Leitura Recomendada - Mudança de nome

3.8.11

A Maria alertou para uma notícia publicada no semanário Sol que nos diz que em dez anos, sete mil pessoas mudaram de nome. Será muito ou pouco?

6 comentários :

  1. Pensando friamente, o número não é muito grande. Mas revela algo importante, cada uma dessas 7 mil pessoas detestava o seu nome ao ponto de ter coragem de o mudar. Devem existir muitas mais sem vontade de o fazer, por chatices burocráticas de ter de fazer novos documentos e corrigir as pessoas que conheciam antes...Conheço um dos 7 mil, chamava-se Agnelo e mudou para Francisco. Motivo: Queria ter um nome menos estranho.

    ResponderEliminar
  2. Que engraçado, eu que sempre achei Agnelo um nome normal :P

    Embora, compreenda que a pessoa não goste do seu nome, acho que deve ser estranho mudar de nome. Por exemplo, acho que mesmo que eu não gostasse nada de Sónia, se calhar se agora me começassem a chamar por outro nome parecia que não era eu. Parece uma mudança de identidade muito forte :S

    Em relação a eu ter dito que para mim Agnelo é um nome normal. Ontem estava a falar com o meu namorado e falei de uma senhora que se chama Edviges (ou Hedviges, não sei como se escreve :$), e ele disse logo "que nome mais estranho". Como eu sempre ouvi esse nome, acho normal. Será que às vezes, o acharmos um nome estranho ou comum, reflecte mesmo que ele seja estranho? Tal como Martim era pouco usado e agora está na moda, quem sabe se algum famoso não se lembra de pôr Agnelo a uma criança, entra na moda... e aí começa a ser muito usado e foi uma alteração escusada :P

    ResponderEliminar
  3. Isso de nomes estranhos e comuns já é muito relativo. Porque o que hoje é verdade, amanhã pode ser mentira, o que hoje é moderno, amanhã pode ser antiquado, o que hoje é raro, amanhã pode ser vulgar, etc, etc....

    ResponderEliminar
  4. Aqui no Brasil tem uma artista muito famosa, Baby do Brasil, que deu nomes estranhos aos filhos, uma delas era Riroca Baby e mudou para Sarah Sheeva. Os outros não mudaram, são: Zabelê, Nãna Shara, Pedro Baby, Crishna Baby e Criptus Baby. Daí agora ela está sendo avó e por incrível que pareça os netinhos tbm estão ganhando nomes bem estranhos (Rannah Sheeva é uma das netas).

    ResponderEliminar
  5. Li algures noutro site qualquer, este comentário de uma senhora que passo abaixo a transcrever

    "Olá, desculpem meter-me e discordar um bocadinho de voces, mas não entendo a moda dos nomes, nem como é possível toda uma geração dizer que desde sempre quis chamar Matilde, Leonor, Tomás, Martim, Mafalda, Rodrigo, Beatriz,Afonso ou Gonçalo aos filhos. O meu marido queria que o nosso filho fosse Afonso pq era o nome do pai adoptivo dele, mas eu para além de não achar bem repetir nomes de família, pior acho dar os nomes como homenagem, e então ofereci-lhe uma tatuagem com a assinatura do pai. Assim anda com a homenagem no corpo dele em vez de andar no do filho. Lol. Mas para além de Afonso até ser um nome bonito, está na moda, conheço, sem exageros, 17 Afonsos entre os 0 e os 3 anos!!! E todos os nomes que escrevi acima, é o q mais há. Eu sempre detestei chamar-me Ana, pois havia muitas, e ouvia o meu nome em todo o lado. E vocês querem os vossos filhos todos com os mesmos nomes???
    Vão aos infantários e vejam as listas dos nomes, vão às maternidades e perguntem os mais usados. É mm isso que querem para eles? Para na turma serem o Martim1, Martim 2 e Martim 3, A Matilde Maria, Matilde Leonor e Matilde Mafalda? Heheh
    Não estou a dizer por mal, apenas para verem outras possibilidades, pois só depois d ser mãe é que comecei a reparar nos nomes das crianças que nos circundam. E são muitos nomes repetidos.
    Ah, e as crianças dos bairros é Iára, Cristiáno, Sándro, Ariána... Heheh

    ResponderEliminar
  6. Hoje, numa apresentação oral, disseram-me que eu era muito criativa porque tinha inventado uma série de nomes para ilustrar o meu discurso. Os nomes que EU inventei? Aureliana, Trajano, Carminda... Não dá para escolher nomes que simplesmente não sabemos que existem...

    Eu também li esse comentário e na altura a senhora foi muito atacada por ter sugerido que os nomes eram indicadores de classes sociais. Infelizmente, eu acho que são.
    O comentário também me partiu o coração, porque eu adoro Ariana...

    Não sei se teria coragem para mudar o nome.. Vejo-me mais rapidamente a arranjar um diminutivo ;D

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)