Há quem tenha sorte... VII

11.10.12

Catherine Deneuve

A propósito do sucesso do filme "As linhas de Wellington", onde a atriz francesa Catherine Deneuve desempenha o papel de Severina, regressamos ao cinema em busca de nomes bonitos....

O falecido ator Marcello Vicenzo Domenico Mastroianni teve um romance com Flora Carabella (e que bela terminação para um segundo nome para Flora), de quem teve uma filha, Bárbara. Mais tarde, envolveu-se com a lindíssima atriz Catherine Fabienne Deneuve (que nessa altura já era mãe de Christian Igor Christophe) e juntos tiveram uma filha: Chiara-Charlotte. Entretanto a Chiara-Charlotte Mastroianni cresceu e teve dois filhotes - Milo e Anna.  
E até no cinema a atriz teve sorte, porque já foi, entre muitas outras, Lori, Geneviève, Manon, Tristana, Eliane, Léa, Vivianne e Cordélia. 

4 comentários :

  1. Infanta, há muito que sigo o seu blog e agora que estou grávida, fui assaltada por uma questão.

    Não sei se poderá responder-me, mas a minha questão prende-se com o facto de ser ou não possível colocar "de" ou "e" entre os apelidos dos pais. Digamos que eu e o meu marido temos sobrenomes que não combinam, de todo. E parece-me que com uma dessas partículas ficaria melhor.

    Obrigada.

    Sofia

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Sofia!
    Aqui está o que diz a lei sobre esse assunto:

    "As partículas de ligação entre apelidos podem ser introduzidas ou, caso existam no nome dos progenitores, eliminadas livremente".

    http://www.irn.mj.pt/IRN/sections/irn/a_registral/registo-civil/docs-do-civil/dar-o-nome/

    Não tenho nenhum conhecimento específico sobre legislação, mas pela interpretação que faço, acho que isso significa que podem ser introduzidas, certo? :)

    ResponderEliminar
  3. Quanto ao uso das partículas 'de' ou 'e' nos apelidos deve ser levado em consideração as mesmas regras relativas à preposição (de) e à conjunção (e). Exemplos:
    1) Usa-se a preposição 'de' quando se tratar de toponímico (nome de lugar, indicando a procedência da família: de Morais, de Sousa, da Silva) ou quando indicar religiosidade (de Jesus, dos Santos).
    2)Usa-se a conjunção 'e' quando interligar apelidos de mesma natureza: um toponímico a outro toponímico (de Morais e Silva), um patronímico a outro patronímico (Rodrigues e Fernandes), etc.

    ResponderEliminar
  4. Lembrando que não se usa a preposição 'de' com os patronímicos porque já está implícita no sufixo 'es' = filho de, pertencente a (RodriguES, FernandES).

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)