Ordem dos apelidos... Que tal um sorteio?

4.7.18


Hoje regressamos novamente à questão da ordem dos apelidos, porque li um relato que despertou a minha atenção. Nasceram, prematuramente, os gémeos do líder do partido espanhol Podemos, Pablo Iglesias, e da sua mulher, Irene Montero. Um dos meninos chama-se Leo, o outro Manuel, e em relação à ordem dos apelidos, Pablo partilhou o seguinte: 

 "Lo hemos sorteado y ha salido Iglesias. Creo que no es justo que alguien se apellide porque sí como se apellida el padre. Creo que eso lo deben decidir el padre y la madre libremente. Y, en este caso, nosotros optamos por el sorteo, que nos parecía la fórmula más sensata en este caso", explicó. "A partir de ahí, los nombres los elige Irene", añadió.  

Vocês seriam capazes de pôr em prática esta solução de compromisso? E, em caso afirmativo, acham que repetiriam o processo a cada nascimento - o que poderia levar a que os nomes dos irmãos estivessem ordenados de forma diferente - ou seria um único e definitivo sorteio? 

20 comentários :

  1. Eu lembrei-me de outra forma para a atribuição dos apelidos ser mais justa,colocá-los por ordem alfabética e, se possível, ligados por um hífen. Assim, ao menos, os apelidos dos irmãos estão pela mesma ordem e são valorizados os dois como um.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, e como resultado daqui a uns anos só haveria apelidos começados por A e B! Além disso, na terceira geração já não se conseguiam ler os nomes com a quantidade de hífens.

      Eliminar
  2. Antepassados:Carolina e Vicente o único filho Vicente teve o último sobrenome do pai e o último da mãe.Minha sobrinha tem os 2 sobrenome da mãe e o 2 do pai!Meu tio morreu e não teve filhos!Se eu tivesse filhos colocaria meu 2°nome e o segundo do meu futuro marido,meu último sobrenome é comum

    ResponderEliminar
  3. Acho uma solução justa sem haver nenhum a "puxar a brasa à sua sardinha", como se costuma dizer. No caso de terem mais filhos, devem seguir a mesma ordem dos sobrenomes, caso contrário vai soar estranho terem apelidos diferentes sendo filhos do mesmo pai e da mesma mãe.
    Tenho um caso na família em que o pai, tendo dois sobrenomes, atribuiu um aos dois primeiros filhos e escolheu o outro para o filho mais novo mas o sobrenome materno foi o mesmo para os três filhos. Isso para mim nunca fez sentido e acho que devia ser igual para todos.
    E tocando neste assunto de atribuir sobrenomes, coloco uma questão. Regra geral as pessoas ganham sobrenomes dos dois progenitores. No caso de virem a ter um filho, preferem atribuir o sobrenome dado pelo vosso pai? Ou escolhem apenas o que acham mais "bonito"?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu falo por mim, tenho 4 apelidos/sobrenomes e aquele com que me identifico é com o 1º (Monteiro), e é mesmo esse que vou passar. Para mim não faz sentido passar o último "por tradição". Ou eu gosto dele e me faz sentido passá-lo, ou então não passo "só porque sim". :)

      Eliminar
  4. Eu sou da opinião que não interessa muito se o último apelido é da mãe ou do pai, para mim o que importa é o nome ficar bonito no seu todo e soar bem com os apelidos.
    Até seria capaz de fazer um sorteio caso a ordem me agradasse das duas formas, mas sinceramente não me vejo a fazer isso; não gosto de deixar à sorte uma coisa que para mim é tão "séria". Iria antes pensar bastante e tentar escolher a ordem que me soasse melhor. Mas claro que cada família adopta a estratégia que achar melhor para si, e nesse caso mencionado achei justa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo MP o que importa é que fique sonoro e não por tradição!

      Eliminar
  5. Acho a ideia do sorteio bastante pertinente :) Por cá decidimos pelo que soava melhor... Eu detesto o meu apelido e gosto bastante do do meu marido. Ele nao morre de amores pelo apelido dele e preferia que pusessemos o meu "primeiro" apelido (o apelido da minha mae, germanico) como último apelido, ou seja, como apelido principal. Estando nos a viver em Portugal, na altura, achei que nao fazia sentido e entao optamos pelo apelido da minha mae, seguido do apelido do meu sogro, que era a combinacao que soava melhor. Agora viemos para um pais germanico, teria mais sentido termos optado pela opcao do meu marido, para nao ter de estar sempre a soletrar... Num segundo filho, vamos manter a ordem, pois seria estranho ter os dois irmaos com apelidos diferentes.

    ResponderEliminar
  6. Pessoalmente, não faço muita questão que os filhos tenham o meu apelido como último nome (por múltiplas razões). Acho que só o preferia caso o apelido do pai fosse um nome que não gostasse de todo.
    Contudo, uma vez li um artigo sobre como escolher qual o apelido dos filhos e o casal resolveu esse problema dando às meninas o apelido do pai e aos meninos o apelido da mãe. Deram apelidos diferentes aos filhos exatamente porque a mãe manteve o seu apelido depois do casamento e "sentia-se de parte" por ser a única com um apelido diferente. Penso que tenha sido uma boa solução para o problema em questão.
    Também conheço pessoas que têm o apelido do pai mas são conhecidos e usam socialmente entre amigos o apelido da mãe por ser mais "distinto".
    Assim, acho que se deve escolher a ordem dos apelidos pela que ficar melhor.

    ResponderEliminar
  7. Não deixa de ser engraçado a diversidade de opiniões, também neste assunto :)
    Eu sou mulher e filha única e adoro o meu apelido, daí nunca ter ponderado "perdê-lo" com o casamento. Sempre senti muita pena por saber que não iria perdurar, por não ter irmãos homens. Então decidi que gostava que (um dos meus) filhos tivesse o meu apelido em último. Expliquei a questão ao meu marido, que concordou. Mas também entendi que não era "justo" que o dele também não perdurasse. Então decidimos que seria um de cada vez :) A nossa primeira filha ficou com o apelido do pai em último e o bebe que vem a caminho (rapaz) ficará com o meu :) Isso faz com que os dois irmãos tenham apelidos diferentes, o que não me choca minimamente e até acho engraçado, sobretudo porque já está decidido que o segundo nome da nossa filha será o mesmo do irmão :) Portanto, terão a mesmo segundo nome, mas apelidos diferentes - bem, iguais mas por ordem inversa...

    Já agora aproveito para pedir a vossa sugestão de Pares Perfeitos para o irmão da menina Dulce que aí vem :)

    Obrigada desde já :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohhh! Muitos parabéns madeMOIselle, que boa notícia! :) Vou pensar em sugestões e depois volto cá! :)

      Eliminar
    2. Obrigada Filipa :)

      Já agora... deixo o meu Top5:
      Júlio
      Marcelo
      Camilo
      Caetano
      Gonzaga

      e o Top5 do pai:
      Teodoro
      António
      Júlio
      Manuel
      Marcelo

      Eliminar
    3. Parabéns pelo menino :)

      Acho os pares Dulce & Caetano e Dulce & Teodoro muito giros!

      Eliminar
    4. Dulce e Duarte, Dulce e David, Dulce e Gil.

      Eliminar
    5. Já que os dois têm Marcelo na lista, seria a minha primeira opção! Dulce & Marcelo parece-me mesmo muito bem! No mesmo estilo de nomes, pensei em Augusto & Leonel!

      Eliminar
    6. Ah, que listas de nomes masculinos refrescantes! Adoro Camilo, Teodoro, Gonzaga e Marcelo!

      Eliminar
  8. Bom vocês têm dois nomes que os dois gostam:Marcelo e Júlio!
    Também gosto de Dulce e Teodoro!

    ResponderEliminar
  9. Acho que cada um faz como lhe apetece. Eu como sou prática: um da mãe e outro do pai, para todos os filhos. Já me basta o lado espanhol e o apelido da mãe em último e o do pai em primeiro e etc. Gostava de ler um post sobre nomes de pais que combinam com nomes de filhos. Ou não.

    ResponderEliminar
  10. Ora por aqui decidi euzinha Da Silva que a minha filha só teria um apelido e com o pai já tínhamos decidido apenas um primeiro nome. O pai foi contra a decisão de só ter o apelido dele. Mas aqui em França tratam nos pelo primeiro último nome e não queria a minha filha ser chamada de mademoiselle Oliveira quando deve ser tratada por De Castro. Sem contar que aqui se se casa com um português fica com os dois nomes do marido tb! Uma tremenda palhaçada! Eu casei em Portugal e optei não ter o último nome do meu marido mas mesmo assim como aqui todos teem o nome do marido a segurança social pôs me com os dois apelidos do meu marido pra eu já tinha dois e tenho dois primeiros nomes imaginem lá como me chamo aqui 😔😔

    ResponderEliminar
  11. No meu caso, o meu marido concordou logo que o último apelido fosse o meu por causa da sonoridade e harmonia da combinação. O apelido dele + o meu apelido (por último) fica muito melhor do que ao contrário. Até porque temos sobrenomes fortes e incomuns. Não sei se muitos pais pensam nisso ou consideram um factor importante, nós pensamos que sim, afinal é algo para a vida inteira e mudar de nome tem custos.

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)