Mudança do nome
- Leitura recomendada -

2.2.17


No decorrer do ano de 2016, houve cerca de 700 portugueses que decidiram mudar o seu nome, de acordo com esta notícia veiculada pela SIC. A mudança, que terá de obedecer às regras do Código do Registo Civil e tem um custo de 200 euros, implica um processo de fundamentação, como explica Joana Flores, Conservadora adjunta da Conservatória dos Registos Centrais:

"Em relação aos apelidos, a pessoa tem que provar que esse nome corresponde ao apelido da linha materna ou paterna. Para alterar o nome, os requerentes têm de fazer um requerimento a solicitar autorização e invocar os motivos para a sua decisão". 

Em 2013, já aqui conversamos sobre a possibilidade de mudarmos o nosso nome e sobre a nossa reacção à mudança de nome de alguém próximo, mas já passou tanto tempo que vale a pena voltar ao assunto: imaginam-se capazes de mudar o vosso nome? 

16 comentários :

  1. Filipa, penso muito nisso mas acho que não vou ter coragem de mudar por causa dos meus pais, vão ficar tristes comigo!

    ResponderEliminar
  2. Capaz sou, mas não quero. Adoro o meu nome :) Mas se não gostasse do meu nome e quisesse ter outro, claro que era capaz. Pena é o balúrdio que isso custa (na minha opinião), mas se fosse importante para mim lá teria de ser.

    ResponderEliminar
  3. Não me vejo a mudar de nome, já me habituei ao nome que tenho, caso isso acontecesse manteria "o meu" Ana mas o meu segundo nome seria com todo o gosto Corália. Ana Corália, adoro. Se mudasse radicalmente o nome seria Alma ou então Calíope (ainda estou à espera do dia em que este nome vai ser aceite).
    E por curiosidade, se a Filipa mudasse de nome, qual seria a sua escolha? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É difícil imaginar-me outra coisa que não Filipa mas seria uma feliz Oriana [Ori], Guiomar [Gui], Penélope [Pépi]...

      Eliminar
  4. Tirava o meu Maria que não serve para nada. Todos me conhecem pelo segundo nome e o Maria só atrapalha. Para não deixar a minha mãe triste punha-o em segundo nome, talvez.
    Mas será que vale a pena, 200€?! Tanto dinheiro. Se calhar fico assim para sempre.

    ResponderEliminar
  5. Sinceramente, o meu primeiro nome é como se não existisse. Ninguém me trata por ele, daí não lhe ver qualquer utilidade/sentido. Além disso, é dos nomes que menos gosto e preferia só ter o meu segundo nome. No entanto, por muito que não goste ou seja tratada por ele, não seria capaz de alterar, talvez por 'respeito a uma decisão tão importante dos meus pais. Se eu não me apresento com ele, fica. Não uso, mas também não retiro. Faz parte da minha identidade. Devido a isto, fiquei foi com uma opinião em relação a nomes compostos que me levaram a desistir deles nas minhas filhas. Filipa, tratam a Frederica pelos dois nomes? Senão, porque colocou Jasmim, já que não o usam?
    Ja agora, o meu primeiro nome - o tal sem uso - é Ana. Um nome banal, mas que sinceramente não gosto absolutamente nada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então mas se você não tivesse composto e ficasse só com o primeiro que não gosta, era pior não? Não faz sentido ser contra compostos, se isso para si foi uma mais valia! Não gosta de um, mas gosta do outro. E se só tivesse o que não gosta?!

      Eliminar
    2. Mas a questão aqui é a mudança, não é a de ter só um ou outro - daí tirar o primeiro. E na verdade, foi o segundo que originou o primeiro, por isso dificilmente teria o primeiro como único nome visto que foi colocado "só para encher chouriços" como se costuma dizer.
      E não sou contra a compostos. Simplesmente não lhes vejo utilidade quando não são usados - como é o meu caso.

      Eliminar
    3. Eu também tenho um nome composto com Ana. Mas apesar de achar Ana banal, é esse que eu uso, porque detesto o outro. Imagine se só tinha esse...

      Eliminar
    4. Chamamos-lhe Jasmim todos os dias, mas chamamos muitas mais vezes Frederica! :)

      Eliminar
  6. eu mudaria o apelido ,mas ninguem me vai deixar.. o motivo é complicado de mais para se conseguirem ler.. e tou farta ouvir "epa é muito complicado, nao sei ler isto.."grrr

    ResponderEliminar
  7. Eu mudaria, sim! Chamo-me Helena Sofia e excluiria o Helena de boa vontade. Não por achar o nome particularmente feio, mas porque me foi dado em homenagem a uma pessoa que acabou por se tornar uma das maiores desilusões da minha vida. E embora a família e os amigos só me tratem por Sofia, sempre que vou a uma consulta médica ou algo do género lá tenho que responder à "chamada" por Helena...

    ResponderEliminar
  8. Gosto bastante do meu nome e não me vejo com outro. Reconheço que tenho sorte, já que nem todos pensam assim e alterar não representa apenas um custo mas também a possibilidade de magoar um ente querido.

    Pessoalmente, conheço apenas três pessoas que mudaram o nome: duas porque mudaram de género e outra porque, tendo sido maltratada pela família, não sentia lealdade aos apelidos que estes lhe legaram.

    Fun fact: uma das minhas amigas que passou a ser um amigo escolheu como seu novo nome aquele que a mãe lhe teria dado se tivesse nascido rapaz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mariana C., que giro! Como são os nomes do teu amigo (o antigo e o novo)? :)

      Eliminar
  9. Era incapaz de mudar de nome, gosto tanto dele. Sou Alice Maria e na minha família tanto me chamam Alice como me chamam Maria

    ResponderEliminar
  10. Sou uma Bruna e não gosto nadinha do meu nome.Acho um nome muito forte, e não gosto da sonoridade,sempre me queixei do meu nome à minha mãe... mas não mudari pelos gastos e pelo transtorno que iria causar de me chamarem por um nome novo e pela confusão que iria causar

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)