Maria & Ana - até quando?

15.5.15

 

Maria e Ana são os nomes mais comuns entre as portuguesas e, apesar de Ana estar a atravessar um período de menor popularidade desde 2008 [ficou em 7.º lugar em 2014], a verdade é que, de acordo com os dados oficiais do IRN, os dois têm dominado as listas de nomes femininos mais registados em Portugal nas últimas décadas:






Olhando para esta informação, acham possível que se repita o ciclo de seis décadas de domínio de Maria? Maria recuperou o primeiro lugar há dez anos, em 2005, chegando aos 4554 registos; ultrapassou por duas vezes a fasquia dos cinco mil, em 2010 e 2011. Em 2014, o número foi inferior - 4809 - mas, ainda assim, Maria teve mais 170 registos do que em 2013, numa altura em que o número de nascimentos diminuiu muito. Teremos de esperar 50 anos pelo regresso da geração das Anas ou acham que essa tendência está afastada, podendo Maria ser superado nos próximos tempos por um terceiro nome?

8 comentários :

  1. Acho que qualquer moda pode ser superada, até mesmo o clássico intemporal Maria. Mas a verdade é que Maria como primeiro nome oferece muita segurança:

    1) é fácil de combinar com quase todos os nomes;

    2) permite o uso de nomes que não são aprovados como 1º nome feminino;

    3) é tipicamente feminino;

    4) dá "seriedade" ao composto.

    5) é um nome "neutro" (ninguém estranha que uma Maria Aurora seja tratada apenas por Aurora).


    De momento só me lembro destas vantagens.

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho uma revista Pais&Filhos de Fevereiro de 1991 com um artigo sobre nomes e as modas; o artigo refere que o nome feminino mais registado em 1990 foi Ana e refere que por cada 1000 bebés, 90 eram Anas, o que segundo as minhas contas dá pouco mais de 10 mil Anas (nasceram 116.321 bebés em Portugal em 1990, segundo a Pordata). Só por curiosidade, a Filipa podia confirmar ou desmentir este dado?
    Quantas Anas nasceram em 1990?
    Obrigado desde já,
    Nuno

    ResponderEliminar
  3. Nuno, os dados que o IRN me forneceu indicam que em 1990 nasceram 8416 Anas, 3125 Joanas e 2207 Marias. É muita Ana! :)

    ResponderEliminar
  4. Obrigado, Filipa!
    Sim, são muitas Anas (uma delas é a minha irmã, Ana Carolina), mas pensei que fossem ainda mais...

    ResponderEliminar
  5. Já agora, tenho também curiosidade em saber em que lugar estava Nuno e quantos foram registados em 1990 (apesar de eu ser de 1987, mas acho que a Filipa não tem dados desse ano).
    Obrigado desde já!

    ResponderEliminar
  6. Acho muito difícil Ana e Maria perderem a popularidade e o uso. Para todos os efeitos, são nomes com uma ótima sonoridade e como a Pilar disse, excelentes para formar compostos. E, olhando para as estatísticas, cerca de 100 anos a disputar os primeiros lugares dos ranking, deixa de poder ser interpretado (para mim) como moda, para ser entendido como tradição.

    ResponderEliminar
  7. Acho que Maria e Ana são nomes à parte, nomes seguros, tradicionais, nunca deixam ninguém mal... por isso acredito que continuaram a ser os dois nomes a serem mais usados por muitas gerações. Mesmo que excepcionalmente algum nome se intrometa nestas posições de detaque. Apenas acho que a popularidade de Ana tem descido porque a geração das Anas está agora a ter filhos...

    ResponderEliminar
  8. Nuno estava na 8.ª posição em 1970 e na 7.ª em 1980; em 1990 ocupava a 13.ª posição, tendo sido registado 1500 vezes. Só baixou da fasquia dos mil registos em 2001.

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)