Ontem a coisa aqueceu...

2.8.11


Os comentários de ontem levantaram questões diferentes e interessantíssimas e que nos podem levar a um debate ainda mais complexo:

  1. O que é considerado um nome estrangeiro? 
  2. Concordam com o uso de nomes com pronúncia estrangeira? 
  3. Concordam com o uso de nomes com grafia estrangeira? 
  4. Se passasse a ser autorizado o registo de todo e qualquer nome, utilizariam um nome estrangeiro?
  5. É possível ousar utilizando nomes nacionais?

Vamos lá argumentar...

15 comentários :

  1. Pois é, isto ontem aqueceu muito :P Respondendo às questões:

    1 - Considero um nome estrangeiro, todos os que têm grafias que não representam a ortografia portuguesa, e também considero aqueles que nem parecem estranhos a nível de fonia, quando existe um nome similar em português. Por exemplo, eu penso que Alina é mais português que Aline.


    2 - Embora não goste especialmente, não discordo que sejam utilizados. Mas espero que em Portugal, a maioria dos nomes continue a ter pronuncia portuguesa.

    3 - Concordo quando não existe alternativa com a mesma fonia em potuguês ou a alternativa parece um neologismo. Por exemplo, não concordo com o que se faz no Brasil, acho que cá se alguém quiser meter o nome Artur, deve escrevê-lo com a ortografia correcta. Agora se quiserem meter Kevin, considero que é um disparate por Quévin.

    4 - Não utilizaria por uma questão de gosto.

    5 - Acho que sim, até porque a recente monotonia, tem deixado muitos nomes num desuso brutal...

    Pronto é a minha opinião, mas acho que é tudo uma questão de hábito. Por exemplo, como desde miúda conheci uma Stela portuguesa, para mim é um nome completamente português. E a verdade é que na nossa ortografia o S e o T como parte da mesma sílaba não é comum, e há sempre a possibilidade de por Estela. Mas se fosse eu preferia Stela.

    ResponderEliminar
  2. Ontem para mim não aqueceu nada.

    Só se aqueceu para vocês.

    Não fiquei chateada em nada com a autora por gostar de nomes portugueses ou ditos portugueses, porque continuo a dizer não há nomes portugueses.

    Digam me nomes de origem portuguesa, depois é que fiqcam meios aportuguesados.

    E caras amigas com o nome Elaine, eu não estou a aportuguesar mas é assim que se pronuncia tal como se escreve.

    Posso lhes dizer que adoro o nome da minha filha e não me interessa minimamente se as pessoas gostam ou não.

    Elaine Bianca até tem um significado bem bonito luz brilhante, luz branca. Querem melhor significado do que este. Um filho é sempre uma luz nas nossas vidas...

    Obrigada.

    ResponderEliminar
  3. Se passasse a ser autorizado o registo de todo e qualquer nome, utilizariam um nome estrangeiro?

    Cara autora do blog,

    Como ontem eu disse há nomes bem piores na lista dos nomes admitidos cá em Portugal, eu utilizaria mil vezes um nome estrangeiro, tal como utilizei, Elaine, do que Cereja, Amor, Colete, Electra, QUIM, BIA, isso é nome de gente, para um ser humano.

    Acho que os Portugueses ainda não se acharam, porque criticam nomes bem bonitos, quando o vosso País e também que é o meu País aceita nomes ridículos, disto é que devemos ter vergonha.

    Deixo assim a minha opinião que é bem vincada e nada nem ninguém me consegue mudar de opinião.

    ResponderEliminar
  4. Abdénago
    Abdul
    Abelâmio
    Absalão
    Acúrsio
    Adorino
    Afra
    Afrânio
    Africana
    Africano
    Agonia
    Aidé
    Aixa
    Alcibíades
    Aliça
    Alivar
    Alma
    Amável
    Amós
    Ásia,
    Sulamita, etc, etc, etc

    Tantos nomes pirosos que são admitidos como atrás referidos...

    E que eu saiba também aqui em Portugal já autorizam alguns nomes estrangeiros tais como:Astrid,Janete, Jaqueline, Jéssica, Karen, kelly, Nanci, etc,etc.

    ResponderEliminar
  5. Bem afinal parece mesmo que isto aqueceu hmm...

    Em relação aos nomes ter origem portuguesa ou não, por essa mesma via não há nomes de origem francesa ou inglesa... A origem dos nomes, normalmente, vem do latim, grego, eslavo, hebraico, árabe... e eu não percebo nada de famílias linguísticas, nem sequer sei se posso chamar assim... mas claro que dessas línguas é que vem a origem dos nomes... Agora não me queiram convencer que Marie é tanto português como Maria... ambos têm a mesma origem, mas são nomes diferentes, em línguas modernas diferentes...

    Uma coisa é a pessoa querer pôr nomes estrangeiros, outra é dizer que não há nomes portugueses... Por exemplo, eu gosto mais do nome Giovanna do que Joana, mas sei bem que Joana é português e Giovanna é italiano e a origem é a mesma...

    Além disso, isto é um espaço de opiniões, logo há que respeitar as opiniões de todos... Afinal cada um pode escolher o nome que põe aos seus filhos...

    ResponderEliminar
  6. 1- Para mim são aqueles que ouço mais em pessoas de outros países do que no meu.

    2- Eu concordo, nada contra.

    3- Concordo tbm. Tem nomes que ficam muito estranhos em português e preferia não modificá-los.

    4- Bem, não moro em Portugal, então eu posso usar :) E usaria se morasse aí e pudesse, para mim os nomes mais bonitos são os Italianos, alguns gregos, só não gosto mto de nomes Americanos ou de língua inglesa (com exceções)

    5- Não sei se colocar o H após do T é ousar, se for, eu prefiro com o H intruso, sou ousada, rs... Thiago, Arthur, Thales...

    ResponderEliminar
  7. 1- pra mim um nome estrangeiro é tipo Emma, Ella. Nomes com Y e com K ainda são considerados nomes estrangeiros mas na minha opinião temos que começar a deixar essas letras entrar, pra mim é completamente estupido e desnecessário criar o nome Iasmin, e Quévin...


    2- qualquer nome deve ser pronunciado em português. E não vejo mal nenhum em pronunciar um nome "estrangeiro" em português. Eu até há pouco tempo cada vez que lia o nome Shiloh (filha da Angelina) pronunciava Xiló. Noutro dia descobri que a pronuncia inglesa é Xailó. E daí? Os dois soam-me bem, tanto a pronuncia inglesa como a portuguesa.

    3. Como eu já disse acima, grafia estrangeira pra mim é tipo Emma, Ella. De resto e como já temos as letras K e Y no alfabeto, temos que deixar de considerar Kévin, Yasmin, como nomes estrangeiros, e repito, é estupido Iasmin e Quévin. É preconceito. Para que raio inserimos Y e K no alfabeto se continuamos a ter tanto preconceito com essas letras?


    4. Como já disse, não sei bem o que é considerado um nome estrangeiro... Mas por exemplo, utilizaria sem problemas Emily.
    Pronunciando ÉMILI. E não não é a mesma coisa que Emilia.

    5- claro que é possivel ousar, é só ir á lista de nomes, mas não só é possivel ousar como em algumas casos é preciso ter mau gosto e coragem.


    Agora continuo a perguntar, o que são nomes estrangeiros???
    O que são nomes de origem portuguesa?
    Existem muito poucos nomes de origem portuguesa, a maioria tem origem LATINA, utilizando o exemplo de ontem, Evelyn, ou Eveline, tem a mesma origem, latina.
    São apenas duas versões do nome, no meio de muitas outras...Evelinne, Evelin, Evelynne, Eve-Lynn...

    Resumindo concordo com a utilização de qualquer nome , seja qual for a grafia, desde que com pronuncia portuguesa. Mas isso da pronuncia é decisão de cada um... Uma pessoa pode escolher um nome para o filho e pronunciar da forma que entender, isso já não cabe ao registo civil autorizar ou não..

    ResponderEliminar
  8. Eu ontem já disse que respeito a opinião de todos.

    E não há nomes portugueses, porque a origem não é portuguesa, nós é que os aportuguesamos, adaptamos para Português.

    E quando disse que não há nomes portugueses, não tem nada a ver por ter colocado um nome estrangeiro à minha filha.

    No outro dia ouvi uma conversa, não por ser cusca, mas porque estava inserida no grupo dessas pessoas, e até parece que não estamos no Século XXI, uma senhora disse que achava mal as pessoas colocarem nomes diferentes do que estamos habituados a ouvir, porque depois os miúdos na escola poderiam gozar a criança com nome diferente.

    Mas todos nós sabemos se os miúdos quiserem gozar não é pelo nome, mas sim por outro motivo qualquer, até pode ser por ser gordinho, magro, etc e até às vezes as crianças tem nomes bem vulgares e eles arranjam alcunhas entre eles.

    Acho que isso não serve de desculpa para não colocarmos nomes diferentes, até porque agora numa sala de aulas vai ser comum ter muitas BEATRIZES, MARIAS, MATILDES, etc e estas vão passar a ser conhecidas pelo Apelido.

    Antigamente as pessoas chamavam-se Gertrudes, Antonieta, Clementina, etc e ninguém que eu saiba gozavam com elas.

    Não sei porque agora surgiu este tipo de mentalidade absurda em não utilizar nomes diferentes daqueles que estamos habituados a ouvir.

    Enfim tenho pena que as pessoas pensem assim, porque assim o nosso País não chega ao patamar e ao mesmo nível que os outros Países, como a autora disse que não estamos no mesmo patamar que o Brasil, sendo assim nunca chegaremos mesmo...

    Depois não se queixem....

    ResponderEliminar
  9. Sim nisso concordo com a anónima ;) eu que até gosto muito do nome Leonor, acho que neste momento nunca meteria esse nome... Aliás o nome que gostava de meter numa filha é Bela, o que embora seja completamente português, acho que vai fazer torcer alguns narizes...

    E também não acho que um nome diferente seja motivo de gozo, a não ser que seja depreciativo, tive muitos colegas com nomes diferentes (nascer nos anos 80 e andar em escolas com muita população de origem africana foi um contributo importante) e nunca nenhum foi gozado...

    Mas acredito que esta vaga de nomes todos iguais está a começar a passar. No outro dia falava com uma grávida que me disse q tiver menina se chamará Ângela... acho que actualmente não conheço nenhuma com menos de 25 anos... Conheço mais umas 3 grávidas, quando as crianças começarem a nascer, eu aviso dos nomes postos ;)

    ResponderEliminar
  10. Isso de gozar com nomes diferentes, não tem nada a ver...
    Na escola vão gozar com qualquer nome que dê pra gozar seja ele vulgar ou invulgar.
    Quantas -anas não foram um dia bananas?
    E as bolacha Maria?..

    ResponderEliminar
  11. A modelo e apresentadora brasileira Isabella Fiorentino teve trigêmeos idênticos (q fofo!) Lorenzo, Bernardo e Nicholas.

    http://revistaquem.globo.com/Revista/Quem/0,,EMI253826-9531,00-ISABELLA+FIORENTINO+DA+A+LUZ+TRIGEMEOS.html

    ResponderEliminar
  12. Eu até acho que é bom as opiniões serem diferentes e as pessoas terem personalidades diferentes, para termos mais diversidade de coisas.

    E ainda bem Sónia e Deus queira que sim que a vaga de nomes iguais passe depressa, porque senão todas as crianças que nascem actualmente e que nasceram em anos recentes pareçam todas iguais, com os mesmos nomes.

    Parece que até em Portugal só existe esses nomes para colocar em crianças, quando há tantos nomes bonitos para colocar sejam eles estrangeiros ou portugueses.

    Acho que não é por um nome não ser "dito Português" que ele deixa de ser bonito ou não. Pois também existe muitos nomes "ditos Portugueses" que são bem feios.

    ResponderEliminar
  13. As minhas respostas às minhas perguntas:

    1. Nomes estrangeiros são aqueles cuja sonoridade é muito afastada da portuguesa: Ashley, William, Alejandro, Chiara, ...

    2. Concordo com o uso de nomes com pronúncia estrangeira sempre que não há equivalente em português: Filipa sim, Phillippa não.

    3. Concordo totalmente com a introdução das letras K, W e Y para nomes que se escrevem originalmente dessa forma. Não acho muito lógico passar a escrever-se Karla ou Vyktórya.

    4. Usaria um nome estrangeiro cuja pronuncia se assemelhasse à portuguesa. Não usaria Charlotte, Scarlett ou Schuyler.

    5. Defendo com unhas e dentes os nomes portugueses e não é preciso muito para ousar. Basta criatividade e bom senso!

    ResponderEliminar
  14. O meu blogger hoje está a dar erro e não consigo ver os comentários todos; ora aparecem uns, ora outros por isso estou a vê-los "às pinguinhas", portanto não se espantem com a ordem das minhas respostas :(

    Anónima mãe da Elaine: não sei se está habituada a que critiquem o nome da sua bebé, mas aqui ninguém o fez e obviamente não haveria motivo para chatice. Quando disse "aqueceu" foi porque havia pontos de vista diferentes! Não sou uma pessoa conflituosa e caso a coisa começasse a descambar, limitar-me-ia a fechar os comentários ao post. Se peguei no tema novamente é porque achei, de facto, interessante a discussão.

    Volto a afirmar que não sou contra a utilização de nomes estrangeiros mas por uma questão de gosto, prefiro os portugueses. E por aqui me fico.

    ResponderEliminar
  15. Poooiisss....
    1. Nomes verdadeiramente portugueses são pouquíssimos, Nuno, Viriato, Guiomar talvez... tal como o resto da linguagem portuguesa, os nomes "portugueses" acabam por ser aqueles que vieram para cá e acabaram por se modifcar e colar conforme a pronuncia e popularidade. Daí, p exemplo, o nome Tiago, que tem origens hebraicas: Ya'aqov. Passou para a versão latina Iacomus. Na península ibérbica, colou Jacó, Iago, e depois do Sant Iago resultaram os nomes tão tradicionais portugueses Tiago e Diogo (Diego em espanhol). Por outro lado, Iacomus transformou-se em Jacob e James na minha terra e serão sempre, para mim, nomes bem ingleses. Por isso, embora Tiago e James são equivalentes, um será sempre bem portugues e o outro ingles.

    2. Felizmente, todos na minha família têm nomes fáceis para os portugueses pronunciar, mas também nunca fariamos questão de exigir uma pronúncia "correcta" caso tivessemos nomes difíceis de pronunciar. Por outro lado, para o meu filho evitei escolher nomes cuja pronúncia fosse difícil em inglês/português embora gostava muito deles. Por exemplo, tive de por à parte o nome João, porque a minha família inglesa iria ter muitas dificuldades com a pronúncia, idem nomes britãnicos como Seamus e Ralph.

    3. Não tenho nada particularmente contra o uso de nomes com grafia estrangeira, até porque sou estrangeira e é me importante que o nome do meu filho reflicta a sua dupla nacionalidade. Mas, e isto é um grande MAS, não o daria um nome estrangeiro que não refectisse a minha cultura. Nunca considerava usar um nome como Matteo ou Oksana, por mais bonitos que sejam, por serem obviamente nomes italianos, russos, etc...

    4. Hmmm, acho que essa pergunta não se aplica à mim, nem à minha situação :D

    5. Sem dúvida, e acho que é o caminho mais interessante a seguir! Adorava que mais mães portuguesas escolhessem esta opção. Há nomes muito engraçados que soam imediatamente lusos e originais ao mesmo tempo. Gosto bem de Augusto, Dinis, Corália, Lázaro, Gil, Benícia, Tomé, Mécia, Vasco, Raúl, Aida, Avelina, entre outros!

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)