoje não simpatizo com o segundo nome, então comecei a utilizar o último que tanto como o primeiro é clássico, Luís.

    ResponderEliminar
  101. Meu nome é Marina e sempre gostei muito dele. Nunca tive muitos problemas, e não convivi com muitas Marinas na minha infância, mas sempre haviam Marianas. Também gosto do nome da minha irmã, Maísa.

    ResponderEliminar
  102. Chamo-me Bárbara e não conheço nome mais bonito :) algures nos meus 10 anos queria chamar-me Jessica!!!!! Nao era boa da cabeça. Tenho uma bebe de 4 meses e tive muita dificuldade em escolher o nome dela. Ficou Mia e adoro :) mas continuo a gostar mais do meu com o qual me identifico muito. A família trata-me por Babá e adoro e alguns amigos por Babi :)

    ResponderEliminar
  103. Chamo-me verónica

    gosto do meu nome, porque não é comum (nasci em 88)

    em todos os meus anos de escola só tive uma única colega verónica.

    Na minha freguesia tem mais 2 e mais novas do que eu.

    Gosto! um nome único para uma pessoa única.

    acho que nunca conseguiria ser Joana, Filipa, Ana ou Maria... porque são nomes muito comuns (pelo menos nos anos 90)

    se não fosse verónica, seria Nicole ou Madalena (outras escolhas da minha mãe). Se tivesse de escolher entre os 2 preferia Nicole, mas ainda prefiro mais o meu.

    o que não gosto muito é que é um pouco longo (8 letras, 4 sílabas)e não é muito dado a diminutivos.

    ResponderEliminar
  104. Chamo-me Cíntia e adoro o meu nome! Nunca vi nada sobre ele aqui!
    Nasci em 87 e esse nome era "incomum" em Portugal, por isso a minha mãe o escolheu, e hoje agradeço-lhe porque tem tudo o que é ideal num nome: não é demasiado comum, é fácil de dizer, é forte e marcante. Só conheci umas 3 até agora. Na escola fui sempre a única, e as minhas amigas invejavam o meu nome!!! :D

    Por isso decidi fazer o mesmo com a minha filha, de 7 anos, chama-se Violeta! ADORA ainda por cima é fã da personagem Violetta que agora faz furor, então nem imagina, na escola as amigas (Beatrizes, Leonores) também lhe invejam o nome!!! Heheheheh!

    Acho que é tão importante gostarmos do nosso nome, de certa forma faz parte da nossa auto estima ;)

    ResponderEliminar
  105. O meu nome é Catarina e tenho 14 anos, sou uma jovem assídua deste blogue.
    Nunca gostei muito do meu nome por ser muito comum, nunca tive a sorte de não ter uma Catarina na turma. Na pré éramos 6 só na mesma sala, na primária e no 2ºciclo éramos 2 e já que estou no 9ºano somos 3 Catarinas, quase toda a gente me chama Cata e á minha melhor amiga que também se chama Catarina é a katy. Como existem muitas Catarinas fiz de tudo para a minha prima não se chamar Catarina acabou por ficar Sara Catarina ( culpa minha, mas agora estou arrependida porque a minha vai crescer traumatizada). Apesar de tudo para aí, ás 2 memes comecei a ver que o meu nome até é bonito e farto de me procurar em que lugar do top estava o meu nome quando eu nasci (1999)

    ResponderEliminar
  106. Nasci em 84 e penso que o meu nome terá sido inspirado na minha bisavó. Pessoalmente, não conheço nenhuma outra rapariga da minha idade com o mesmo nome, o que, como outras leitoras já aqui descreveram, considero uma vantagem. Presta-se aos diminutivos Filó e Mena, que acolho sem problemas; mas continuo a preferir o nome completo, embora mais longo. Associa-se o apelido Xavier, agora muito comum como nome próprio, do qual muito me orgulho. Na escola, ainda me lembro de ouvir "Ó Filó, traz-me uma filhó!", mas isso não me incomodava. :) Profissionalmente, também considero vantajoso para mim ter um nome mais antigo. Confesso que não consigo imaginar uma bebé Filomena, mas gosto muito do meu nome.

    ResponderEliminar

  107. Chamo-me Mariana. Gosto muito. Tenho 34 anos, sempre fui a única em todo o lado, o nome não estava na moda quando nasci (e isso é bom; acho que não gostaria tanto do nome se o partilhasse sempre com mais 5 pessoas em cada lado).

    É um nome de família (de uma tia muito querida do meu pai). É o nome da minha mãe ao contrário (Ana Maria). E é um nome que remete para símbolos muito caros ao meu pai, o que me mostra que foi escolhido com muito carinho.

    ResponderEliminar
  108. Miriam, de 1987 - já fiz uma exposição sobre o assunto num post que falava sobre a necessidade ou não de uma lista de nomes admitidos. Não gosto muito do nome, mas também não gosto de nomes que tenham muitos i's. Quando era pequena detestava, queria chamar-me Aurora (como a Bela Adormecida). Penso que, para o meu "ódio" contribuiu o facto de, por ser um nome muito pouco comum, na altura, muita gente o dizer mal ou nem sequer fazer um esforço para perceber e pronunciar bem ( Miriã, Miríame, Míria e chegaram a chamar-me de Mirião). Numa fase andei a ver se pegava chamarem-me de Sara, pois era para ser o meu 2º nome ( mas o pai, à socapa da mãe, não registou e fiquei apenas com 1 nome próprio). Pelo meu pai teria sido Miriam Maria ou Maria Miriam ( até gosto desta última combinação, apesar de ser uma redundância). Hoje em dia, principalmente pela conjugação com o apelido, acho que tenho sorte no nome, pois normalmente as pessoas lembram-se dele :)Em quase todos os grupos onde me insiro, com o passar do tempo, passo a ser a Mi ou a Micas e confesso que gosto de Mi :) Também ainda é um nome que funciona bastante como início de conversa ( ajudando também aqui os apelidos), pois as pessoas ainda têm uma certa curiosidade, mas isso deverá desaparecer com a popularização dele.
    O moço cá de casa é Vítor Daniel - Vítor para os amigos ( ou, como alternativo, o apelido), Daniel para a família - e não gosto de nenhum, nem da combinação.

    ResponderEliminar
  109. Não vi nada sobre este nome, então não é admitido em Portugal. Na cidade em que moro, ou as pessoas não o conhecem ou não o apreciam, para mim tanto faz. Gosto dele exatamente pela exclusividade que me proporciona.

    ResponderEliminar
  110. Muito obrigada pelas partilhas mais recentes! ;)

    Catarina, não tenho dados relativos a 1999, mas no ano 2000, Catarina foi o 8.º nome feminino mais registado!
    Não sei se andam por aqui mais leitoras tão novinhas mas é óptimo saber que temos aqui outra geração! :)

    ResponderEliminar
  111. Eu sou Ana e adoro o meu nome.
    É simples e pequeno. É a minha cara.
    Não me importa o facto de existirem milhentas Anas. É irrelevante. Gosto do nome ao ponto de ponderar coloca-lo numa filha :)

    ResponderEliminar
  112. Nasci em 1988. O meu nome são dois nomes muito comuns em Portugal mas a combinação nem por isso. A minha mãe gostava muito de Miguel e o meu pai de João...a minha mãe negava-se a colocar-me João Miguel e para ficar com os dois nomes que eles gostavam fiquei Miguel João e ainda bem que assim foi, porque gosto mesmo muito do meu nome. E a maioria das pessoas chama-me pelos 2 nomes

    ResponderEliminar
  113. Eu tenho 11 anos, mas sempre vejo o blog. Sou do Brasil, mais precisamente no Rio Grande do Sul. Meu nome é Francieli. Quando minha mãe estava grávida, ela dizia um nome para meu pai e ele recusava, dizia e ele recusava. Então ele disse que eu ia me chamar Francine ou Francieli. Minha mãe escolheu a segunda opção. Também a prefiro. Não sou a maior fã do meu nome, mas apesar disso não o mudaria.

    ResponderEliminar
  114. Chamo-me Mariana. Considero clássico e elegante.

    ResponderEliminar
  115. Chamo-me Mariana. Sou brasileira, nascida em 1982. Quase fui uma Natália. Agradeço todos os dias por não ser Natália, nome típico dos anos 80, no Brasil. Mariana é um nome atemporal, clássico, elegante, nunca está fora de moda, nem totalmente em voga. Cá em casa, tratam-me por "Mana". Gosto muito deste meu nome, fácil de pronunciar, de fácil grafia, belo.

    ResponderEliminar
  116. Boa tarde.
    O meu nome é Carla Sofia. Nunca gostei de Carla, não sei bem porquê, soa-me vulgar.... (apesar de conhecer poucas carlas) e, ironia do destino, sendo o primeiro nome, sem ninguém perguntar a minha preferência, todos me chamam Carla(escola e trabalho)... Sofia, adoro. Acho um nome intlectual e ao mesmo tempo místico, não sei bem porquê. Se não fosse este o meu nome, daria este nome a uma filha minha! O meu marido e no seio familiar é o nome pelo qual sou tratada..
    Curioso que na minha aldeia natal todos me conhecem por Sofia, e quando entreguei os onvites de casamento (com Carla), houve muitos cometários sobre o facto de não saberem que o meu nome também era Carla.... Parece que me habituei à ideia... :)

    ResponderEliminar
  117. Maria Celeste disse:
    Na infância não gostava muito do meu nome, mas agora muitos anos se passaram e acho ele maravilhoso, pois Maria é sinônimo de pureza e Celeste é muito significativo. Obrigada aos meus pais.

    ResponderEliminar
  118. O meu nome é Margarida no entanto sempre fui tratada por Guida, em casa, na escola, por familiares, amigos, enfim, por toda a gente e esse passou a ser o "meu" nome, aquele com o qual me identifico e ao qual respondo instintivamente. Margarida era apenas o nome oficial que nunca era usado. por essa razão, não me identifico muito com ele, pois de certa forma é como se não fosse eu, pois eu sou a Guida. Esse é o problema dos diminutivos, pois passam a ser o nosso nome e fazem com que não nos identifiquemos com o nosso nome verdadeiro. Depois aconteceu que fui trabalhar para outra cidade, onde toda a gente me chamava, e chama, Margarida. Agora já estou mais habituada mas ainda é um pouco estranho, pois não pareço "eu", de certa forma é como se tivesse uma nova identidade... Durante toda a vida ouvi a história de que quando eu nasci o meu pai e a minha tia queriam muito que eu fosse Carolina, que era o nome da minha avó, mas a minha mãe para contrariar não quis e decidiu Margarida. Não desgosto, mas se pudesse ter escolhido escolhia Carolina.

    ResponderEliminar
  119. O meu nome não é, de todo, comum. quando era pequena não gostava, achava "nome de velha". Contudo, sempre amei os meus diminutivos: hj quase toda a gente me conhece por Cadina ou Ricas. Curiosamente, se tivesse um filho tmb lhe poria um nome diferente mas com um som não tão desgarrado quanto Ricardina.
    Só visito há pouco tempo este excelente blog, sendo assim, por curiosidade pergunto: já alguma vez abordaram o nome Ricardina?

    ResponderEliminar
  120. Ola eu amo o meu nome Lua!
    é invulgar eu sei mas é fofo e pequenino
    custa um bocado a habituar mas é super fofo se eu não tivesse este nome e se tivesse uma filha a minha filha chamava-se lua mas gosto de mariana!!

    ResponderEliminar
  121. Boa noite, antes demais quero dar-lhe os parabéns pelo blog! Bem, o meu nome é provavelmente dos mais incomuns: chamo-me Eliana Filipa, sim também me chamo Filipa. A minha mãe tem muita imaginação, até nem desgosto do meu primeiro nome, mas quando digo o meu nome, invariavelmente alguém confunde com Liliana,Liana e até Helena. Por isso é um bocado chato ter de estar sempre a repetir o meu nome. Curiosamente a minha mãe diz que se não me tivesse dado este nome me tinha chamado Diana ou Helena sem h.

    ResponderEliminar
  122. Me chamo Stella e amo meu nome. Me chamaria Odila, pois meu pai se chamava Odélio, mas minha irmã mais velha me salvou escolhendo Stella como nome para mim. Conheci poucas Stellas, mas três crianças conhecidas minhas já receberam este nome por minha causa. O significado também é lindo: estrela, luz. Quando adolescente, usava muitos acessórios de estrelas e sou presenteada com estrelas por amigos até hoje.

    ResponderEliminar
  123. Nunca gostei assim muito do meu nome, que é Maria Francisca. Preferia que fosse só Francisca, e fico sempre muito chateada quando me chamam Maria! Odeio! Apresento-me sempre dizendo que me chamo Francisca, só quando os meus professores me pedem o nome completo é que refiro o "Maria". Um dia estava a referir o meu nome completo a uma amiga minha, quando ela me disse : "Ah, então tu chamas-te Maria?!". É assim que eu prefiro, que as pessoas nem se lembrem que eu me chamo Maria :)

    ResponderEliminar
  124. Olá,eu chamo-me Ana Francisca e adoro o meu nome. Normalmente chamam-me Francisca, ou então Chica. Se um dia tivesse uma filha não me importava de lhe chamar Francisca. Já agora quero felicitá-la pelo blog e pedir-lhe que ,se podesse,fala-se mais sobre o nome Lucinda. Beijos.

    ResponderEliminar
  125. Chamo-me Joana e quando era pequenina não simpatizava muito com o meu nome mas comecei a apreciá-lo mais à medida que ia crescendo e agora até gosto bastante :) Por incrível que pareça não conheço muitas, e só tive uma Joana Filipa na turma quando andava no 5º ou 6º ano (nasci em 96). Eu como não tenho segundo nome era sempre a ''Joaninha''. No entanto a minha irmã mais nova (Catarina) chamava-me ''Jô'' quando era pequena e o diminutivo ficou até hoje.

    ResponderEliminar
  126. Em quanto pequena não era lá grande fã do meu nome pois sempre suscitou alcunhas alternativas, com o tempo tenho vindo a apreciar o nome cada vez mais, embora actualmente já se vejam algumas "Emas" por aí, em 86 tal não acontecia e era a única onde quer que fosse, chega a ser estranho qdo encontro uma "homónima" na rua, ouço o nome penso sempre que é para mim

    ResponderEliminar
  127. Nunca gostei muito do meu nome, achava-o muito comum, e sem nenhuma elegância, preferia algo como, Amélia, Aurora ou Isabel. Mas de um tempo pra cá tempo gostado muito do meu nome, Ana Carolina, acho Ana um nome muito doce, me identifico, e Carolina um nome forte, que também me identifico.

    E ainda acho que combina com o fato de que meu sobrenome tem 6 letras e 3 dessas são a letra A. Sendo assim sou uma Ana Carolina com orgulho.

    Não gosto do fato das variações para Ana serem tão feias (Anna, Ane, Anny, Annih) acho muito feio; pra mim nome tem que ser limpo de muitos enfeites, e Carolina sempre ser trocado por Caroline, acho horrível! Esse simples E muda toda a beleza do nome. Me parece que esse E deixa o nome menos ''chique'', elegante e fica muito pesado.

    Adoraria também ser uma Catarina Amália, Ingrid Alexandra, ou Mia Grace, mas ainda assim amo meu nome.

    ResponderEliminar
  128. Tenho três nome : Alexandra Antonieta Anastácia, todos muito compridos e fortes. Nunca aceitei muito bem esse fato, mas agora mo todos eles.

    ResponderEliminar
  129. Eu chamo me Daniela.
    Desde pequena que me tratam por este nome, apesar de ter um segundo nome, Filipa, que até gosto mais. Não gosto muito de Daniela, acho um pouco estranho não sei porquê. Mas agora já não me habituaria a que me tratassem por outro nome.

    ResponderEliminar
  130. Amo meu nome: Ana Sofia, e tenho uma irmã gêmea idêntica chamada Maria Antônia.

    O que acham de Maria Sofia?

    ResponderEliminar
  131. Gostei muito do Blog, mas ando perdida não encontro informações sobre o meu nome ou da minha filha, vou continuar!

    ResponderEliminar
  132. Gosto do meu nome mas nunca gostei de ser tratada pelos dois ao mesmo tempo, é como se Ana não fosse um nome por si só e sempre houve a necessidade de juntar o Filipa. Possivelmente por ser um nome tão comum, Ana. Mas a bem dizer, Filipa também é comum. Sou tratada pela maioria das pessoas por Filipa, a mãe e irmão trata-me por Ana. Os meus pais tiveram na dúvida entre o meu nome e Vera Lúcia. Gosto do nome mas é bastante usual.
    O meu irmão chama-se Bruno Miguel (nascido em 71) e sei que na altura pensaram tambem em Nuno.Ele adora o seu nome :)

    ResponderEliminar
  133. Em pequenina detestava o meu nome tentava esconder, dizia sempre que me chamava "Ana Sofia" e as pessoas chamavam-me assim. Sempre tive muitos nomes Anne ou Ana, Sophie ou Sofia, Anne-Sophie ou Ana Sofia e até a adolescência sempre preferi a versão portuguesa, faziam menos perguntas e sabiam pronunciar. Hoje adoro o meu nome em francês e acho que os meus pais foram muito inteligentes ao me darem um nome que era popular e bem aceite no inicio dos anos 90 tanto em Portugal como em França (dou graças por não me chamar Melanie ou Cindy). Isoladamente são dois nomes intemporais nas duas línguas, juntos são um nome da época em que nasci, é facilmente traduzível, é muito internacional. Desde de adolescência que sinto que em portugal ele tem tanto de diferente como de igual. Espero que a minha opinião ajude alguns pais emigrados que consultem este blogue.

    Ps. Adoro este blogue, sou uma fascinada por nomes e significados

    ResponderEliminar
  134. Chamo-me Anabela e quando era pequena detestava o meu nome e queria chamar-me Cristina. Mais tarde a minha paixão era Diana Filipa. Com o crescimento comecei a gostar do nome e não o trocaria por nenhuma das opções anteriores. Primeiro porque não era vulgar, muito menos na minha faixa etária (nasci em 79,onde abundavam as Sónias, Susanas, Andreias, etc., Anabelas, nem vê-las) e depois porque na família me chamavam Belinha para distinguir de todas as Bélitas que davam pelo nome de Isabel.
    Nota: quando era pequena dizia que a minha filha se chamaria Diana Filipa mas optei, acertadamente, por Mafalda e sim, foi graças a da banda desenhada.
    Nota 2: no que toca a nomes "dificeis" a madrinha do meu filho bate todos - Leopoldina da Encarnação - e não, não é velha, nasceu na década de 80.

    ResponderEliminar
  135. Meu nome é DANIELA.

    É a minha cara ! Prático, sem letras duplas, e com um significado lindo !

    Nome de origem hebraica cujo significado é :
    MEU JUIZ É DEUS.

    ResponderEliminar
  136. O meu nome é Sónia, nasci na década de 70 (a década dos "ésses"), claro, como todas as Sandras, Susanas, Saras e Sílvias que fui tendo como colegas de turma. Nunca gostei do meu nome porque o considerava um nome vulgar de novela. As pessoas sempre associaram este nome à novela "Gabriela, Cravo e Canela" em que a protagonista era a Sónia Braga. Embora eu tenha nascido antes da novela ser exibida em Portugal, ainda há pouco tempo que um senhor me disse: "Até admira como não é Sónia Gabriela".Sempre culpei os meus pais por me terem colocado este nome. Para agravar sou "só" Sónia, sem segundo nome, logo nem dá para optar pela 2.ª opção. Na escola só ficava um pouco mais aliviada quando tinha colegas que eram Sónia Maria e eu considerava que era bem pior do que ser "só" Sónia. Na altura, Maria era o nome das avós, não havia nenhuma adolescente que gostasse de ser Maria. Hoje já fiz as pazes com o meu nome mas continuo a dizer que deveria ter um segundo nome.
    A minha mãe chama-se Felisbela Maria e também não gosta do nome, diz que preferia ser Maria Felisbela para poder utilizar Maria

    ResponderEliminar
  137. Adoro os comentários das pessoas sobre os seus próprios nomes... =)

    Mariana agrada-me bastante. Apesar de ser muito utilizado, não estou sempre a cruzar-me com homónimas - devo ter sorte... Curiosamente, quando nasci (em 1990) só havia duas Marianas na minha zona: uma seis meses mais velha e outra com mais de oitenta anos XD Acho que ilustra muito bem a história da popularidade de "Mariana" em Portugal.

    A origem do nome é debatida. Há quem diga que é a contracção de "Maria" e "Ana" mas existe também uma teoria que defende que Mariana surgiu por ser a versão feminina de "Mariano", um nome romano que vem de "Marte".

    A minha querida mãe não gosta da maior parte dos nomes compostos (acho que ela abre excepção para Maria, João e afins). Segundo ela, "é uma futilidade porque, no fim de contas, só se usa um". Por isso nós, filhos, temos apenas um nome próprio. Até não era má ideia, não fosse o caso de o meu pai e o meu irmão terem o mesmo nome próprio, o que origina alguma confusão quando ela chama um deles XD Tem de acrescentar "pai" ou "filho"...

    ResponderEliminar
  138. Não sabia que era português! Vi esse nome uma vez em um filme (inception - é o nome da filha do protagonista) e no livro "anne of the island" Philippa Gordon é um personagem.

    ResponderEliminar
  139. Meu nome é Matias e me orgulho muito dele

    ResponderEliminar
  140. Era para ser Ana Luísa, contudo os meus pais decidiram escolher nomes de família, os das minhas avós. Eu adoro os meus 2 nomes: Luísa e Maria, mas se fosse Maria Luísa era muito melhor, os meus pais preferiram Luísa Maria e soa-me a "labrego". Assim sendo quando tenho de dizer o nome completo devo fazer uma cara tão horrorizada que toda a gente percebe que prefiro ser só Luísa :)

    Quando era miúda ficava toda chateada porque me trocavam o nome desde Lúcia, Luzia, Elisa, Heloísa, era tudo menos Luísa. Mas depois o nome tornou-se mais conhecido e já não há enganos :)

    Obrigada pelas partilhas, cheguei cá à pouco, mas já andei a cuscar e está um espetáculo :D

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  141. Meu nome é Bruna, apesar de ser bem comum gosto muito dele!

    ResponderEliminar
  142. O meu nome é Alice Maria e sinceramente adoro Alice ,acho chique e leve, quando era mais pequena detestava pois não conhecia ninguém da minha idade (sou de 2001) com o meu nome só idosas incluindo a minha avó que é Maria Alice onde amigos a tratam or Alice mas cá por casa é Maria, a mim todos me tratam por Alice menos a minha avó que por vezes me chama Maria. A minha irmã chama-se Clara Matilde mas todos a chamam de Matilde que sinceramente também não sou muito fã de nenhum dos nomes nem da combinação. Tenho também uma amiga cujo o nome é Maria Amal onde Amal é nome próprio e sinceramente gosto, é uma combinação que fica no ouvido,

    ResponderEliminar
  143. Sou Diana Sofia e tenho 20 anos! Sempre fui tratada só por Diana, mas em pequena não gostava muito, porque não conhecia mais nenhuma. Perguntava muitas vezes à minha mãe porque é que ela não tinha escolhido Beatriz. Agora, não me imagino com outro nome! Adoro o significado e a associação à princesa Diana de Gales.
    Em pequena, por vezes, a minha mãe chamava-me Didi, mas nada muito frequente. Na escola primária começaram a chamar-me Dia, mas depressa evoluiu para Di, que dura até hoje. O meu pai às vezes chama-me Nanocas, que eu detesto! Tive uma professora que me chamava Lady Di! Já fui Dicas e tenho algumas amigas que, por vezes me tratam por Didocas ou Didoquinhas, quando querem "engraxar" :D
    Sou apaixonada por nomes e acho que foi essa paixão e as pesquisas que fui fazendo que me fizeram gostar de Diana!

    ResponderEliminar
  144. O meu nome é Vânia Renata (nasci em 91). Para ser sincera, quando era adolescente queria mudar de nome porque a combinação é horrorosa e na altura não gostava de Renata. Actualmente gostava que fosse apenas Renata porque Vânia é difícil de pronunciar tanto como um nativo português como um estrangeiro. Tenho familiares que só me tratam por Renata. os meus nomes sempre foi alvo de gozo por parte dos colegas mas eu até me ria com a situação porque realmente a combinação é pavorosa.

    ResponderEliminar
  145. Antes de mais, muitos parabéns por este blog. Também tenho um fascínio por nomes e pelo seu significado.
    O meu nome não é muito comum. Chamo-me Silvana e nunca tive ninguém nem na turma, nem na faculdade. Sabia da existência de mais uma Silvana na mesma escola. Mas de resto, só muito recentemente é que comecei a cruzar-me com mais nomes iguais ao meu.
    Eu adoro o meu nome. Na altura o meu pai queria Silviana, mas em 87 o registo não permitiu e sugeriu o que tenho agora.
    Um dia, se tiver filhos também quero que tenham um nome pouco comum. Acho que é mais forte, que tem impacto nos outros e na relação com os outros. Concordam?

    ResponderEliminar
  146. Chamo-me Flávia (1991). Decisão do meu pai; minha mãe queria que eu me chamasse Marina. Mas sinceramente prefiro Flávia, nunca me imaginei nem de longe como Marina. Flávia não é um nome que eu considero espetácular ou belo, mas sempre me senti OK com ele. Aqui no Brasil Flávia é comum, mas tive a sorte de nunca conhecer outras Flávias nos tempos de escola e ensino médio. Minha primeira xará foi só na faculdade.

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)