Atualização da lista de nomes aprovados

14.4.11


A lista de nomes aprovados e desaprovados foi novamente actualizada, e...

  • Alma foi finalmente aprovado como nome feminino! 
  • Aníria foi acrescentado à lista de aprovados; 
  • Cristofe passou a ser aprovado como nome masculino; 
  • Elena passou a ser aprovado como nome feminino; 
  • Gileade foi acrescentado à lista de aprovados como nome masculino;
  • Guimar foi adicionado à lista como nome feminino.

Senhores do IRN, uma vez mais, o meu obrigada! Eu gosto mesmo de vocês, principalmente quando decidem colorir as alterações a verde!

Alma é dos meus nomes preferidos desde que me lembro; Alma penada, diria a minha mãe, mas isso são detalhes... Ainda há pouco tempo partilhei a minha indignação face à proibição num comentário, e Elena foi alvo de um post a propósito dos nomes de personagens. Embora os restantes nomes aprovados me deixem indiferente, diria que o balanço é muito positivo!

10 comentários :

  1. O que eu gostava mesmo imenso era que aprovassem Sophia :) Assim com ph, como Sophia de Mello Breyner Andresen.

    (acabei de reparar que existem nomes aprovados como Sulamita, Sunamita e Surendralal, sendo que último não me parece nem de rapariga nem de rapaz, mas eles lá sabem o motivo de o terem aprovado)

    Alma é muito bonito e Aníria tb. Os outros passam-me ao lado

    ResponderEliminar
  2. Não gosto de nenhum... a não ser Elena, mas mesmo assim prefiro Helena...concordo com a sua mãe quando diz Alma penada! :D
    Não me vejo nada ser chamada de Alma, nem por esse nome numa filha.
    Mas o gosto por um nome é subjectivo!! Muito subjectivo diria eu.

    ResponderEliminar
  3. Alma estranha-me, mas talvez me entranhasse depois de conhecer uma pessoa com esse nome!
    Aníria muito giro.
    Guimar...Prefiro Giomar!

    E de repente comecei a pensar, como é que eles decidem quando um nome passa de não admitido a admitido?
    Tive uma amiga minha que quis por Clara de Maria á filha, e não admitiram, ela teve de fazer um pedido, pagar penso que uns 50€, e depois esperar pela resposta, caso fosse negativa, não lhe devolviam o dinheiro! Achei absurdo, até porque era por um nome bastante aceitável, só por causa do "de"... Mas, a resposta foi positiva, lá aprovaram!
    Até acho estranho não haver este nome na lista, porque eles aprovaram. Só lá está Clara de Fátima.
    Quer-me parecer que algumas pessoas chegam ao registo, eles dizem que não, e as pessoas também não fazem o tal pedido, logo, os nomes acabam por nunca ir para "análise". Talvez se as pessoas começassem a pedir, houvessem mais nomes admitidos. É capaz de ser assim que aparecem os nomes admitidos.
    Há um que sei que não há hipotese, pois conheço uma pessoa que também fez o pedido: Mel. Recusado!
    Se bem que é um abuso pedirem por isso 50€!

    ResponderEliminar
  4. eu estou como a C*, o meu nome sempre foi Sophie até aos 15 anos.
    Tendo inclusive todos os meus documentos de identificação este nome. Quando vim para Portugal fui informada que deveria assinar "Sofia" e todos os meus documentos passaram a ter esse nome.
    A diferença não é muita mas nunca consegui identificar-me com o Sofia, pq não sou eu.
    A justificação dada é que existe a tradução em Português então neste caso não deveria ser permitido o "Eric" pq existe tb o "Henrique" mas os 2 sao permitidos...

    mas a mais exemplos absurdos: Maria do Sol nao é permitido mas Maria Sol é...

    ResponderEliminar
  5. Sophie, estou espantadíssima com essa história, que coisa mais ridícula! A meu ver, é inconcebível mudarem 15 anos depois a grafia do nome de uma pessoa. Aliás, eu tive colegas de escola filhos de portugueses, mas que nasceram no estrangeiro e nunca os vi a mudar de nome! Stephanie, Silvie, Amélie... É que se fosse Sophia, eu a custo ainda podia entender, mas na verdade deram-lhe quase outro nome!!

    Rita, os 50 euros não me fazem tanta confusão quanto isso - é preciso pagar os especialistas para fazer a pesquisa, e se não for a pessoa que requer o registo a pagar, serão os contribuintes todos...

    O que me faz confusão é que haja uma lei sobre algo muito íntimo que é a escolha do nome de um ser humano, e que a melhor coisa que se oferece aos cidadãos é um documento PDF, que nem sequer indica com precisão o género de todos os nomes, e que não apresenta justificação para a exclusão de determinados nomes. Não sei até que ponto seria tão complicado ter uma base de dados na internet onde seriam disponibilizadas as explicações das recusas...
    E já que tinham a base de dados, as estatísticas referentes ao registo de nomes! É pedir demais, não é? :D

    ResponderEliminar
  6. Andei ontem a pesquisar a tal lista dos nomes e, realmente, não entendo a lógica de aprovar e não aprovar alguns nomes...

    Em relação ao que a Sophie disse, calculo que actualmente não seja assim, a verdade é que eu também tive alguns colegas filhos de emigrantes que tinham nomes estrangeiros e não foram mudados... aliás lembro-me de na escola aprender que os nomes próprios não se traduzem, logo a lei deve ter mudado entretanto, e ainda bem... até porque seria injusto uns terem que mudar e outros, quando não houvesse tradução, não mudarem...

    E agora nisto lembrei-me de um nome de uma colega que tive na faculdade que talvez vocês não conheçam, Kieza, e também tive uma Binte... e não tiveram que mudar de nome :P

    ResponderEliminar
  7. Na página dos bebés da revista Maria desta semana havia uma bebé com genes africanos chamada Kiesse...

    ResponderEliminar
  8. Parabéns pela página, sempre procuro informações de nomes aqui para alguns personagens, principalmente agora que estou iniciando um texto do século XVIII e nomes portugueses eram bastante comuns por aqui nessa época, no Brasil.

    Mas há uma coisa que sempre me intrigou, vindo de Portugal.

    Por que há nomes que as leis de vocês não permitem? Quero dizer, mesmo com o correspondente Isabela, por que eu não poderia gramaticar o nome de uma filha por Isabella ou Isabely?

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)