Resposta ao leitor - Martim e não Martin

16.3.11


Um visitante deixou na caixa de sugestões a seguinte pergunta: Por que é que Martim é admitido com M e não com N no fim? Infelizmente, não lhe sei responder com segurança a essa questão. 
Martim deriva da palavra latina Martinus. Não sei qual o fenómeno fonético que transformou Martinus em Martinho e, depois, em Martim, mas não deverá andar muito longe da nasalação e da palatalização. Não sendo eu especialista em linguística, creio que essa proibição se baseia na simples evolução da língua portuguesa, da qual existem outros exemplos, como visto nesta lista de nomes masculinos terminados em -im.
O N fica reservado para as palavras terminadas em M, mas no plural, seguido de S, originando, neste caso, Martins, também autorizado como nome próprio. 

Talvez passe por aqui alguém que lhe possa dar a resposta correcta... A minha não deixa de ser uma suposição baseada nas longínquas aulas de Latim!

ACTUALIZAÇÃO
Entretanto chegou-me uma explicação mais académica, que passo a citar:

"Esta questão faz sentido, porque, na verdade, trata-se do mesmo som, quer se grafe com "n" ou "m". Acontece que, em português, quando se trata deste som ("i" nasalado), a regra é que com "in" se grafam apenas as vogais nasais que ocorrem no início ou no meio da palavra (como em "intenso", "cinto") e no final apenas se o som for precedido de "s" (como em rins). Grafa-se com "im" antes de "p" e "b" ("impossível", "imberbe") e - esta é a regra que nos interessa - no final de palavra (como é o caso de "Martim").

Há, no entanto, alguns casos de palavras que terminam em "in", mas é preciso notar que se trata de palavras que foram importadas de outras línguas e não sofreram nenhuma adaptação ortográfica ao português: como é o caso, por exemplo, de "check-in"."

S., muito obrigada pela paciência!

12 comentários :

  1. Eu gostava de fazer uma sugestão.

    Gosto ,do blog e chegou a minha vez dar uma ideia. Gostava de ver um post com um "tipo" de nomes que muito me agrada. Que são os nomes acabados em -inha, ou -inha.

    Como Teresinha, ou Carminho.

    Acho estes nomes de uma doçura extrema e muito românticos. Não sei se há mais para alem destes mas de facto gosto muito e pensei que pudesse ser um post interessante fora do comum :)

    ResponderEliminar
  2. Já estive a fazer uma pré-pesquisa e para já não tenho boas notícias... Não há mesmo muitos mais nomes na lista de admitidos, mas vou procurar nos livros, com certeza aparecerão mais alguns ;D
    Não recearia que um nome-diminutivo desse sempre a sensação de estarmos perante uma criança?

    ResponderEliminar
  3. Quando decidi por o nome de Martim ao meu bebé muita gente perguntava " no fim com -m ou com -n?"

    Acho lógica a explicação. Apesar de detestar o facto de ser um nome da moda, adoro esse nome ( e ufa na creche só existe ele!)

    ResponderEliminar
  4. madeMOIselle

    Há o Martinha , Martinho, Rosarinho, e não me lembro de mais.


    Não sei se já repararam ... depois de estar entretida a ler a lista de nomes admitidos reparei em falhas muito grandes, como a falta dos nomes Margarida, António, Isabel, da lista. Que estranho! Embora toda a gente saiba que são nomes aceites e óbvios..Mas outros também o são e constam na lista e estes não.

    E descobri algumas novidades mais nos nomes não admitidos... E pensar que cada novo nome não admitido significa que alguém chegou ao registo e quis por aquele nome... Bolas, há gente com uma imaginação muito fértil! Quem é que se lembra de "Katyuscia" ???
    Nem a Luciana Abreu se lembrava deste :)

    ResponderEliminar
  5. Sophie:
    quando escolheu o nome, tinha consciência da popularidade? Pergunto isso porque há de facto pessoas que estão totalmente alheadas dessa questão e que só se apercebem da popularidade do nome no momento em que o bebé começa a frequentar as creches/escola...

    Maria:
    quando comecei o blog, guiava-me quase exclusivamente pela lista de nomes admitidos e meses mais tarde tive de andar a actualizar os posts, porque faltavam imensos nomes :D mas pronto, na própria página do IRN está lá a explicação de que faltam alguns nomes...
    As novidades nos nomes não admitidos revelam, pelo menos, um certo inconformismo face à norma vigente e isso não deixa de ser saudável... Mas é bem verdade que há pessoas muito Kryativas...

    ResponderEliminar
  6. ora aqui está o q eu queria dizer há 1 ano +-, qd perguntei "pq n deixaram registar o meu filho c N no fim?(Martin)". segue o link e é bem recente:

    http://demaeparamae.pt/bebes/martin-miguel-2012-07-25

    parece-me que, a aprovação do nome, só depende unica e exclusivamente da pessoa q está a registar o nome. quem registou o meu filho, ia escrever o nome mas dps pensou e la foi ver a lista. realmente MARTIN n é aceite, diz lá na folha, mas o q é certo é q aparecem uns qts MARTIN, q é o caso do link acima.

    ResponderEliminar
  7. Fiz uma pesquisa rápida no google e quis-me parecer que um dos progenitores do pequenito do link terá dupla nacionalidade ou até mesmo outra nacionalidade que não a portuguesa...

    ResponderEliminar
  8. Obrigado Infanta mas essa remota hipótese, n serve de justificação ou será q todo o "Martin" tem pai ou mãe estrangeiro? n me parece q seja assim. aliás, n serve de justificação p nada. se vivem em Portugal têm q se sujeitar ás leis do país. se não tb podiam escolher ficar c os impostos do país de origem caso fossem mais baixos, faz sentido? ou p nomes podem escolher td e mais alguma coisa, até c raíz quadrada e o resto já têm q se cingir ás leis do país? estou a trocar ideias consigo, mas parece-me que quem é de fora tem sp benesses. faz-me lembrar a PT...os clientes antigos pagam 45€ de mensalidade mas os novos já pagam 19.99€...

    ResponderEliminar
  9. Pois... Mas olhe, a lei diz assim:

    "São admitidos nomes próprios estrangeiros, sob a forma originária, se o registando for estrangeiro, se tiver nascido no estrangeiro, se tiver outra nacionalidade para além da portuguesa, se algum dos seus pais for estrangeiro ou, se algum dos seus pais tiver outra nacionalidade para além da portuguesa".

    Em 2011, foram registados 24 Martin, contra 2352 Martim, portanto parece-me plausível que os Martin sejam todos filhos de estrangeiros.

    ResponderEliminar
  10. em todo o país? não me parece...na clínica onde a minha mulher foi seguida, tinham as fotos dos bebes q iam nascendo e lá estavam 2 Martin (em 2010) e foi aí q decidimos tb pôr com N no fim. nesse link q dei sai mais um Martin...esses 24 acreditava, e era plausível, se fosse apenas em Lisboa onde existem 500 culturas.

    ResponderEliminar
  11. Não sei que lhe diga... A lista foi anunciada como sendo oficial, portanto acredito no que lá vem escrito. Foi disponibilizada pelo Diário de Notícias e pode ser consultada aqui:

    http://www.dn.pt/DNMultimedia/DOC+PDFS/Nomes2011.pdf



    ResponderEliminar
  12. Olá! Sou brasileira, gostei muito do blog. Estou grávida, ainda não sei se é menina ou menino. Estou gostando do nome Martim, é curto, simples e não muito comum aqui no Brasil! Se for menina, será Olívia.

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)