Nomes dos filhos: os motivos das vossas escolhas

7.9.13


Um dos meus posts predilectos do blog é o que lança a pergunta "O que pensa do seu nome?", pelas fantásticas respostas que os leitores foram deixando. Hoje, por sugestão de outras leitoras, lanço a pergunta de outra forma: quais são as histórias por detrás dos nomes dos vossos filhos? 

37 comentários :

  1. Bom dia Filipa,
    Gostava muito de poder participar mas ainda não tenho filhos. Fico ansiosamente à espera das histórias de quem já os tem! ;)

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde,
    Estou grávida de 24 semanas e estamos indecisos quanto ao nome da nossa filha. Depois de muita "discussão" temos duas opções, uma carregada de simbolismo, mas ainda não decidimos. Pensamos em Alice, o nome da minha mae que faleceu ha 9 anos e era a minga melhor amiga e pensamos em Sofia que e o outro nome que ambos gostamos. Apesar de tudo nao estamos apaixonados por nenhum dos nomes. Quanto ao Alice tenho medo que usem o diminutivo porque era conhecida a minha mae e apesar de achar que era uma grande homenagem, preferia que a chamassem so pir Alice e não estou a ver isso acontecer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se me permite, acho Alice um nome maravilhoso,soa lindamente e é pouco vulgar.Quer queiramos,quer não, goste-se ou não quase todos os nomes têm diminuitivos e é inevitável controlar o cada um chama,mas no final o que conta é o nome pelo qual chamamos o nosso filho. É tão especial herdar um nome de família,especiamente quando são assim bonitos.

      Eliminar
  3. Também não tenho filhos, mas gostava muito de ler as histórias de quem tem. :) Filipa, sugiro que coloque um tópico no De Mãe para Mãe com um link para este post, com certeza que por lá terão várias histórias interessantes para partilhar!

    ResponderEliminar
  4. Filipa, nunca tinha pensado seriamente sobre nomes de menino. Eu e meu marido tínhamos nomes para filha, mas não para um menininho. Quando soubemos que era um rapazinho surgiu a dúvida. A escolha foi do meu marido e ele não soube me explicar o motivo, só disse que tinha gostado do nome e o achava moderno. Tenho, em geral, preferência por nomes mais clássicos e me surpreendi em como gostei da escolha. Não vejo nosso pequeno com outro nome. Abraços, Alda.

    ResponderEliminar
  5. Ah, esqueci de dizer que o pré-requisito é que o nome não fosse muito popular. Alda.

    ResponderEliminar
  6. Antes de mais,parabéns pelo blog. Sempre tive nomes prediletos para os meus potenciais filhos,mas acabei por dar ao meu filho um nome que até recentemente nunca me interessou nem imaginaria escolher no passado. As razões foram várias. Primeiro,porque os nomes que eu considerava mais bonitos foram sendo escolhidos por quem me era próximo antes de engravidar e não sou grande fã de repetições; depois porque eu e o pai preferíamos um nome original ou intemporal e não da moda, especialmente um daqueles que o obrigasse a ser conhecido pelo apelido no futuro; em terceiro porque queríamos um nome que, mesmo não sendo suave, fosse bem português e clássico, mas sem pretensão. Para tal consultei este blog, do qual sou visitante assídua desde que engravidei e que muito contribuiu para a escolha. Acabamos por escolher o nome de um dos avôs, António.Se inicialmente tive dúvidas devido aos diminuitivos cada vez sinto que foi uma boa decisão pela força que tem sempre que o pronuncio! Obrigada pela ajuda e continuem com o excelente trabalho!
    .

    ResponderEliminar
  7. Vi aqui no blog que Alice era um anagrama de Célia, e este era o nome da mãe do meu marido, que faleceu há muito tempo. Forte candidato ao nome de menina, apesar de estar muito comum no Brasil.
    Quanto a nomes de meninos, nenhuma ideia :-(

    ResponderEliminar
  8. Quando escolhemos o nome do meu primeiro filho, achávamos que estávamos escolhendo um nome não muito comum, e tinha oo receio de ficar repetitivo pois ele teria o sobrenome como o mesmo nome ´´Gabriel``, mas realmente amava o nome e o significado ´´o enviado de Deus`` muitos na época criticaram por ter nome e sobrenomes iguais. colocamos dois sobrenomes diferentes para separar os nomes idênticos, começando e terminando com Gabriel. Anos se passaram e mais 4 primos do meu marido vieram e todos com o Gabriel como nome, um puro como o nosso filho, e dois compostos, sendo um com Gabriel como primeiro e o outro Gabriel como segundo nome do nome composto. Apenas um deles não tem o sobrenome Gabriel. 9 anos depois, engravidamos novamente, e queríamos um nome não tão comum. Depois de decidirmos por Arthur e sermos elogiados bastante, descobri um primo e dois colegas de colégio que tinham filhos bebês com o mesmo nome, e agora sei que está no ranking de 2012 como 3º nome mais escolhido.
    Agora, grávida pela terceira vez, pensamos em dois nomes bem diferentes, fora de qualquer listagem brasileira de ranking para nomes: Thales (se for menino) e Filipa (para menina). O último foi que me trouxe para esse blog.

    ResponderEliminar
  9. Bom dia minha filha se chama Izadora.
    Escolhi esse nome poque achei forte e determinado.
    Bjos

    ResponderEliminar
  10. Estou gravida de algumas semana sinto q é um menino.

    E se for mesmo menino vai se chamar Antonio Miguel

    ResponderEliminar
  11. Apesar de também achar que é difícil controlar o aparecimento de diminutivos, esta talvez seja uma excepção. Alice é um nome curto que, a meu ver, não "pede" para ser ainda mais reduzido. E partindo do princípio que é próxima das pessoas que conheciam a sua mãe, talvez seja mais fácil pedir-lhes que não usem o diminutivo em questão!

    ResponderEliminar
  12. Os nomes dos meus 3 filhos não foram escolhidos com nenhum critério muito definido. Como muitas coisas importantes na vida, foi muito de instintivo. Gostamos de nomes curtos e de nomes únicos (por oposição a dois nomes próprios). Evitamos repetições na família e círculo de migos mais próximo. Não aprecio muito nomes com "r" no início nem com muitos "is" pois julgo que dão uma sonoridade um pouco irritante. Só o mais novo teve um nome muito usado em ambas as famílias, minha e do meu marido.

    ResponderEliminar
  13. Olá já acompanho o blog à um tempinho mas só agora é que resolvi comentar!
    Quando descobri que estava gravida gemeas pensamos em varios nomes . Eu sempre gostei de nomes antigos e invulgares mas o meu preferido ( desde a minha adolescencia quando tinha uma paixão por Jane Austen) era Georgiana mas quando descobri que não era permitido fiquei muito chatiada. Acabamos por escolher Geórgia e Amélia uma versão do meu nome e do pai ( jorge) . Hoje ja tenho outro filho Albano que escolhemos porque era o nome do melhor amigo do meu marido que faleceu num trágico acidente, mas o mais engraçado é que já tinhamos decidido esse nome antes das meninas nascerem pois é um nome que eu simplesmente adoro.
    Apesar de adorar os nomes dos meus filhos , muita gente ainda torce o nariz e pergunta me como eu tive coragem blá blá blá e dizem que serão bastante gozados .
    Não conheço muita gente que tenha essa " coragem" mas acho que agora as pessoas teem se livrado mais desses preconceitos.
    Amália

    ResponderEliminar
  14. O nome da minha filha é Serena Lis e eu acho um nome fofo e delicado mas não sei se é permitido eM Portugal.

    ResponderEliminar
  15. A escolha do nome do meu pequeno para mim foi fácil. Francisco! Embora tenha havido um período de indecisão entre o pai e a mãe e a família puxasse para outras opções. Mas enfim, era o nome que eu gostava. Quando ele nasceu não fazia ideia de que era um nome tão registado, mas depois de ter começado a acompanhar este blog soube que sim! No caso de ter um segundo filho, se for um menino já está decidido: terá o nome de ambos os avôs. Se for uma menina ainda nada está decidido, mas certamente (e muito por "culpa" deste blog)tentaremos fugir às tendências.

    ResponderEliminar
  16. E eis que finalmente, depois de tanto tempo a acompanhar este blog, também eu estou grávida :)))
    Já estamos nas 19 semanas e só recentemente viemos a saber que irá ser uma menina.
    Sendo eu uma verdadeira apaixonada por nomes, desde há muitoooosssss anos que andávamos a discutir futuras opções. E na hora do "vamos ver" foi a maior das confusões!
    Eu tinha uma paixão de criança por um nome de menina que de há uns anos para cá ficou muito na moda (o segundo do top...chuif...) e não me perguntem porquê, mas assim que a coisa vira moda eu deixo de gostar. Manias! Ainda por cima,temos na família uma bebé com esse nome. O meu marido não consegue compreender esta minha embirração com os nomes da moda (são os preferidos dele), por isso, foi engraçadíssimo como conseguimos resolver toda a questão do nome quando soubemos que estava grávida.
    Só falta fazer uma ressalva! Ainda bem que saiu menina...lol Porque se fosse um rapaz não sei como nos íamos entender! :))))
    Eu fiz uma extensa lista dos nomes que gostava para ambos os sexos. Dessa lista ele escolheu os que gostava (em 30 para cada lado, escolheu, vá, 3 de menino e 5 ou 6 de menina...lol). Claro que eu tinha o meu preferido em ambas as listas, por isso, fui fazendo "campanha" pelos que eu gostava. O nome que acabámos por escolher estava na lista dele, mas assim como o último possível. Ele gostava da sonoridade e do significado, mas achava-o (e acha) muito incomum e estranho.
    O resto do negócio envolveu, como eu escolhi o primeiro nome, não pomos segundo (ele não gosta de dois nomes próprios)- eu fico com muita pena, mas não se pode ter tudo e este nome é difícil de combinar. Depois, eu queria pôr dois dos meus apelidos e ele só queria um de cada um dos pais. Como ele queria que o nome do pai fosse o último, aceitou que eu pudesse pôr os meus dois apelidos (senão tinha ficado com o meu apelido como último do nome). E pronto, foi assim que conseguimos chegar a um consenso. Cada um ficou feliz à sua maneira e a nossa princesa não só vai ter um nome lindo, como já ficámos com uma história hilariante para lhe contar.
    PS- à menina que está na dúvida com Alice gostava de dizer que tivemos exactamente a mesma questão (com o mesmo nome e tudo). Não se tratava era da minha mãe, mas sim da minha sogra. Eu gostava bastante do nome e ele também, mas no fim achámos que íamos abrir um precedente para nos filhos seguintes "termos" de homenagear mais familiares e, sinceramente, não o quisemos fazer. Até porque, exceptuando o do meu pai, os restantes são uma lindeza...lol

    ResponderEliminar
  17. Foi muito difícil, porque as listas do pai tinham sempre 2 ou 3 nomes. Nos filhos mais novos (gémeos, dois rapazes) ele não gostava de nome nenhum.

    Sempre concordámos que queríamos nomes curtos, simples de escrever, internacionalizáveis ou, pelo menos, reconhecíveis como nomes próprios e pronunciáveis sem dificuldade no estrangeiro, MAS marcadamente portugueses. Acabámos por escolher nomes clássicos, alguns até talvez retro. Todos têm o mesmo número de letras (manias!!).

    O filho mais velho tem o nome do meu irmão, porque o pai só gostava desse nome e de João (e o "ão" de João não cumpre os requisitos que expliquei acima).

    A filha do meio tem o nome de uma tia-avó, que é um dos meus preferidos.

    Os filhos mais novos têm um o nome de um tio-avô muito querido na família que é, ao mesmo tempo, o nome de vários dos meus poetas favoritos. O outro bebé, e à falta de nomes de família decentes, ficou com a mesma inicial do meu pai (J) e com um nome típico do início do século XX, como o irmão. Com estes filhos escolhemos deliberadamente nomes pouco populares. Os nomes dos irmãos mais velhos estão no top 20. Sabíamos isso quanto ao primeiro filho (mas não ligámos), julgávamos o nome da filha do meio menos comum do que na realidade é e agora fomos mesmo ver as listas para não cair no erro. Odiamos nomes repetidos, não queremos as crianças tratadas pelo apelido por serem uma das cinco ou seis com o mesmo nome na sala de aula.

    ResponderEliminar
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  19. Desde logo sempre assentámos que seria um nome próprio e dois apelidos, de cada um de nós. Do primeiro, estava decidissímo que seria a Matilde. Acontece que era um rapaz, e não ficava muito bem...lol. no dia em que soubemos que seria rapaz, íamos de viagem Lisboa/Trás-os-Montes.... fizemos a viagem todinha a "discutir" nomes, e havia sempre um senão e não decidimos nada.... Uns dias mais tarde em conversa com um dos meus cunhado, saiu o nome que havia de ficar. Assim que o disse, intuí que era aquele e assim ficou por acordo dos dois. Ainda hoje acho que o nome tinha de ser aquele, assenta que é uma perfeição. Ah... é um nome comum:)
    Dela, eu estava convencida que desta vez vinha um Xavier.... não veio. E andámos meses, a discutir nomes, entre nós, em familia e amigos e não havia maneira de se dar o click...Já que não era um xavier, eu queria uma caetana e o pai uma catarina... Nada feito!! Aos sete meses, no meu local de trabalho ouvi o nome que havia de ficar, e foi tal e qual como dele. Intuí que era O nome. Falei com o pai, que assentiu e assim nasceu a nossa menina. Com outro nome comum.:P
    São nomes portugueses, tradicionais, facilmente internacionalizáveis. Por curiosidade entre ambos há só diferença de uma letra... têm a mesma métrica, e combinam com eles :)

    ResponderEliminar
  20. OBA! Filipa, amei o post! :-) Que bom que a sugestão foi acatada!
    Eu quase me chamei Ana Lídia (nome de uma antiga colega do meu pai) ou apenas Carolina (que a minha mãe já queria há anos)... Para que ambos ficassem agradados, ficou Ana Carolina, que felizmente gosto muito mais do que qualquer desses dois.
    Eu, que não tenho filhos, tenho alguns quantos nomes preferidos, mas penso em nomear uma possível filha de Cecília... Contudo, foi a partir de um sonho que tive há alguns anos que cheguei a um nome que, embora não desgoste (e até ache bonito), nunca me chamou particular atenção: Manuela. Algures em um sonho, estava eu com uma pequenita de uns dois anos, aos meus braços, um pouco doentinha, dentro de um banheiro (ou quarto de banho, como se diz por aí)... É-me comum sonhar com bebês com alguma frequência (mas nem tanto), mas esta sabia-a minha, durante todo o breve episódio onírico! :- )

    ResponderEliminar
  21. Em homenagem à Santa Bárbara...
    Na verdade, quando estava grávida, sonhei que encontrei uma calçada com cimento fresco escrito "Bárbara"... Acredito que ela mesma tenha escolhido.

    ResponderEliminar
  22. Fiquei entusiasmada com este post e ansiosa para ler as histórias por detrás dos nomes dos filhos das leitoras deste blog mas, para dizer a verdade, fico um bocadinho desiludida com comentários como os da Ni, da Mar e da Sandra, porque contam a razão da escolha mas depois não dizem os nomes! :) Uma pessoa fica para aqui super curiosa... Percebo as razões, mas, siceramente, aqui somos todos anónimos. Num blogue sobre nomes, não vejo razão para ter receio de enunciarmos os nomes dos nossos filhos, nem que seja escondendo os nossos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo! Acho que o post perde parte da "piada" ou do objetivo por não revelarem os nomes.

      Eliminar
  23. Ni, muitos parabéns pela gravidez!! Felicidades! :)

    ResponderEliminar
  24. Gostei muito das escolhas da Amália!
    Acho que Geórgia e Amélia combinam muito bem.
    A minha filha chama-se Ana Júlia e a minha sobrinha chama-se Helena Joao nomes que acho muito bonitos e clássicos.
    Filipa, ainda não estou grávida mas já estou a pensar nisso e gostava que me desse algumas sugestões de nomes compostos para Amélia e para Martim .

    ResponderEliminar
  25. Tenho um nome esquisito, herdado de uma avó que nasceu nos EUA, Lilian. Nunca gostei por ser diferente, porque raramente as pessoas o entendiam à primeira, porque ficava sempre a ideia que eu nao era portuguesa.
    Daí que jurei que filhos meus haveriam de ter nomes simples, que se percebessem bem e que fossem fáceis de dizer noutras línguas.
    André, o mais velho, nao foi uma escolha minha mas sim do pai que achava que tínhamos que começar pela letra A. Mas gostei, era curto, pouco propício a diminutivos (por oposição a António) e com um significado adequado para um irmão mais velho!
    David, o do meio, foi o único nome que eu e o pai gostámos s dois, embora eu preferisse Diogo na altura. Hoje até gosto mais de David! É o nome mais internacional de todos e assenta que nem uma luva no meu pimentinha!
    Maria Rita, a pequenina, tinha mesmo que ser! Desde os meus doze anos que era o meu nome preferido para menina, desde que uma professora o pôs numa filha e a levou à escola para a conhecermos. Adoro Maria em todos os nomes de menina e Rita é um nome super doce!
    Se escolhesse nomes agora acho que escolheria Miguel, Frederico, Maria Isabel e MariaLuísa.

    ResponderEliminar
  26. Muito obrigada Filipa! Nunca é demais dizer que adoro o seu blog, que vou lendo os posts e comentários e fico muito feliz por saber que não sou a única a ter esta "pancada" dos nomes :))) É muito bom poder partilhar!

    Queridas anónimas de 10 de Setembro:
    Eu estou "mortinha" por dizer qual é o nome! A sério que sim e também tenho curiosidade em saber os dos filhotes das outras meninas que também não divulgaram. O único problema é que conheço algumas pessoas que lêem este blog e, como vou escrevendo com alguma regularidade, se dissesse o nome da bebé seria muito facilmente identificada por elas. E eu gosto bastante deste "anonimato" relativo :)
    Beijinhos para todos(as)***

    ResponderEliminar
  27. Sou brasileira, moro no Brasil e sempre venho aqui em busca de nomes. Estou gravida de uma menina e estou encantada com os nomes Iara, Isis, Flora e Serena. Provavelmente, escolherei algum desses nomes e colocarei como segundo nome Helena, como tradição de família, se for Iara ou Isis. Com isso, Flora e Serena perdem alguns pontos com o pai da minha bebê, porque ele deseja muito Helena como segund nome.

    ResponderEliminar
  28. Margarida

    Olá!
    Nunca tinha comentado, mas acho que, desta vez, tinha de deixar aqui o meu contributo!
    A minha filhota mais velha chama-se Eunice, um nome clássico qe eu acho lindo e muito pouco usado. Para além de ser um nome grego e eu adorar as línguas clássicas, a minha menina chama-se assim, porque passei por uns momentos difíceis na gravidez e quase a perdi... por isso, assim que soube que era uma menina e as coisas começaram a correr melhor, insisti com o pai que tinha de ser Eunice, porque significa «feliz vitória» e foi isso mesmo que aconteceu! Uma história com um final feliz! A minha segunda filhota chama-se Sofia, porque também é um nome grego e o preferido do pai!

    ResponderEliminar
  29. Que lindo,nao sabia que era esse o significado de Eunice.Se tiver um menina,será esse o nome já acolhido pelo pai e pela avó.É um nome raro hoje dia mas tão clássico e bonito...Adoro!

    ResponderEliminar
  30. OLa pessoal eu me chamo viviane e estou gravida de 7 meses e ainda nao escolhi o nome do meu filho o pai que Diego mais estou a procura de um primeiro nome antes de diego que combine eque seja bonito tbm...
    ME ajudem... desde ja Obrigada

    ResponderEliminar
  31. Eu queria chamar o meu bebé Martim, nome de que gosto mto, mas o meu marido não gosta nada..então com a ajuda aqui do blog andei à procura de alternativas que ambos gostássemos, qdo sugeri Matias o meu marido adorou e ficou logo. Ainda bem que não ficou Martim, tem imensos na escola dele, ele é o único Matias, mas já vi que tem sido um nome mto usado, tenho conhecidos mts Matias entretanto. Mas adoro o nome e cai como uma luva no baby.

    ResponderEliminar
  32. Estou gravida do segundo filho e vai ser mais um menino, meu primeiro filho chama gabriel e estou numa duvida enorme.penso em thalles ou enzo, mas nao tenho certesa, pois os nomes q mais gosto ja tem na familia e eu nao queria repeti los.me ajude bjs

    ResponderEliminar
  33. Bem, a minha história não tem nada de extraordinário para além da enorme indecisão que foi a escolha do nome do meu primogénito! Se fosse menina já estava escolhido mas quado descobri que ia ser Mae de um menino toda uma incerteza se apoderou de mim! Foram longas as listas mas eu e o pai nunca estávamos de acordo! E a responsabilidade de escolher um nome para outra pessoa era enorme!
    Valeu-me este fórum que deu a conhecer os rankings que eu já suspeitava e que queria de todo fugir dos top5 mas ao mesmo tempo também não queria um nome demasiado diferente sob pena de um dia me arrepender! Estivemos durante muito tempo indecisos entre André e Henrique e no dia em que tivemos de encomendar o mural para a parede do quarto que tinha o nome olhamos um para o outro e ficou Henrique!
    Agora com 3 meses não consigo imaginar o meu Henrique com outro nome, e mesmo que um dia passe de moda ou comece a ser demasiado comum, para mim vai continuar a ser especial!

    ResponderEliminar
  34. O nome do meu filho mais velho de 25 anos(Guilherme) é porque era o nome que o pai queria dar, foi ele que escolheu. O segundo de 21(Dinis) era o nome do meu bisavó, dos gémeos 13 anos(Gonçalo e Martim) pessoalmente são dois nomes que eu adoro e por isso foram escolhidos e a mais nova de 11 anos (Mariana) é uma tradição na familia, a primeira rapariga a nascer chama-se Mariana.

    ResponderEliminar
  35. O meu filho é Rodrigo Miguel: Rodrigo era o nome do meu sogro e Miguel o segundo nome do pai (Luís Miguel).

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)